Perícia já sabe velocidade de veículo que atropelou e matou adolescente em Joinville

Resultado descarta morte acidental; laudos já foram anexados ao processo, que segue agora para o Ministério Público e juiz

A perícia da Polícia Civil de Joinville já concluiu o laudo sobre velocidade do veículo que atropelou e matou Ryan André Valler de Faria, de apenas 16 anos, no dia 21 de fevereiro, bairro Itaum, zona Sul de Joinville. O crime ocorreu no cruzamento na Avenida Francisco Alves, em uma ponte.

Ryan morreu após ser atropelado Ryan estava com o pai quando foi atropelado pelo veículo – Foto: Arquivo Pessoal/Divulgação

Segundo o delegado Fábio Baja, que atendeu o flagrante e indiciou o motorista por homicídio culposo, a perícia não conseguiu indicar a velocidade, mas afirmou que o motorista estava acima do limite para a via, que é de 40km/h. “Também não foram observadas marcas de frenagem”, complementa o delegado.

Isto, segundo Fábio Baja, é o suficiente para descartar a hipótese de morte acidental.

Após o ocorrido, o motorista foi detido, mas quando estava no presídio, uma decisão judicial concedeu liberdade provisória. Homologou o flagrante, mas concedeu a liberdade até que o processo chegue ao fim.

A tragédia

Ryan André Valler de Faria estava andando de bicicleta com o pai, que estava em outra bicicleta, na noite do dia 21. Era 19h15. Foi quando um Citroen C4 atingiu o menino, que bateu contra o parabrisas e caiu. Ele recebeu atendimento médico, chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu ao forte impacto. O pai de Ryan também se feriu, mas não gravemente.

Bicicleta em que estava o adolescente – Foto: Divulgação NDBicicleta em que estava o adolescente – Foto: Divulgação ND

Segundo testemunhas ouvidas pela Polícia Civil, o motorista do
Citroen estava em alta velocidade, fez uma ultrapassagem em local absolutamente inapropriado e bateu contra o adolescente na contramão.

“Por isso, não foi considerado um acidente de trânsito e sim um crime, por conta da imprudência do motorista”, reforça Baja.

Laudos anexados ao processo

O delegado Fábio Baja juntou os laudos de todas as perícias ao processo, que agora segue para apreciação do Ministério Público e, na sequência, para o juiz.

Três foram as perícias solicitadas pelo delegado: a do local do crime, que mostrou que não houve marcas de frenagem; a do veículo, que apontou que o motorista estava acima da velocidade permitida para a via; e exame cadavérico, que mostrou a causa da morte.

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Joinville e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Trânsito