Manezinho chega ao tricampeonato de triatlo infantil e já mira o Ironman

Igor Bertoli, aos 12 anos, esbanja energia e motivação na modalidade em que já é apontado como uma das maiores promessas do País

#NãoParaNunca… É essa marca que rege Igor Bertoli Meira, 12 anos, atual tricampeão brasileiro de triatlo infantil e grande promessa catarinense da modalidade. Depois de mais um ano de muito treinamento e outras tantas conquistas, o jovem, que é natural de Florianópolis, projeta voos internacionais em 2020 e sonha com o Ironman futuramente.

Igor Bertoli, de Florianóplis para o mundo – Foto: Foto Flavio Tin/NDIgor Bertoli, de Florianóplis para o mundo – Foto: Foto Flavio Tin/ND

A hashtag que Igor Bertoli estampa suas redes sociais e até sua pasta de amendoim de confecção própria (sim, ele mesmo produz e vende a iguaria), define o pequeno atleta até em seus trejeitos.

Leia também

No intuito de produzir o material para o Grupo ND, Igor, a todo instante, precisava ser alertado sobre a necessidade de ter mais calma na gravação das imagens e na ansiedade em competir mesmo que de “brincadeira”.

“O grande desafio é segurar ele. Como ele está de férias, quero que ele entenda que é preciso ter um pouco de férias, é importante ‘destreinar’ para depois treinar novamente. É até difícil explicar isso para uma criança”, contou Rodrigo Baltazar, professor de educação física que é treinador de Igor há quase dois anos e relata um tratamento de “pai para filho”.

Igor Bertoli, atleta de triatlo de Florianópolis – Foto: Foto Flavio Tin/NDIgor Bertoli, atleta de triatlo de Florianópolis – Foto: Foto Flavio Tin/ND

A realidade é que Igor Bertoli é uma criança e, aos 12 anos, precisa ser alertado pelos pais que é necessário, por vezes, agir como tal. Inquieto, ele até é resistente ao admitir que está em férias escolares e precisa estender isso para o treinamento e para o seu corpo.

“É uma satisfação até ter que segurar ele para que ele aproveite o fato de ser uma criança. Que ele tenha o tempo livre para jogar videogame, jogar futebol”, acrescentou Baltazar.

Treinamento duro e ano de mais evolução

Descoberto a partir de uma escolinha de triatlo em São José, Igor se destacou, desde o início, por querer chegar antes dos treinamentos e sair depois.

Essa alma que ele fez chamar a atenção do então futuro treinador, é o grande segredo para a constante evolução que o jovem florianopolitano vem apresentando.

“Quando vimos ele, constatamos que ele tinha um bom pedal, uma natação e uma corrida razoáveis, tivemos que intensificar. Ele foi campeão não porque é o Igor, mas por ter ralado muito”, contou Baltazar.

Igor, ao ser questionado, apesar da pouca idade admitiu suas evoluções e sua necessidade de melhora para seguir galgando espaço na modalidade.

“Eu consegui melhorar a natação, foquei mais sério nos treinos para, no futuro, fazer o Ironman”, prometeu o pródigo atleta que conquistou, além do tricampeonato nacional, títulos em Santa Catarina e toda região Sul.

Igor Bertoli, destaque do triatlo florianopolitano. Crédito: Flávio TinIgor Bertoli, destaque do triatlo florianopolitano. Crédito: Flávio Tin

Apesar do desejo, a principal competição de resistência do planeta exige 18 anos como idade mínima para ser disputada. Até lá, objetivo de Igor é bem definido: a experiência internacional.

“Eu quero aos 14 e 15 anos vai ter os campeonatos mundiais e aí estamos vendo. Eu pretendo competir internacionalmente em 2020. Quero treinar, treinar e treinar”, projetou o imparável Igor.

Para o tutor Rodrigo Baltazar esse é momento de colocar Igor para competir internacionalmente até para, nesse caso, sentir o nível dos atletas do continente e até do mundo.

Celeiro de atletas

A fim de exaltar ainda mais os resultados do jovem Igor, Baltazar lembra que Santa Catarina é um terreno fértil para modalidades ao ar livre. Ele lembra que o Estado conta com diversas escolinhas – e uma delas revelou Igor – possui diversos atletas com a trajetória e até o nível do florianopolitano.

Um dos vetores dessa espécie de simbiose entre Igor e o triatlo, é o fato de ser uma modalidade que dificulta a rotina. A possibilidade de explorar essa ou aquela modalidade faz com que, seja pelo motivo que for, o atleta pode “optar” por pedalar, nadar ou correr.

Baltazar ainda lembra um ponto fundamental para o precoce sucesso de Igor: a sua vontade.

“Se você pratica um esporte feliz, a chance de ter bons resultados aumenta e isso independe se é para competir ou somente para performance. Se a pessoa fizer de maneira satisfeita, tem mais chance de chegar ao objetivo”, acrescentou o técnico.

Apesar da pouca idade, Igor exporta motivação e empolgação a cada sorriso. Questionado sobre seu grande sonho, o menino fez questão de relembrar seu slogan – ou o início da matéria.

“Meu sonho é não parar nunca, é hashtag não para nunca”.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Triatlo

Loading...