Chuva intensa em pouco tempo agravou situação no Alto Vale

Especialistas explicam que fatores geográficos também podem ter contribuído para que o Alto Vale do Itajaí sofresse ocorrências mais graves

Em três horas, choveu o equivalente a 20 dias no Vale do Itajaí, segundo a equipe de meteorologia da Epagri/Ciram. Essa concentração, aliada a fatores geográficos, pode ter sido responsável pelas ocorrências mais graves na região nas primeiras horas desta quinta-feira (17).

Enchente no município de Presidente GetúlioPresidente Getúlio foi a cidade mais afetada pelos estragos da madrugada – Foto: Corpo de Bombeiros Militar/Divulgação/ND

A intensidade dos eventos, decorrentes de um sistema de baixa pressão, pode estar relacionada com a proximidade de encostas e vales profundos. Pelo menos sete mortes foram registradas pela Defesa Civil na região.

“A pressão da água nas barragens aumenta e num momento estoura e vai levando tudo”, explica Dirceu Luis Severo, professor e coordenador do  Centro de Operações do Sistema de Alerta da Bacia Hidrográfica do Rio Itajaí-Açu (Ceops) da Furb (Universidade Regional de Blumenau).

Severo é  graduado em Meteorologia pela Universidade Federal de Pelotas, tem mestrado e doutorado em Meteorologia pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais.

Ele acredita que a grande concentração de chuva em um curto período de tempo ajudou a colocar o Alto Vale do Itajaí no mapa crítico.

“Na região de Blumenau, no centro, não choveu muito. Por isso, a minha impressão é de que foi uma chuva localizada, principalmente nas cabeceiras”, explica.

A ocorrência, segundo ele, é típica de “corrida de lama”.  Nessa modalidade, os movimentos de massa são caracterizados pela relativa rapidez no processo de escoamento do solo.

Até às 9h, os socorristas haviam recebido mais de 100 chamados. – Foto: Reprodução/Twitter/NDAté às 9h, os socorristas haviam recebido mais de 100 chamados. – Foto: Reprodução/Twitter/ND

De acordo com o meteorologista Marcelo Martins, da Epagri/Ciram, a direção de percurso do sistema de baixa pressão, comum em períodos de calor, também interferiu no grau de gravidade nas diferentes áreas do Estado.

Chuva antes do previsto

A expectativa, segundo o meteorologista Ronaldo Coutinho, era de que a chuva chegasse com força só durante o dia desta quinta-feira. “No início da noite não tinha nada. Às 19h30, começou a formar uma linha de trovoada”, afirma.

O sistema, parado na região, teria ocasionado o volume exagerado de precipitação. Solo úmido e rios já cheios intensificaram o problema, acredita Coutinho.

Ele informa que o sistema chegou a outras regiões, como na Grande Florianópolis, tempos depois.

Presidente Getúlio foi uma das cidades mais afetas em Santa CatarinaSete pessoas morreram em Presidente Getúlio, segundo a Defesa Civil – Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros/ND

No Alto Vale do Itajaí, as precipitações alcançaram 120 milímetros, segundo o Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina.

Curso do rio

O rio Itajaí-Açu, o mais importante da região, é alimentado por outros rios, desde a cidade de Rio do Sul até Itajaí. Presidente Getúlio – município mais afetado nas proximidades -, abriga o rio Hercílio, que encontra o Itajaí-Açu em Ibirama.

O coordenador do Ceops, Dirceu Severo, no entanto, afirma que não é possível dizer que as características estruturais do rio tenham influência nas ocorrências.

O fato é que o Alto Vale sofreu mais. Em Presidente Getúlio, um córrego que passa pelo bairro Revólver transbordou com a forte enxurrada da madrugada. “Acabou levando algumas residências, que ficavam às margens desse córrego”, informa o  comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, coronel Charles Alexandre Vieira.

Diferenças

Em sistemas de baixa pressão, a tendência é de distribuição de chuva desigual, explica Martins.

Rio Vermelho registrou alagamentosFlorianópolis teve volume desigual de chuva – Foto: Defesa Civil/Divulgação

No caso de Florianópolis, choveu 90 milímetros no Norte, 50 milímetros no Centro e 30 milímetros no Campeche, de acordo com informações da Epagri/Ciram.

Martins lembra que as particularidades geográficas de cada localidade contam muito. 

Próximos dias

Ainda estão previstas, para todo o Estado, chuvas nesta quinta e sexta-feira, com reforço no sábado (19). Martins assegura, contudo, que os impactos devem ser menores do que os registrados nesta madrugada. “Será bem mais distribuída”, avalia.

+

Tempo

Loading...