Conversões continuam proibidas na avenida Leoberto Leal, em São José

Prefeitura decide manter alterações depois de estudos preliminares apresentarem bom resultado

Marco Santiago/ND

Placas e tachões na avenida continuarão a orientar motoristas contra conversões

Depois de 20 dias testando novo sistema para amenizar os engarrafamentos na avenida Leoberto Leal, a principal de Barreiros, a Gerência de Trânsito de São José decidiu que vai manter a proibição de conversões à esquerda para quem se desloca no sentindo Centro-bairro, com exceção de três pontos. Avaliações preliminares feitas pelo órgão mostraram que o tempo médio dos ônibus para cruzar a avenida reduziu em até 40 minutos. O número de acidentes e atropelamentos também caiu. Os cones e blocos de concretos serão removidos, mas as placas e tachões continuarão no local até que o relatório dos estudos seja concluído.

Com apenas 12 metros de largura e ligando a BR-101 a Florianópolis, ao longo das últimas décadas a principal via do maior distrito de São José perdeu o acostamento —que se transformou em pista de rolagem—, ganhou novos prédios, comércios e até mesmo um centro universitário. No horário de pico, 2.800 veículos cruzam a via, que já excedeu o limite de capacidade. “O trânsito ganhou maior fluidez e impede o excesso de conversões à esquerda”, afirma Eliara Porto, engenheira de tráfego.

Durante o período de testes, o setor de Trânsito realizou pesquisa de satisfação com moradores, motoristas, usuários do transporte coletivo e ciclistas. Em janeiro, deve ser apresentado o relatório final com os resultados dos testes. “No primeiro momento, nossa prioridade foi resolver o problema do trânsito e o objetivo foi alcançado, agora temos que pensar a questão do pedestre e dos ciclistas”, completou. O transporte coletivo deve ser o maior beneficiado, já que segundo os resultados preliminares apontaram que a viagem que durava cerca de uma hora caiu para 20 minutos, economizando até 40 minutos no trajeto.

Mas se por um lado o tempo na fila, ou no ônibus, amenizaram com as mudanças, no bairro a medida teve diversos impactos que ainda serão avaliados. Na rua Hermes Zappelini, onde é permitido fazer a conversão, os engenheiros perceberam conflitos entre o fluxo que foi deslocado para o local com os moradores da região e por fim, nos últimos dias, resolveram converter toda a via em mão única. Além da Hermes Zappelini, as conversões à esquerda são permitidas somente nas ruas Capitão Pedro Leite e Manoel Loureiro.

Vias secundárias experimentam fluxo maior

Claudia Barbosa, 40, moradora há 30 na rua Manoel Loureiro, diz que se por um lado o trânsito flui melhor na Leoberto Leal, nas ruas do bairro a moradora percebeu crescimento no fluxo de carros em vias que não estão preparadas para alto fluxo. “Muita gente transita entre a Gerôncio Thives e a Leoberto Leal para fugir dos engarrafamentos, mas agora piorou”, diz.

Com as mudanças na Leoberto Leal, o perfil do motorista que transita pelo local também mudou, disse a engenheira Eliara Porto. “Percebemos que o fluxo rotineiro é usado por turistas e por pessoas que vêem de Biguaçu, por exemplo”, destacou. Sem conseguir fazer a conversão à esquerda em qualquer uma das 19 ruas que levam para o interior do bairro, os moradores da região têm optado por transitar outras vias principais, como a Nossa Senhora Aparecida, que cruza o Monte Cristo até a rua Rosa.

Mudanças ainda mais profundas no ano que vem

No próximo ano, as mudanças no trânsito do Kobrasol e Campinas devem ser mais profundas ainda. Em campinas, mais de 20 vias serão completamente reestruturadas, com alterações de sentido, instalação de sinaleiras e de ciclofaixas.

A primeira mudança deve ser já no dia 8 de janeiro, quando todas as ruas no entorno do supermercado Giassi terão sentido único, com exceção da Irineu Bornhausen. Uma das principais vias da região, a Dom Pedro 2º, também só vai receber fluxo num único sentido. “Primeiro vamos fazer as alterações no trânsito para depois definirmos as rotas das ciclofaixas”, explicou Eliara. Entre as mudanças, está prevista a possibilidade de instalação de lombadas eletrônicas, casos os estudos comprovem a necessidade.

Para quem entra na Beira-Mar de São José, o sentido também deve ser invertido, e ao invés de cruzarem a Presidente Kennedy para a esquerda —na contramão—, o novo acesso vai inverter o sentido da saída 2 de quem transita pela Beira-Mar.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Trânsito

Loading...