PRF escolta carro de catarinenses e possibilita cirurgia de criança de 4 anos

Menino aguardava o procedimento há dois anos, mas no caminho ao hospital encontrou um bloqueio na BR-376

Uma corrida contra o tempo com um final feliz. Assim pode ser definida a história do pequeno Vitor Hugo, de apenas 4 anos. O menino morador de Lontras, no Vale do Itajaí, contou com a escolta da Polícia Rodoviária Federal para conseguir chegar a Curitiba e passar por uma cirurgia.

O garoto aguardava há dois anos pelo procedimento, mas a caminho da unidade de saúde encontrou a BR-376 interditada por causa de um acidente de trânsito. O caso ocorreu na madrugada do dia 9 de fevereiro, quando a pista ficou bloqueada da 1h45 às 6h30.

Segundo a mãe de Vitor Hugo, Bianca, eles tinham que internar o menino às 7h no Hospital Nossa Senhora das Graças, no Paraná, para realizar a tão sonhada cirurgia. Porém, por volta das 4 horas, quando já estavam subindo a serra, encontraram a pista fechada e ficaram parados.

Vitor Hugo junto com os pais, Bianca e Samuel – Foto: Reprodução/PRFVitor Hugo junto com os pais, Bianca e Samuel – Foto: Reprodução/PRF

“O medo tomou conta do nosso coração, pois ainda estávamos longe. O Vitor usa traqueostomia e precisa de aspiração traqueal e naquele momento, parado ali, também não tínhamos como fazer a aspiração caso precisasse, mas graças a Deus ele se manteve dormindo e calmo”, conta.

Foi então que a mãe decidiu ligar para a Polícia Rodoviária Federal e pedir ajuda. Para abrir caminho e permitir a passagem da família catarinense os agentes fizeram a escolta. Mais de 100 caminhões foram movimentados de posição, sendo necessário acordar dezenas de motoristas que dormiam nas cabines enquanto aguardavam a liberação da via.

O veículo foi levado até um ponto depois do acidente, onde conseguiram passar para seguir viagem.

“Conseguimos passar graças ao trabalho incrível dos policiais que fizeram o impossível por meu pinguinho de gente. Chegamos lá no hospital faltando 10 minutos para a internação. Puxa! Que sufoco e adrenalina começar nosso dia assim”, afirma a mãe.

A doença

O menino nasceu com micrognatia severa, que é quando o osso da mandíbula não se desenvolve adequadamente, impossibilitando-o de se alimentar e até de respirar. Com isso, precisa de traqueostomia e come através de sonda gástrica.

Vitor conseguiu fazer a cirurgia, que foi um sucesso, e já está se recuperando em casa.

“Só agradeço primeiramente a Deus, e só tenho a agradecer a esses policiais. Quando o Vitor crescer e entender melhor as coisas eu sempre vou contar isso que a gente passou pra ele e, quem sabe quando ele crescer e se for da vontade dele, ele seja um PRF também”, finaliza Bianca.

Acesse e receba notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp do ND+

Entre no grupo
+

Trânsito