Sobe para 122 o total de cidades atingidas por ciclone em Santa Catarina

Estado foi atingido por fortes ventos e chuvas na terça-feira (30); ao menos nove pessoas morreram e duas seguem desaparecidas

Dos 295 municípios catarinenses, pelo menos 122 registraram estragos em decorrência da passagem de um ciclone extratropical pelo Estado na terça-feira, 30 de junho.  Até o final da tarde da quarta-feira (1º), havia a confirmação de nove mortes e duas pessoas seguiam desaparecidas.

Canoinhas registrou diversos destelhamentos e quedas de árvores. Além disso, 80% da cidade chegou a ficar sem energia elétrica – Foto: Redes Sociais/Reprodução

Decretos em SC

Pelo menos quatro cidades, das 122 que tiveram registro de ocorrências em Santa Catarina, emitiram decretos. Chapecó, no Oeste, Palhoça, na Grande Florianópolis, e Guaramirim, no Norte, estão com decreto de situação de emergência. Já o prefeito de Governador Celso Ramos, Juliano Duarte Ramos, decretou situação de calamidade pública.

A Defesa Civil de Florianópolis disse que está avaliando a possibilidade de emitir algum decreto em decorrência do ocorrido. Segundo o coordenador da Defesa Civil da Capital, Luiz Eduardo Machado, nesta quinta-feira (2), após análise dos dados, é que será definida se haverá essa decretação.

Nove mortes

De acordo com Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, nove pessoas perderam a vida durante os fortes ventos e chuvas, decorrentes do chamado ciclone bomba.

  • Chapecó: uma idosa, de 78 anos, vítima de queda de árvore;
  • Santo Amaro da Imperatriz: um homem, atingido por fiação elétrica;
  • Tijucas: três vítimas após desabamento de galpão;
  • Ilhota: um homem de 59 anos;
  • Governador Celso Ramos: um homem de 59 anos;
  • Rio dos Cedros: um homem de 73 anos;
  • Itaiópolis: mulher, 37 anos, vítima de queda de árvore.

Ainda, segundo os bombeiros, duas pessoas seguem desaparecidas. Uma na cidade de Canelinha e outra em Brusque. Na cidade do Vale do Itajaí, mergulhadores do Corpo de Bombeiros atuam nas buscas por um homem que caiu de uma ponte pênsil, em Brusque.

Outras 1.402 pessoas foram afetadas, seis ficaram feridas, 24 estão desabrigadas e 26 estão desalojadas.

Ocorrências em SC

As guarnições dos bombeiros trabalham desde a tarde do dia 30 de junho, no auxílio a pessoas atingidas, a fim de minimizar os estragos.

Entre os principais chamados para atendimento estão 72 quedas de árvores e 1.105 unidades habitacionais danificadas ou com destelhamentos. Ao todo, entre materiais e ambientais, foram registrados 1.197 danos.

Leia também:

Segundo a corporação, todos os batalhões registraram ocorrências, e mais de 1.450 bombeiros militares, 674 bombeiros comunitários, 402 viaturas, além de duas equipes de força-tarefa e um cão de busca, atuam nas ocorrências.

Samu teve mais de mil chamados

Na terça-feira (30), durante o ciclone que atingiu o Estado, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) atendeu 1.257 chamadas nas oito macrorregiões de Santa Catarina. Destas chamadas, 503 foram atendimentos que precisaram de Unidades de Suporte Avançado e Suporte Básico.

Prejuízos

O levantamento dos prejuízos causados pelo ciclone está sendo realizados por técnicos da Defesa Civil de Santa Catarina. O chefe da Defesa Civil, João Batista Cordeiro Júnior, que percorreu municípios da Serra na tarde desta quarta-feira, coordena o trabalho de reparo dos danos em todas as regiões.

De acordo com ele, a eficiência no atendimento das ocorrências se deve a ação integrada dos órgãos governamentais.

+

Tempo