Chuva além do esperado deixa bairros embaixo d’água e causa estragos em SC

Defesa Civil do Estado segue em alerta para as condições de chuva, que deve permanecer de forma persistente

A madrugada desta quarta-feira (9), em Santa Catarina, foi de muita chuva. Em um período de 12 horas, em Canelinha, na Grande Florianópolis, choveu 288 mm e o município já sofre com as consequências do excesso de água.

A Defesa Civil do Estado segue em alerta para as condições de chuva, que deve permanecer de forma persistente.

Chuva intensa gera alagamentos em Canelinha – Foto: Divulgação/NDChuva intensa gera alagamentos em Canelinha – Foto: Divulgação/ND

Segundo a Defesa Civil, cerca de 10 pessoas foram encaminhadas para abrigos no município, devido ao alagamento de casas.

Em Itajaí choveu 173 mm nas últimas 24 horas. Em Balneário Camboriú, há relatos de escorregamento na avenida Panorâmica e alagamento pontual. Houve acumulado de 156 mm.

Segundo a Defesa Civil, em Brusque há registros de queda de muro, deslizamentos, danos à infraestrutura pública e casas atingidas pelos alagamentos. O acumulado de chuvas nas últimas 12 horas chegou a 95 mm.

Em Balneário Camboriú o cumulado foi de 156 mm, houve relato de escorregamento na avenida Panorâmica e alagamento pontual próximo ao Shopping, na área central da cidade.

O município de Luiz Alves, no Sul do Estado, informou a queda de uma árvore na rodovia de acesso a Massaranduba. Em Foz do Rio Itajaí houve ocorrências menores de alagamentos pontuais. Em Tubarão, o acumulado nas últimas 24 horas foi de 176 mm; em Antônio Carlos foi de 151 mm.

Flor de Nápolis em São José nesta quarta-feira - Divulgação/ND
1 8

Flor de Nápolis em São José nesta quarta-feira - Divulgação/ND

Florianópolis sofre consequências após madrugada de chuvas - Eduardo Cristófoli/NDTV
2 8

Florianópolis sofre consequências após madrugada de chuvas - Eduardo Cristófoli/NDTV

Florianópolis amanhece alagada nesta quarta-feira - Eduardo Cristófoli/NDTV
3 8

Florianópolis amanhece alagada nesta quarta-feira - Eduardo Cristófoli/NDTV

Chuva deixou casas alagadas em Canelinha - Divulgação/ND
4 8

Chuva deixou casas alagadas em Canelinha - Divulgação/ND

Colônia Santana nesta quarta-feira pela manhã - Divulgação/ND
5 8

Colônia Santana nesta quarta-feira pela manhã - Divulgação/ND

Ao menos 10 pessoas foram encaminhadas para abrigos em Canelinha - Divulgação/ND
6 8

Ao menos 10 pessoas foram encaminhadas para abrigos em Canelinha - Divulgação/ND

Rua das esmeraldas no bairro Flor de Nápolis em São José - Eduardo Cristófoli/NDTV
7 8

Rua das esmeraldas no bairro Flor de Nápolis em São José - Eduardo Cristófoli/NDTV

Rua das Esmeraldas no bairro Flor de Nápolis em São José nesta quarta-feira - Eduardo Cristófoli/NDTV
8 8

Rua das Esmeraldas no bairro Flor de Nápolis em São José nesta quarta-feira - Eduardo Cristófoli/NDTV

Situação na Grande Florianópolis

Em Canelinha, 146 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas, conforme a Defesa Civil. Um abrigo municipal, com capacidade para 200 pessoas, foi aberto na Escola Profª Maria De Lourdes Nicolau Zimmermann.

Na Rua dos Outonos, em São José, um deslizamento de terra está prestes a atingir uma casa. O desabamento aconteceu durante a madrugada desta quarta-feira, por volta das 4h.

O Corpo de Bombeiros Militar chegou a ir ao local e a Defesa Civil deve ser acionada.

Logo nas primeiras horas da manhã, a Guarda Municipal de Florianópolis entrou em ação para monitorar os estragos causados pela chuva nas ruas da Capital.

O acúmulo de água nas vias dificulta a passagem de veículos e deixa o trânsito lento em diversos pontos da região.

Na Avenida Beira-Mar Norte, sentido bairro, em frente ao Conselho Regional de Contabilidade, a faixa direita da pista foi sinalizada com cones em decorrência dos alagamentos.

O acesso à região só é possível através das vias que levam ao Aeroporto Internacional Hercílio Luz. Às 10h, a PMRv (Polícia Militar Rodoviária) avaliou as condições da rodovia e decidiu liberar o trânsito para quem sai do Sul da Ilha.

Em vídeo divulgado pela Guarda Municipal de Florianópolis, é possível ver que a água está prestes a invadir os comércios que ficam às margens da rodovia, no bairro Rio Tavares.

A Servidão Nery Donaciano Rodrigues, no Rio Vermelho, em Florianópolis, amanheceu completamente alagada nesta quarta – Foto: Arquivo pessoal/NDA Servidão Nery Donaciano Rodrigues, no Rio Vermelho, em Florianópolis, amanheceu completamente alagada nesta quarta – Foto: Arquivo pessoal/ND

Segundo a prefeitura de Palhoça, o volume acumulado de chuva no município passou de 100 mm em alguns locais, como no bairro Aririu, que registrou 103 mm e a Praia de Fora, com 128 mm.

Os radares mostram um volume significativo de chuva para as próximas horas. Apesar de a previsão indicar tempo seco no início da noite desta quarta, a prefeitura alerta para motoristas evitarem trafegar pelas vias alagadas.

