Chuvas em SC provocam estragos em pelo menos 25 cidades

Desde domingo (17), as chuvas em SC provocaram alagamentos, deslizamentos, quedas de árvores, de muros e inundações que invadiram terrenos e casas

A semana de chuvas em SC causou estragos e ocorrências em pelo menos 13 cidades catarinenses, de acordo com a Defesa Civil, até as 13h30. Os principais problemas foram alagamentos (7) e deslizamentos (5). Segundo a reportagem apurou, no entanto, há ocorrências em mais 10 cidades, entre as quais Joinville, Florianópolis e Blumenau, totalizando 25 municípios com problemas.

Uma das cidades que mais sofrem com as chuvas em SC é Joinville, que foi apelidada de “Chuville” – Foto: Reprodução/NDTVUma das cidades que mais sofrem com as chuvas em SC é Joinville, que foi apelidada de “Chuville” – Foto: Reprodução/NDTV

Até o momento, a Defesa Civil estadual recebeu informações de 22 ocorrências. São dados registrados pelas Coordenadorias Municipais nas 13 cidades:

  • Pescaria Brava;
  • Bom Retiro;
  • Imbituba;
  • Ilhota;
  • Rodeio;
  • Brusque;
  • Apiúna;
  • Papanduva;
  • Itaiópolis;
  • Benedito Novo;
  • São João do Itaperiú;
  • Balneário Piçarras;
  • Jaraguá do Sul.

Reportagem apurou mais 12 municípios

  • Florianópolis
  • Palhoça
  • Blumenau
  • Gaspar
  • Timbó
  • Indaial
  • Joinville
  • Corupá
  • Campo Alegre
  • Mafra
  • Araquari
  • Cocal do Sul

Na madrugada desta quinta-feira (21), a Defesa Civil estadual alertou para risco de deslizamento em diversos municípios, entre os quais, Balneário Piçarras. Nesta cidade, a Defesa Civil registrou alagamentos e deslizamentos, confirmando o risco anunciado.

No Bairro Nossa Senhora da Paz, por exemplo, um deslizamento afetou uma casa na Rua Antônio Manoel Santana, desalojando uma família com dois adultos e uma criança. Também há diversos pontos de alagamento na área urbana e rural da cidade.

No Estado, acumulados de chuva devem ultrapassar os 100 mm até o final desta quinta-feira (21). As áreas de maior risco são a costa da Grande Florianópolis, o Litoral Norte e o Vale do Itajaí.

O detalhamento das ocorrências nas 13 cidades onde a Defesa Civil Estadual já tem informações está neste boletim.

Estragos na Grande Florianópolis

A última madrugada foi de chuvas fortes na Capital do Estado e, na Grande Florianópolis, há registro de ruas alagadas e deslizamentos de terra, com ao menos uma casa destruída. Em Palhoça, a Defesa Civil do município registrou pontos de alagamentos e pequenos deslizamentos.

Um dos três deslizamentos registrados na Capital foi no Morro do 25, na Agronômica. A queda atingiu parte de uma casa, que foi interditada pela Defesa Civil, e os moradores deslocados para perto dos familiares.

Os bairros do Norte da Ilha, entre eles Ingleses, Rio Vermelho e Ponta das Canas, também registraram problemas com a chuva. Em Ponta das Canas, o Corpo de bombeiros isolou uma pousada, que teve o muro danificado após deslizamento de terra.

Nos Ingleses, foram registrados diversos alagamentos nas vias, por exemplo, na Rua Alamandas, onde uma casa foi tomada pela água.

Uma moradora do Bairro Rio Vermelho enviou um vídeo à reportagem mostrando o alagamento na Avenida Red Park. Veja:

Os bairros do Sul da Ilha também foram atingidos pela chuva. No Rio Tavares, a SC-405 alagou em diversos pontos. A Rua Laura Duarte dos Prazeres, no Campeche, ficou tomada pela lama. No Pântano do Sul, principalmente na Rua Lauro Mendes Costa, a água invadiu terrenos e casas.

Vale do Itajaí

As cidades do Vale do Itajaí foram bastante castigadas pela chuva. Em Blumenau, desde o início das chuvas, no domingo (17), são 59 ocorrências, 48 nas últimas 24h. As principais são deslizamentos, quedas de árvores, alagamentos e quedas de muros.

No centro da cidade, o Rio Itajaí-Açu atingiu 6,03 metros perto do meio-dia desta quinta. Com isso, a Defesa Civil entrou em estado de alerta. Segundo a meteorologista e diretora do Alertablu, Tatiane Martins, o rio deve chegar ao nível de 7 metros à tarde.

Em Gaspar, o nível do Rio Itajaí-Açu também é uma preocupação. Às 6h desta quinta, o nível do rio estava 3,36 m. Chegando a 4 metros, a cidade entra em estado de alerta e se chegar a 6 metros, a água invade casas. A cidade registrou três deslizamentos, uma queda de árvore e um buraco em via pública.

A Defesa Civil de Timbó atendeu uma série de ocorrências na parte da manhã. A cidade sofreu com deslizamentos de terra, problemas nas vias e alagamentos.

Na cidade de Indaial, houve quedas de muro, desmoronamentos e quedas de barreira. Logo às 7h, o rio Itajaí-Açu, media 4,16 metros na cidade.

Região Norte

A região Norte do Estado também registrou deslizamentos, alagamentos e quedas de árvores em alguns municípios. Segundo a Defesa Civil Estadual houve problemas em Jaraguá do Sul, mas a reportagem também soube de problemas em Corupá, Campo Alegre, Mafra, Araquari e também em Joinville.

A maior cidade do Estado registrou três deslizamentos. Em Corupá, cinco quedas de barreira em diversos bairros, principalmente, no interior.

Em Campo Alegre, a preocupação é o nível do Rio da Cachoeira do Salto, que chegou a transbordar e ocupar uma rua próxima.

Em Mafra, outro rio deixa a cidade em alerta. Trata-se do Rio Negro, que está subindo e começa a preocupar a prefeitura. Já em Araquari, foi registrada uma queda de muro, ainda na terça-feira (19), no Bairro Itinga.

Sul do Estado

No Sul do Estado, a chuva agravou um problema existente em Cocal do Sul. Por conta da chuva, uma barreira deslizou na Estrada Geral Linha Ferreira Pontes, que liga a cidade a Siderópolis, interditando a rua.

Estrada Geral Linha Ferreira Pontes, em Cocal do Sul, está interditada por causa da queda de uma barreira – Foto: Divulgação/Prefeitura de Cocal do SulEstrada Geral Linha Ferreira Pontes, em Cocal do Sul, está interditada por causa da queda de uma barreira – Foto: Divulgação/Prefeitura de Cocal do Sul

As equipes da Secretaria de Obras e da SAMAE (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto) trabalham no local.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Tempo