Gasolina e ônibus caros: andar de bicicleta é opção em Blumenau?

Levantamento do ND+ mostra os desafios da cidade quando o assunto é espaço seguro para ciclistas

Fechar as contas no fim do mês não tem sido tarefa fácil para os blumenauenses. Não bastasse o preço do litro da gasolina chegar aos R$ 5,29, o valor do transporte coletivo também aumentou para R$ 4,7. A bicicleta seria uma opção viável para economizar, mas esbarra em um problema: a falta de ciclovias e a desconexão entre as existentes.

Gasolina e ônibus caros: andar de bicicleta é opção em Blumenau? – Foto: Giovani Seibel/Arquivo pessoalGasolina e ônibus caros: andar de bicicleta é opção em Blumenau? – Foto: Giovani Seibel/Arquivo pessoal

Apenas 7,7% da ruas de Blumenau contam com espaços destinados a quem escolhe andar de bike, de acordo com dados da própria Secretaria Municipal de Planejamento Urbano. São 111 quilômetros de malha cicloviária – incluindo faixas exclusivas e compartilhadas – em uma cidade com 1.424 KMs de estradas.

O Plano de Mobilidade Urbana de Blumenau, elaborado em 2016, aponta que “como grande parte das viagens realizadas em áreas urbanas é para distâncias menores que três quilômetros, estas podem ser realizadas por bicicleta, caso haja infraestrutura que ofereça segurança e conforto para o ciclista“.

O que os ciclistas encontram na realidade não é bem isso. Em corredores de serviço importantes, como as ruas São Paulo, das Missões e Frei Estanislau Schaette não há ciclofaixas, nem ciclovias ou passeios compartilhados. Nestes casos, o Código Brasileiro de Trânsito recomenda pedalar na pista, junto aos carros, respeitando um metro e meio de distância.

É uma orientação difícil de ser seguida dependendo da rua. Sheila Bianch faz uso diariamente da bike, mas restringiu os trajetos em virtude da falta de espaço adequado para circulação de ciclistas. “Tenho medo de andar na rua porque já fui atingida por um carro”, conta a empresária.

As dificuldades enfrentadas por quem tenta usar a bicicleta para se locomover em Blumenau foi tema de reportagem do Balanço Geral:

É preciso ampliar a malha cicloviária

Atualmente, a maior parte das ciclovias em Blumenau está em vias de fluxo intenso, porém poucas estão interligadas. Isto um problema sério na análise da ABC Ciclovias, conta o integrante da entidade Giovani Seibel. Ele avalia que a fragmentação das faixas causa dificuldade àqueles que decidem partir para a bike e fugir do ônibus ou do carro.

Para 2021 a prefeitura planeja entregar mais de 20 quilômetros de ciclovias, ciclofaixas e passeios compartilhados, segundo o diretor de Mobilidade Urbana, Paulo Sérgio da Costa Junior. Serão 6KMs para implantar ciclovia desde o início da rua Dois de Setembro até a rua República Argentina, ligando os bairro Itoupava Norte e Ponta Aguda.

Confira abaixo a evolução das ciclovias em Blumenau por ano:

Participe do grupo e receba as principais notícias
de Blumenau e região na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Transportes