De chuva a frio: a influência do La Niña no outono em SC

Estado está sob a ação do fenômeno La Niña, que deve diminuir as chuvas e trazer até geadas para o Sul do Brasil nos próximos meses

O outono começa no dia 20 de março no hemisfério Sul este ano. Com ele, chegam as temperaturas mais baixas e o tempo seco que marcam esta estação de transição em Santa Catarina.

Sob o efeito do fenômeno La Niña, que entra no seu oitavo mês de atuação, essas características se tornam ainda mais evidentes. Então, é provável que tenhamos um outono frio e seco.

Outono deve registrar temperatura abaixo da média com formação de geada em SC – Foto: Mycchel Legnaghi / São Joaquim OnlineOutono deve registrar temperatura abaixo da média com formação de geada em SC – Foto: Mycchel Legnaghi / São Joaquim Online

Segundo a meteorologista da Epagri/Ciram, Marilene de Lima, a La Niña se configurou da metade para o fim do último ano e tende a permanecer, perdendo um pouco de força, em parte do outono.

“A consequência para o nosso outono e inverno é uma diminuição das chuvas, tanto no volume quanto na frequência, no Sul do Brasil. As massas de ar frio chegam com mais frequência. Então, as noites tendem a ser mais frias”, explica.

Além disso, a diminuição da nebulosidade favorece o aumento da temperatura no período da tarde. “Aí, acontece o que a gente chama de amplitude térmica, a madrugada e amanhecer mais frios, com temperaturas mais baixas, e durante a tarde as temperaturas se elevando rapidamente”, conta Marilene.

Conforme a previsão da Epagri/Ciram, o outono deste ano deve registrar temperatura abaixo da média nos meses de abril e maio no Estado, com formação de geada ampla em diversas regiões.

Por outro lado, também são esperados os veranicos no mês de maio, dias consecutivos com temperatura acima de 30ºC.

Entenda o fenômeno

Tanto a La Niña quanto o El Niño são eventos climáticos que acontecem no oceano Pacífico. Ambos são anomalias registradas na temperatura da superfície do mar.

A queda na TSM (temperatura da superfície do mar) no Pacífico configura a La Niña – Foto: Divulgação/Epagri/CiramA queda na TSM (temperatura da superfície do mar) no Pacífico configura a La Niña – Foto: Divulgação/Epagri/Ciram

“Para a gente ter a configuração do El Niño, precisa ter pelo menos três meses consecutivos com temperatura na superfície do mar em 0,5º C acima do que seria esperado na região”, diz Marilene de Lima.

Já no caso da La Niña, que está atuando no momento, o que acontece é o resfriamento das águas do Pacífico Central. “Então, a La Niña ocorre quando, por pelo menos três meses consecutivos, a temperatura da superfície do mar atinge 0,5º C abaixo da temperatura normal, que é o caso contrário do El Niño”, acrescenta a meteorologista.

+

Tempo