Uber e 99 anunciam reajustes por sequência de altas no combustível

Reajuste na tarifa da 99 pode chegar a 25%; litro da gasolina ultrapassa R$ 6 em algumas cidades de Santa Catarina

Os aplicativos de transporte Uber e 99 anunciaram na sexta-feira (10) o reajuste no ganho dos motoristas, tendo em vista o aumento constante no preço dos combustíveis. Na 99, o reajuste deve ser de 10% a 25% e vale para diversas regiões metropolitanas, inclusive Florianópolis.

Com alta constante no combustível, Uber e 99 anunciam reajustes – Foto: Uber/Divulgação/NDCom alta constante no combustível, Uber e 99 anunciam reajustes – Foto: Uber/Divulgação/ND

A Uber garantiu que o reajuste não vai afetar o preço da corrida para o usuário. “Com o aumento constante dos combustíveis, a Uber tem intensificado seus esforços para ajudar os motoristas parceiros a reduzirem seus gastos”, afirmou a empresa.

A empresa não informou se o repasse do reajuste será feito de forma integral ao motorista.

Alta dos combustíveis

Em meio à alta do produto em todo o país, com preços até mesmo ultrapassando incríveis R$ 7 o litro em alguns locais, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo), os condutores encontraram preços “salgados” nas bombas em Santa Catarina.

De acordo com a ANP, o preço médio da gasolina comum em Santa Catarina é de R$ 5,739. O valor foi registrado em pesquisa entre 29 de agosto e 4 de setembro. O valor mais alto foi encontrado na cidade de Concórdia, na região Oeste, com R$ 6,149.

As perguntas que ficam são: Santa Catarina tem previsão para chegar ao preço de R$ 7 no litro da gasolina? Até que ponto a paralisação afetou os valores?

De acordo com a gerente geral do Sindipetro (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Santa Catarina), Pâmela Alessandra Bento da Cunha, não é possível fazer uma projeção de aumento de preço no momento, uma vez que há muitas variáveis que mudam o preço do produto.

“Isso [preço] varia muito, depende da Petrobras ou das usinas e a base de cálculo do preço de pauta, tudo já afeta o valor. O etanol anidro, por exemplo, tem aumentado toda semana. Fica difícil saber como serão os próximos meses”, explica a gerente.

A gasolina subiu 2,80% e teve o maior impacto individual no IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) do mês passado. Etanol (4,50%), gás veicular (2,06%) e óleo diesel (1,79%) também ficaram mais caros.

“O preço da gasolina é influenciado pelos reajustes aplicados nas refinarias de acordo com a política de preços da Petrobras. O dólar, os preços no mercado internacional e o encarecimento dos biocombustíveis são fatores que influenciam os custos, o que acaba sendo repassado ao consumidor final. No ano, a gasolina acumula alta de 31,09%, o etanol 40,75% e o diesel 28,02%”, concluiu o analista da pesquisa do (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), André Filipe Guedes Almeida.

*Com informações da Agência Brasil e Estadão

+

Transportes

Loading...