As principais vias afetadas foram: rua Padre João Batista Réus, Caminho Novo; rua João Duarte Raimundo, Caminho Novo; rua Amaro Ferreira Macedo, Centro; rua Prefeito Ari Wagner, Centro; rua Saul Cardoso, na comunidade Frei Damião.

Até as 9h15 desta quarta, o Corpo de Bombeiros atendeu três ocorrências de alagamentos na Grande Florianópolis, em Florianópolis, São José e Biguaçu. Todos os atendimentos já foram finalizados.

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar, não foram registrados grandes estragos na região até o momento.

Situação é crítica no Sul do Estado

Em Sombrio, município próximo a Araranguá, no Extremo Sul, o gerente de engenharia da prefeitura, Renato Bristot, informou que diversas ruas estão com alagamentos pontuais, especialmente no Centro.

“Em alguns locais, a água já está baixando, e deve acontecer nos demais logo em breve, devido ao sistema que implantamos nos últimos anos na cidade”, completou.

Em Imaruí, a prefeitura informou que muitos estragos estão ainda sendo contabilizados, como pontes destruídas e casas destelhadas, na manhã desta quarta. Por volta de 11h30, ainda não tinha um levantamento de quantas pessoas foram desalojadas.

Imaruí, no Sul de Santa Catarina, amanheceu tomada pelas chuvas – Foto: Divulgação/NDImaruí, no Sul de Santa Catarina, amanheceu tomada pelas chuvas – Foto: Divulgação/ND

Na cidade de Laguna, nas últimas 24 horas choveu 152 mm. Por volta das 11h20, a Defesa Civil do Estado emitiu alerta de possíveis deslizamentos na cidade.

Em Garopaba, Araranguá, Armazém e Sombrio, o órgão estadual também alertou para risco de deslizamentos nas próximas horas.

Tubarão, Balneário Camboriú e Itajaí

Os municípios de Tubarão, Balneário Camboriú e Itajaí registraram o maior número de ocorrências, segundo o Corpo de Bombeiros Militar.

Entre a noite de terça (8) e na manhã desta quarta, os principais atendimentos envolveram a remoção de pessoas das casas, corte de árvores e desobstrução de ruas.

“Normalmente, as principais ocorrências acontecem depois das chuvas, pelo acúmulo de água no solo, que pode trazer deslizamentos, por isso a nossa atenção não é apenas no momento em que a chuva ocorre, mas nos dias posteriores. ”, explica o coronel César de Assumpção Nunes, comandante da 1ª Região de Bombeiros Militar, responsável pelo Litoral.

Foram registradas 18 ocorrências na região de Itajaí até o momento. Um posto de comando de operações foi montado, na sede da Defesa Civil, em Itajaí. As ações são integradas com órgãos municipais.

Já em Tubarão e região, foram sete ocorrências envolvendo alagamento de casas. Os moradores foram levados a um local seguro, sem necessidade de atendimento hospitalar.

Dentre os locais estão o bairro Recife, na Avenida Pedro Zapelini, o bairro Humaitá de Cima na Rua Manoel Miguel Bitencourt, a Rua Francisca dos Santos Souza, rodovia SC-370, Rua Jaime Aguiar de Souza no bairro São João Margem Direita e Rua Jaime de Bona Sorato.

Segundo o climatologista da Epagri/Ciram, Marcio Sonego, a estação meteorológica em Tubarão registrou um acumulado de 180 mm em 12 horas, o equivalente a dois meses de chuva.

Em Brusque, as equipes retiraram famílias que estavam ilhadas, utilizando botes para acesso. Ocorreram deslizamentos e algumas pontes pequenas cederam no bairro Ribeirão Tavares.

Previsão para as próximas horas

O aporte da unidade do oceano para o continente mantém condições de chuva para todo o Estado nesta quarta-feira (9).

Na região litorânea as chuvas ocorrem de forma persistente, enquanto no Oeste acontecem em forma de pancadas isoladas.

As temperaturas mínimas ficam em torno de 17°C no Litoral e 12°C nas demais regiões. As máximas variam entre 13°C e 16°C nos planaltos e ficam em torno de 19°C nas demais áreas.

Defesa Civil alerta para condições do tempo desta quarta-feira – Foto: Defesa Civil/Divulgação/NDDefesa Civil alerta para condições do tempo desta quarta-feira – Foto: Defesa Civil/Divulgação/ND

Alerta da Defesa Civil

Defesa Civil emitiu alerta para chuvas volumosas e temporais, que devem persistir nesta quarta-feira (9).

Nas regiões em amarelo, temporais podem ocorrer pela presença de instabilidades, com possibilidade de chuva intensa, raios, queda de granizo e rajadas de vento, com risco moderado para ocorrências associadas  aos fenômenos.

Defesa Civil alerta para chuva intensa e temporais nesta quarta-feira (9) – Foto: Defesa Civil/Divulgação/NDDefesa Civil alerta para chuva intensa e temporais nesta quarta-feira (9) – Foto: Defesa Civil/Divulgação/ND

Mar agitado e risco de ressaca

A condição é de mar agitado com risco de ressaca entre o Litoral Sul e a Grande Florianópolis, entre esta quarta-feira (9) e quinta-feira (10).

As ondas são de direção leste, com altura de 2,5 mestres, e picos acima de 3 metros. O risco é alto nas regiões em laranja do mapa.

Defesa Civil alerta para mar agitado e risco de ressaca nesta quarta-feira – Foto: Defesa Civil/Divulgação/NDDefesa Civil alerta para mar agitado e risco de ressaca nesta quarta-feira – Foto: Defesa Civil/Divulgação/ND
+

Tempo