Lagos temporários formam oásis no ambiente desértico das dunas que separam Lagoa e Joaquina

Chuva ajuda a manter nichos verdes que ornamentam a imensidão branca, onde vegetação de restinga também se adapta a condições abrasivas

Mineiros de Uberlândia, os amigos Raphael Bernardino, 31, e Silvio Cabral, 23, assim como o casal de Curitiba Aline e Douglas Silva, 26, todos em férias neste resto de verão na Ilha, nada têm em comum. Tampouco com a professora Angela da Veiga Beltrame, 53, da geografia da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), coordenadora de projeto de extensão sobre as características biogeográficas do conjunto de dunas fixas e móveis que separa a Lagoa da Conceição do mar grosso da praia da Joaquina.

Marco Santiago/ND

O clima favorece a formação da vegetação nas dunas

Diferenças e conhecimentos à parte, os turistas de fim de temporada concordam com a visão acadêmica. “Este lugar é especial. A paisagem é espetacular e a biodiversidade incomum”, resume Angela, que aponta plantas adaptadas à água lado a lado com espécies que brotam no solo árido ou aquelas específicas do ambiente de restinga. “São dois extremos climáticos bem definidos”, explica. “O que falta é sinalização e informações turísticas e científicas”, diz Aline.

Nem todos sabem, por exemplo, que a vegetação brota em temperaturas que variam de 15º a 18º, no inverno, e 26ª 30º no verão, durante o dia. As chuvas em geral são bem distribuídas, com variação média entre 1.500 e 1700 milímetros por ano. “O clima favorece ao desenvolvimento da vegetação. Mas, outros aspectos naturais, tornam o ambiente árido, e plantas precisam se adaptar para sobreviver”, diz Angela.

Entre estes aspectos, a professora destaca os ventos sul e sudeste que sopram do mar e podem chegar a 80 km/h. “Causam forte impacto da areia na vegetação”, diz.  A temperatura da areia exposta ao sol, em torno de 60º, a pobreza de nutrientes orgânicos indicada pela coloração da areia sem húmus no solo seco , a umidade do ar 25% abaixo do registrado na mata atlântica e a salinidade marinha sobre as folhas e areia são outros fatores que interferem no desenvolvimento das plantas.

Em 2006, cartilha produzida com base em pesquisas de Magnus Voges e Denise Bunn, lista 28 espécies da restinga, entre rasteiras, arbustos e arvoretas. Algumas frutíferas, nem todas apreciadas pelas aves – entre eles, sabiá, maçarico, trinta-réis,  tico-tico, gavião e a desconfiada coruja buraqueira.

:: Veja mais fotos

A mesma cartilha sugeriu à prefeitura mapa de zoneamento para reordenar as atividades humanas na área do Parque Natural Municipal das Dunas da Lagoa, em fase de adequação ao SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação). Há preocupação, por exemplo, com a dispersão descontrolada de pinus, os impactos do surfe na areia e das caminhadas sem guias – exemplo da reativação de dunas em processo de fixação, acúmulo de lixo e pressão imobiliária no entorno.

Climas desértico e tropical lado a lado

Exceto o riacho que serve de limite natural na borda sul do parque, quase paralelo à avenida Osni Ortiga, não há cursos naturais de água perenes no interior das dunas. Espalhadas por toda a imensidão branca, as pequenas lagoas que afloram do lençol freático são temporárias quase que na totalidade, abastecidas pela chuva. Elas afloram nos pontos mais baixos. Estão localizadas onde o relevo fornece mais proteção dos ventos fortes, e permitem variada distribuição de espécies vegetais, algumas aquáticas.

“As de pequeno porte se concentram nas bordas, ou seja, nas partes rasas, enquanto arbustos e arvoretas crescem no entorno e nas áreas abrigadas”, diz a professora Angela Beltrame.Circundada por vegetação mais densa de arbustos que forma espécie de mata ciliar, a única lagoa permanente é a maior entre as tantas que afloram no meio das dunas.

Está localizada a sudoeste da área, protegida pelo paredão do monte esbranquiçado que serve de base para a prática do surfe na areia. “Esta mata ciliar se vale da proteção das dunas para crescer, e formar a vegetação típica de brejo”, explica Angela Beltrame.

