Fabio Gadotti

Comportamento, políticas públicas, tendências e inovação. Uma coluna sobre fatos e personagens de Florianópolis e região.


“A retomada é o carro-chefe”, diz superintendente de Turismo de Florianópolis

Confira os planos de Vinícius de Lucca, que volta ao cargo na terça-feira (17)

Depois de comandar a superintendência de Turismo da Capital de janeiro de 2017 a abril do ano passado, o professor Vinícius de Lucca volta ao cargo na semana que vem a convite do prefeito Gean Loureiro (DEM).

Vinícius de Lucca – Foto: Divulgação/NDVinícius de Lucca – Foto: Divulgação/ND

“A retomada é o carro-chefe”, afirma o professor do Instituto Federal de SC, que também destaca a importância da retomada dos eventos e melhoria da “conectividade aérea” da cidade. Confinara a entrevista à coluna.

Você reassume a superintendência de turismo de Florianópolis em meio a uma temporada totalmente atípica por conta da pandemia. Que análise pode ser feita da temporada, sob o ponto de vista do fluxo turístico e do impacto na economia?
O fluxo foi muito mais baixo que nos anos anteriores. A atividade turística despencou em todo o mundo. Em Florianópolis a queda foi de, no mínimo, 70%. Em fluxo no aeroporto foi de mais de 40% e na rodoviária em mais de 50%. Isso impacta a cidade inteira, não só aqueles que trabalham diretamente com turismo. Menos recursos circulando impacta a todos.

O que não foi possível fazer na primeira passagem pelo cargo e volta à pauta agora? Será retomado, por exemplo, o projeto para atrair transatlânticos?
De 2017 a 2020, a cidade recebeu muitos investimentos. A prefeitura aperfeiçoou a infraestrutura dos balneários – com o Programa Dax um Banho (chuveiros, acessibilidade, manutenção em todos os acessos às praias) e com o Praia Iluminada. Instalamos centenas de estruturas de sinalização turística no período. Melhoramos todos os 156 quiosques das praias e implantamos a capacitação para os ambulantes.

Fizemos a concessão do Carnaval e hoje o investimento nos mais de 70 blocos são 100% privados. A Fenaostra 100% Manezinha, no Centro e com entrada franca, foi um sucesso de público. Todas essas ações carecem de continuidade e melhorias.

Sem falar da entrega do Aeroporto Internacional Hercílio Luz, da Ponte Hercílio Luz, da SC-401, do engordamento da praia de Canasvieiras e o novo Largo da Alfândega. Agora teremos os engordamentos de Jurerê e Ingleses, além da nova Avenida das Rendeiras e da nova ponte da Lagoa, entre outras obras já anunciadas pelo prefeito Gean Loureiro.

Em breve vamos implantar o Selo para ônibus – que vão, obrigatoriamente, ter que já inserir no sistema de autorização o guia de turismo que estará com o grupo. Precisamos construir o Centro de Turismo Receptivo, na entrada da cidade, um equipamento de alto nível que possa bem receber os turistas rodoviários.

Canasvieiras, no Norte da Ilha de SC – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/NDCanasvieiras, no Norte da Ilha de SC – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Quais os principais impactos da pandemia no comportamento do turista? Já é possível avaliar?
Algumas pesquisas trazem a diminuição da data da reserva até a data da viagem; o incremento nas viagens de carro para destinos mais próximos da residência; aumento de fluxo em destinos para turismo de natureza – e isso nos coloca em evidência, sobretudo para o aproveitamento de nossas trilhas.

Com a adoção do trabalho remoto por um contingente maior de pessoas, tem aumentada a mistura de viagens de trabalho e de lazer (chamado de bleisure – business + leisure). A busca por viagens para locais que ofereçam boas condições para o home office (como conexão de qualidade com a internet) e recreação para as crianças cresceu.

Além disso, a cidade estabeleceu protocolos de segurança, o smart tracking e outras ações que nos colocam em boa posição no quesito segurança em saúde para viagem.

O que vai ser prioridade e o que muda em relação ao que vinha sendo feito na superintendência?
O momento é outro. A retomada vai ser o carro-chefe. Temos algumas ações já em execução, como o Floripa Mais Empregos e o retorno da promoção turística.

O acompanhamento do Parque Urbano e Marina da Beira-Mar Norte e o processo de concessão da Ponte Hercílio Luz e entornos são fundamentais, sob a batuta do secretário Juliano Pires.

Vamos trabalhar em conjunto com a Floripa Airport (concessionária do Aeroporto Internacional Hercílio Luz), com o governo do Estado e com o trade para melhorar a conectividade aérea da cidade. A retomada dos eventos é outra missão fundamental.

A utilização de informações para a gestão com dados de pesquisa de demanda, avaliação da qualidade de atrativos e equipamentos e gestão da reputação on line do destino. O aprofundamento das relações entre turismo, tecnologia e cultura (como o Floripa Conecta, a arte urbana e outros) serão priorizados também.