Nevoeiro, fumaça de queimadas e ‘cocktail meteorológico’: o que acontece com tempo em SC?

Presença de nevoeiros nas principais cidades do litoral catarinense chamou atenção no início da manhã desta segunda-feira (23)

As cidades do litoral de Santa Catarina tiveram o amanhecer desta segunda-feira (23), marcados pela presença de nevoeiros. Além disso, as regiões do Oeste catarinense registram nebulosidade por conta de focos de incêndio.

Nevoeiro visto no bairro Estreito, região continental de Florianópolis – Foto: Foto: Gustavo Bruning/NDNevoeiro visto no bairro Estreito, região continental de Florianópolis – Foto: Foto: Gustavo Bruning/ND

Segundo a meteorologista da Epagri/Ciram, Marilene de Lima, o fenômeno que se realiza no início da manhã no litoral catarinense é conhecido como nevoeiro marítimo.

“Ocorre em função da baixa temperatura da água do mar em relação ao ar. Por conta disso, a água evapora e se forma esse nevoeiro marítimo, também conhecido como nebulosidade baixa, com características de pouco desenvolvimento vertical e muito próximo da superfície”, explica a meteorologista.

De acordo com a Epagri/Ciram, por volta das 14h desta segunda-feira (23), o mar do litoral catarinense marcaram temperaturas entre 17°C e 18°C. Enquanto isso, Florianópolis registrava 25°C.

Marilene de Lima afirma que este fenômeno será presente nos próximos dias de agosto, principalmente no início do amanhecer.

“Os nevoeiros são típicos para o inverno. Ao se formar entre a madrugada e o amanhecer, o nevoeiro marítimo vai se dissipando com a presença do sol”, esclarece a meteorologista.

Nevoa seca

Diferente das cidades próximas ao litoral, a presença do nevoeiro nos municípios do Oeste de Santa Catarina acontece por conta da presença de partículas de fuligem, poluição e outros tipos que ficam suspensas no ar.

“Essas partículas acabam formando uma espécie de película na camada mais alta da atmosfera, resultando em um aspecto que parece encobrir o sol, dificultando a visibilidade”, conclui a meteorologista.

Atualmente, Santa Catarina registra a presença de uma massa de ar seco e quente, que resulta em dias com temperaturas elevadas e presença do sol com poucas nuvens. Marilene de Lima esclarece que o fenômenos climático pode favorecer novas queimadas.

“O ar seco está presente há vários meses, deixando a vegetação bastante seca. Essa massa não causa incêndios, mas dificulta o controle das chamas por conta do vento, mesmo que fraco, ajudando a espalhar o fogo”, conclui a meteorologista.

Cocktail meteorológico e focos de incêndio em SC

Assim como destacou Marilene de Lima, a atual condição climática possibilita incêndios. Segundo o meteorologista Piter Scheuer, as regiões do Oeste, Meio-Oeste, Planalto Sul, Sudoeste do Paraná e o Norte da Argentina registram focos de queimadas na vegetação seca.

Mapa de satélite mostra pontos de focos de incêndio no Sul do BrasilMapa mostra pontos de incêndios ao longo da América do Sul na tarde desta segunda-feira (23) – Foto: Piter Scheuer/Reprodução/ND

“A passagem dessa massa de ar seco deixou a vegetação em formato de palha. Sendo assim, qualquer bituca de cigarro jogada no chão pode iniciar um incêndio”, explica Piter Scheuer.

Semelhante com o que ocorre em parte do Sul do Brasil, Portugal registra tempo seco e quente. Dessa forma, a Proteção Civil do país Luso ligou o sinal de alerta para possíveis incêndios que podem se expandir rapidamente.

O “cocktail meteorológico”, como vem sendo chamado em Portugal, consiste em características de tempo quente, seco, ventos fortes e trovoadas.

“São características semelhantes do que temos em Santa Catarina, neste momento. Além da massa de ar quente, temos ventos com rajadas de 50 km/h até 60 km/h, ou seja, com potencial para espalhar as chamas”, conclui Piter Scheuer.

Alerta para a baixa umidade em SC

A Defesa Civil de Santa Catarina emitiu um alerta de observação para a baixa umidade relativa do ar para as regiões do Oeste e Planalto Sul até o fim da tarde de terça-feira (24).

Segundo o informe, todas as regiões do Oeste, Planalto Sul e parte do Alto Vale do Itajaí, Planalto Norte, Litoral Norte e Grnde Florianópolis poderão registrar valores inferiores dos 25%, sendo que o ideal é variando entre 50% e 80%, conforme a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Por conta disso, é indicado que evite atividades físicas entre 12h e 15h, ingerir mais líquidos, vegetais e se manter hidratado. Assim como limpar os olhos com algodão e água esterilizados para evitar irritações, conjuntivites e outros problemas oculares.

Virada no tempo

As altas temperaturas devem permanecer até a quarta-feira (25). Porém, uma frente fria se aproxima de Santa Catarina a partir da noite. Como resultado, ocorre o aumento da nebulosidade e possibilidade de pancadas de chuvas nas áreas de divisa do Rio Grande do Sul.

O cenário deve se manter ao longo da quinta-feira (26) por conta da presença da frente fria, ou seja, pancadas de chuvas e risco de temporais isolados, conforme a Defesa Civil de Santa Catarina.

De acordo com Piter Scheuer, não está descartada a possibilidade de temporais, com chuva forte, granizo, raios e ventos entre 70km/h e 90 km/h. Além disso, a atenção deve ser maior para as regiões do Oeste, Meio-Oeste e Serra, principalmente com a rede elétrica por conta dos vendavais.

+

Tempo

Loading...