Terceiro dia de retorno do transporte tem 22 viagens extras em Florianópolis

Novos trajetos foram mobilizados pela Prefeitura da Capital até o início da tarde desta sexta-feira (19), para garantir o cumprimento da distância social nos coletivos

Terminal de Integração de Canasvieiras concentrou maior demanda de passageiros nesta sexta-feira (19) – PMF/Divulgação/ND

Até o início da tarde desta sexta-feira (19), terceiro dia do retorno do transporte coletivo em Florianópolis, a Prefeitura da Capital mobilizou 22 viagens extras além das que estavam previstas nos itinerários dos veículos, para garantir que o distanciamento social fosse cumprido durante o trajeto, 14 no Norte da Ilha, cinco para o Sul, uma para o Leste e duas para o Centro. O Tican (Terminal de Integração de Canasvieiras) concentra a maior demanda de passageiros durante o dia.

Kátia da Rosa, 51, aposentada, foi uma das pessoas que utilizou o transporte público para voltar para casa, no bairro Ingleses, nesta sexta-feira. “Tive que vir ao Centro hoje para um exame que não podia adiar, pois fiz uma cirurgia no final do ano passado. Se não tivesse o ônibus teria que pagar muito por uma viagem em aplicativos de transporte individuais. A viagem para vir até a consulta foi muito tranquila, todos usavam máscara, tinha álcool gel no veículo, o que me deixou muito mais tranquila para retornar agora também pelo transporte coletivo”, avalia.

No segundo dia de retomada da atividade, na quinta-feira (18), foram  disponibilizadas 22 viagens extras, registrados 27.355 passageiros  e 5.300 viagens, ao todo. A maior demanda ocorreu nas primeiras horas a partir das 5h, diminuindo no decorrer do dia, após às 9h. A previsão é de que o número de passagens desta quinta-feira, 18, alcance o número de 25 mil, o que significaria 10% do movimento anterior à pandemia.

“Desde quarta-feira, a volta à atividade do transporte coletivo no município tem sido muito positiva, os usuários têm respeitado as normas, mantido o distanciamento social, usado máscaras e cumprido os protocolos de biossegurança estabelecidos. Tivemos poucas ocorrências, que logo foram resolvidas, de casos em que essas regras não estavam sendo seguidas. Hoje Florianópolis virou uma referência em protocolo em transporte coletivo para todo o Brasil e muitos nos questionam como estamos conseguindo. Isso é resultado de  uma equipe muito qualificada e uma  estrutura de inteligência. Analisamos cada linha, sua performance  e matriz de risco, onde com mais movimentos e os ajustes são feitos imediatamente”, explica o prefeito da Capital.

No segundo dia de retomada da atividade, na quinta-feira (18), também foram disponibilizadas 22 viagens extras para atender a demanda – Leonardo Sousa/ PMF/Divulgação/ND

Retorno com tranquilidade

O transporte coletivo voltou a operar na quarta-feira (17), em um dia tranquilo em que foram registradas poucas viagens, com uma nova tabela de horários: confira as linhas. Também foram feitas adequações em toda a atividade para que os usuários voltem a usufruir do serviço em segurança. Os ônibus só poderão circular na cidade de segunda a sexta-feira e não poderão exceder a ocupação de 40% por veículo, por exemplo.

O serviço foi retomado em fase de testes, que deve se estender por até duas semanas. Caso a prefeitura avalie que a reabertura representa riscos à saúde pública, poderá suspender novamente a atividade. Foram reabertas também todas as bilheterias dos terminais de ônibus. Neste locais, o cartão cidadão pode ser solicitado das 11h às 17h. No Ticen (Terminal de Integração do Centro), esse tipo de serviço também estará disponível das 11h às 17h.

A prefeitura também exigiu uma série de normas de biossegurança para esse retorno. Uma das medidas, durante esse período de preparação para a retomada da atividade, foi a testagem de todos os 1.500 colaboradores que trabalharão no setor.

Quem vai utilizar o transporte público, alerta o município, deve se atentar às normas de biossegurança antes mesmo do embarque, durante a viagem, e também nos terminais. A máscara deve ser utilizada em cada uma dessas situações. A administração municipal orienta ainda os usuários a evitarem aglomerações nos pontos de paradas e se possível, a organizarem filas nesses locais. O contato com outras pessoas deve ser evitado, assim como conversar estando próximo à outra pessoa, já que o vírus circula facilmente pelo ar.

O ideal, informa a Secretaria Municipal de Saúde, é que o usuário higienize suas mãos antes e depois de entrar no ônibus e evite qualquer tipo de contato com as estruturas dos veículos. Já no interior do ônibus, recomenda-se que o usuário dê preferência aos locais próximos das janelas, deixando livre os corredores para passagem dos próximos usuários. Todas as janelas devem ser mantidas abertas mesmo em dias frios ou de chuva. Não é permitido se alimentar nos ônibus e nos terminais.

Prefeitura de Florianópolis  exigiu uma série de normas de biossegurança para o retorno da atividade na capital catarinense – Leonardo Sousa/PMF/Divulgação/ND

Adesão ao check-in

A adesão ao sistema de check in no transporte coletivo tem sido expressiva, de acordo com a Secretaria de Mobilidade Urbana de Florianópolis. Apenas nesta sexta-feira, foram registrados 18.932 check-ins no sistema que visa rastrear possíveis transmissões comunitárias da Covid-19 entre os usuários. Até o momento,52.064 pessoas se cadastraram na plataforma para habilitarem o check in em viagens futuras até o momento.

De acordo com o relatório apresentado pela Secretaria de Mobilidade e Planejamento Urbano, não foram registrados casos de superlotação nos veículos e nenhuma ocorrência foi relatada à Guarda Municipal de Florianópolis. De modo geral, os passageiros têm seguidos as normas, mas foram registrados casos pontuais onde os cobradores tiveram de solicitar o uso correto da máscara para alguns usuários. Alguns passageiros também foram orientados a sentar em lugares separados.

O secretário de Mobilidade Urbana da cidade, reforça  os bons resultados da operação. “É um modelo que necessita de ajustes, claro, mas que nos dá uma base segura para aprimorarmos a operação conforme o aumento da demanda de passageiros. Aproveito para reforçar que a população use somente se for necessário, deixando portanto, o transporte coletivo para os trabalhadores que precisam”, explica o Secretário de Mobilidade Urbana da Capital, Michel Mittmann.

+

Prefeitura de Florianópolis