Piloto peladão para cidade, congestiona 190 e pede desculpas; veja vídeo

Cena foi filmada e compartilhada nas redes sociais, na tarde de domingo (31). De acordo com a Polícia Militar, a equipe recebeu várias ligações

A ousadia de um motociclista causou polêmica no município de Baixo Guandu, no Espírito Santo. Usando apenas capacete e chinelo, o jovem Vinicius de Paula da Silva andou completamente nu pelas ruas da cidade no último domingo (31).  As informações são do Estadão de Minas.

O motoqueiro peladão usou apenas capacete e chinelo em sua voltinha dominical pelas ruas de Baixo Guandu, ES. Foi preso a autuado por ato obsceno em local público – Foto: Reprodução/EM/NDO motoqueiro peladão usou apenas capacete e chinelo em sua voltinha dominical pelas ruas de Baixo Guandu, ES. Foi preso a autuado por ato obsceno em local público – Foto: Reprodução/EM/ND

O motoqueiro peladão foi filmado por várias pessoas e rendeu a ele uma “fama” repentina nas redes sociais. O número 190 da PM-ES (Polícia Militar do Espírito Santo) chegou a congestionar após tantas ligações pedindo que a polícia passasse o cidadão.  

Nas denúncias, a polícia recebeu o nome e endereço do motoqueiro. Os policiais foram até à sua casa, mas receberam informações de que Vinícius havia saído para dar uma voltinha de moto.

Quando voltou para sua casa, depois do show de nudismo sobre duas rodas, Vinícius foi preso e levado à Delegacia da PC (Polícia Civil). Ele foi autuado no artigo 233 do Código Penal Brasileiro, por praticar ato obsceno em lugar público, crime que prevê pena de detenção, de três meses a um ano, ou multa.

“Deu no que deu, né?” 

Depois de ser autuado, Vinícius gravou um vídeo e divulgou em suas redes sociais pedindo desculpas à população de Baixo Guandu. 

“E aí, galera! Aqui quem tá falando é o Vinícius da Silva de Paula, o vulgo peladão da cidade, que causou esse alvoroço todo aí. Deu no que deu, né? Quero pedir desculpas pra galera que não gostou e agradecer a todo mundo que gostou, e que  mandou mensagem no privado, dando força. E agradecer também a quem falou mal também. Obrigadão! Serviu de arrependimento.”

+

Trânsito