A variação climática e seus reflexos na vegetação de restinga das dunas são impressionantes. A professora Angela Beltrame cita o exemplo das adaptações ambientais das plantas que predominam naquele ecossistema, como o predomínio de folhas pequenas e3 endurecidas pela cera que produzem para conter a desidratação. “Outras têm raízes curtas, desenvolvem liquens sobre troncos e galhos, preparadas para enfrentamento do estresse hídrico das áreas mais secas, como o gravatá, que lembram o ambiente desértico”, explica a professora. 

Depois de 5.000 anos, ambiente em permanente mutação

Pelos estudos geológicos, as primeiras dunas na costa da Ilha surgiram entre 120 mil e 18 mil anos atrás, quando o mar chegou a mais de 100 metros abaixo do nível atual. Ocorreu, então, a acumulação da areia, com surgimento das superfícies sedimentares e base da formação atual.

Num segundo período, entre 18 mil a 5.000 anos, o mar atingiu até três metros e meio acima do nível do mar, mantendo submersa grande parte dos sedimentos que formaram as primeiras dunas. E só a partir de 5.000 anos, o mar se nivela aos moldes atuais, ocorrendo mais acumulação.

Lento, este processo resulta na formação arenosa atual, conhecida  principalmente por pesquisadores, ambientalistas e turistas. Contornadas pelos lagos que afloram em períodos chuvosos e trechos de restinga, trilhas estreitas são atalhos para surfistas em busca das ondas da Joaquina.

Ou, simplesmente, por quem não se cansa de caminhar sem pressa pela imensidão de areia, entre a lagoa e o mar aberto. Entre eles, o coordenador do Instituto Route, Simão Felipe Pedro, 31, para quem as dunas estão, literalmente, nos fundos de casa.

“El nino desta temporada foi generoso, choveu bastante. Os laguinhos permaneceram cheios o tempo todo, e em alguns deu até para mergulhar e nadar”, diz. Em novembro e dezembro de 2015, segundo observações dele, a maior parte das piscinas naturais atingiu mais de metro de profundidade.

“Um oásis escondido de quem passa lá fora. Ou, para quem costuma viajar mais distante, parece uma das faces da lua inundada por pequenos lagos de água cristalina e refrescante”, brinca.

Um pouco de história

Antigamente, a Joaquina era a Ponta das Garças, obviamente por ser ponto preferido de pesca destas grandes aves aquáticas.

Também já foi Campeche, quando formava uma só comunidade pesqueira na faixa de areia até o Morro das Pedras.

Mar Grosso, foi um dos nomes dados por causa da salinidade e das grandes ondulações de leste e sul.

Praia das Dunas, quando seu principal acesso antes da especulação imobiliária era o imenso areal branco.

Descoberta para o surfe no início da década de 1970, o nome atual surgiu em 1975 envolto em mistérios e lendas,

Pode ter sido a filha do pescador, que atravessava as dunas em busca de Alberto, o amado desaparecido no mar no século 19.

Ou a rendeira do século 18, que ensinava a arte de entrelaçar linhas às mulheres da vila e dava de comer aos pescadores de pouca sorte.

Parque Municipal das Dunas da Lagoa da Conceição

Unidade de conservação ambiental

Criação: Decretos 231/1988, 1.261/1975 e 213/1979.

Finalidade: aproveitar as condições peculiares da paisagem natural para o adequado desenvolvimento de atividades educativas, de lazer e recreação.

Área: 573 hectares

Principais acessos: avenidas das Rendeiras e Osni Ortiga, praia da Joaquina e Estrada Geral da Joaquina.

O que prevê a lei e não é cumprido

* Uso público compatível com a preservação do patrimônio natural, constituindo-se de estudos científicos, mantendo-se intactos todos os elementos naturais;

* Atividades de recreação e lazer ao ar livre, em locais previamente autorizados;

* Serviço de vigilância compreen e instalação de equipamento de pequeno porte com esta finalidade;

* Delimitação de corredores traçados sobre as partes menos frágeis das dunas destinados a circulação de pedestres e à prática de equitação controlada, excluídas em qualquer hipótese as zonas de regeneração, estudos e pesquisas;

* Eliminação da vegetação exótica invasora que prolifera nas dunas, principalmente pinus e eucaliptos.

Outras dunas da Ilha

Ingleses

Santinho

Moçambique

Campeche

Armação

Pântano do Sul

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Tempo

Loading...