Chapecó seguirá portaria do Estado para liberar ônibus interestadual

Prefeito de Chapecó reforçou que município está em sintonia com o governo do Estado no que diz a estudo técnico embasado em ciência

Em Chapecó, no Oeste de Santa Catarina, o prefeito Luciano Bulignon comentou em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (5), que vai seguir as regras da SIE (Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade), ou seja, liberar a circulação do transporte coletivo interestadual na cidade.

A retomada do transporte coletivo interestadual de passageiros está autorizada, desde a última segunda-feira (3), por parte do Governo do Estado. Com base nos estudos feitos pela SIE, o prefeito salientou que “as regras estão muito bem claras por uma portaria já publicada”.

Chapecó seguirá portaria do Estado para liberar ônibus interestadual, segundo o prefeito, Luciano Buligon – Foto: Reprodução/NDTV

Ainda conforme o prefeito, Chapecó é uma região importante e “estudos técnicos foram feitos para liberação desses serviços. Chapecó tem uma sintonia com o Governo do Estado que, quando a Secretaria de Estado tem um estudo técnico embasado em ciência, nós vamos acompanhar”, frisa o prefeito.

Medidas mais restritivas

Desde o dia 23 de março, início da pandemia, a fiscalização em Chapecó para o combate ao novo coronavírus é constante. Até o momento já foram registrados 14 laudos pelo descumprimento no uso de máscaras, 36 pessoas autuadas por aglomerações e o não cumprimento de isolamento chegam a 34. Teve ainda 16 interdições de estabelecimento e, vistorias e denúncias somam 1.044.

Porém, a Prefeitura de Chapecó pretende tomar medidas mais severas e já elabora um projeto de lei para que estabelecimentos comerciais que descumprirem as regras possam ter alvarás cassados.

“O projeto de lei deverá ser encaminhado no máximo até segunda-feira (10) para a Câmara de Vereadores de Chapecó para votação. Se algum caso chegar ao extremo de descumprimento será caçado o alvará”, comenta Bulignon.

Diárias de leitos em hospital particular

Outro assunto questionado ao prefeito durante a coletiva de imprensa foi com relação ao pagamento de diárias por leitos de UTI em um hospital particular da cidade. Conforme Bulignon, o contrato foi assinado, porém até o momento nenhum leito precisou ser utilizado.

“Vale quando terminar os leitos do HRO (Hospital Regional Oeste), então já temos contrato para adquirir espaço de UTI no hospital particular. O que esperamos é que não sature os leitos do HRO”.

A Prefeitura de Chapecó contratou 600 diárias de UTI pelo custo de R$ 3.250,00 cada. Conforme relatório divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde, Chapecó já soma 4.706 casos confirmados da Covid-19, registrando 23 óbitos pela doença.

+

Transportes