Defesa Civil de Joinville contabiliza 38 ocorrências por causa do temporal de terça-feira

35 mil unidades consumidoras ficaram sem energia após o vendaval. Nesta quarta (27), 1 mil ainda estavam sem luz

*Atualizado às 11h

Divulgação/ND

No bairro Fátima, na zona Sul,  telhado de empresa ficou completamente destruído após vendaval

O temporal que passou pelo Norte Catarinense no fim da tarde desta terça (26) trouxe transtornos e prejuízos a moradores. Em Joinville, segundo a Defesa Civil, os ventos chegaram a 66 km/h, entre as 17h e 18h, causando destelhamentos e quedas de árvores. Os 26 mm de chuva em cerca de uma hora – média registrada no bairro Guanabara pela Defesa Civil – provocaram alagamentos em algumas regiões.

Pelo menos 38 ocorrências mobilizaram as equipes da Defesa Civil. A zona Sul, na região entre os bairros Adhemar Garcia, Boehmerwald, Fátima, Guanabara, Itaum, Jarivatuba, João Costa, Paranaguamirim e Ullysses Guimarães foi a mais atingida. Em alguns pontos a ventania foi acompanhada com chuva de granizo. No Paranaguamirim as pedras de gelo tinham o tamanho de uma bola de gude.

Equipes dos Bombeiros Voluntários e da Secretaria do Meio Ambiente também realizam atendimentos em parceria com a Defesa Civil. “Nesta quarta-feira vamos retomar as vistorias para atender ocorrências que continuam a ser informadas por moradores. Não existe registros de desabrigados, desalojados”, disse o gerente da Defesa Civil, Márnio Pereira. 

Na região também houve estragos em Itapoá, Garuva, São Francisco do Sul.

35 mil unidades consumidoras sem energia

O vendaval também fez com que o abastecimento elétrico ficasse comprometido no Norte Catarinense. Segundo o chefe da agência regional de Joinville da Celesc, Jucélio Girardi, 35 mil unidades consumidoras estavam sem energia após o temporal. Por volta das 10h desta quarta, 1 mil ainda permaneciam sem abastecimento elétrico. “Desde quando o temporal passou, nossas equipes estão trabalhando para restabelecer a rede. Seis alimentadores – redes principais que abastem bairros – foram danificadas pela ventania. Na madrugada estávamos trabalhando com oito equipes, pela manhã são 14 grupos de trabalho”, comentou o Jucélio Girardi.

Duas equipes da Celesc de Blumenau e São Bento do Sul também estão em Joinville para auxiliar nos trabalhos de reparo. “Nossa expectativa é que o trabalho seja concluído até o fim do dia. Por volta das 10h, tínhamos 400 ocorrências na tela de serviço”, declarou.

Divulgação/ND
Teto da entrada de mercado no bairro Guanabara caiu devido ao vendaval

Temperatura volta a subir na sexta

A mudança no clima e o temporal desta terça estavam previstos pelo Ciram (Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina). O meteorologista Marcelo Martins explica que o temporal foi resultado da ação de uma área de instabilidade, associada a um sistema de baixa pressão, vinda do Paraguai que se chocou um uma frente fria, que seguia no litoral. “Nestas condições, chuvas, ventos e granizo podem acontecer. Foi assim por todo o Estado nesta terça. Hoje o tempo começa a abrir no decorrer da tarde. As temperaturas voltam a subir gradativamente, mas a umidade do ar pode ocasionar pancadas de chuva isoladas no final do dia, no decorrer da semana”, explica.

Os termômetros voltam a casa dos 30 graus a partir da sexta.

Eventos registrados pela Defesa Civil até as 23 horas de terça-feira

Destelhamentos – 14

Queda de árvores sobre residências – 3

Árvores sobre a via pública – 12

Outras ocorrências – 9

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Tempo

Loading...