Chuva avança por Santa Catarina após causar alagamentos no RS

Meteorologistas dizem que instabilidade avança com ventos entre 70 e 80km/h, chuva e possibilidade de granizo em algumas regiões de SC

A Epagri/Ciram aponta que uma área de baixa pressão, que se formou no Paraguai, se desloca e cria uma linha de instabilidade que provoca chuva, com possibilidade raios e granizo. No Oeste, a previsão indica chuva para o início da noite até a manhã de quarta-feira (8).

As estimativas do meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram, são de que os ventos mais fortes devem atingir entre 70 e 80km/h.  O pico deve ser registrado entre a tarde e à noite desta terça.

Imagem de radar mostra que a instabilidade está no noroeste gaúcho

Para o engenheiro agrônomo Ronaldo Coutinho, a intensidade será maior na Serra e no Litoral Sul, com estimativa de 60 a 90km/h, “em locais que normalmente passariam dos 120km/h”. 

Coutinho diz que, embora o fenômeno seja de fato um ciclone, ele não terá a mesma intensidade do que atingiu o estado na última semana. “Esse é mais um daqueles ciclones normais”, disse. 

De acordo com o meteorologista Piter Schauer, a linha de instabilidade estava às 15h30 no divisa entre Santa Catarina e Rio Grande do Sul. “Ela pode chegar a qualquer momento”, comentou. 

No RS, chuva torrencial e alagamentos

Várias cidades do Rio Grande do Sul registraram alagamentos, na manhã desta terça-feira (7), após a passagem de um ciclone extratropical. A chuva torrencial transbordou rios que invadiram ruas e casas. 

Em Barra Funda, no Norte do Estado, famílias que moram nas proximidades do Rio Agusso, no bairro Primeiro de Maio, precisaram deixar as casas com a cheia do rio, por volta das 7h30. 

Rio Agusso transbordou no bairro Primeiro de Maio – Foto: Defesa Civil//ND

Em menos de duas horas choveram 140 mm, segundo a Defesa Civil do Município, o que elevou o nível do rio em seis metros acima do normal. Cerca de 30 famílias e 180 pessoas foram afetadas. Um ginásio do bairro foi usado para alojar os afetados. O Rio Agusso já voltou a baixar. 

Em São Leopoldo, o nível do Rio dos Sinos, chegou na casa de 4,14 metros por volta das 10h. Na noite anterior, às 23h30min, as águas estavam em 4,18 metros e não há pontos com alagamentos na cidade. As informações são do Correio do Povo.

Já em Novo Hamburgo, o coordenador da Defesa Civil, tenente Claudiomiro da Fonseca, informou que, mesmo sem registros de ocorrências de alagamentos, equipes estão realizando rondas nos bairros Santo Afonso, Canudos e Lomba Grande.

Estragos em rodovia de Cruz Alta – Foto: Daer/ND

A ERS-377 está bloqueada após danos na cabeceira de uma ponte no município de Cruz Alta, no Norte gaúcho. Houve erosão do aterro junto da estrutura que fica no quilômetro 103 da rodovia. Por causa do tempo instável, ainda não há previsão de quando o serviço de reparo será realizado.

+

Tempo