Aventura de Fusca: trio de amigos visita o Uruguai durante viagem por 18 países

Grupo visitou a Casa Pueblo, que guarda obras de Salvador Dalí e Pablo Picasso

O trio de amigos que deixou Florianópolis rumo ao Alasca, em um Fusca 1976, chegou ao segundo país dos 18 que pretendem visitar. Os viajantes iniciaram a jornada no dia 1º de maio e, nos últimos dias, exploraram as belezas do Uruguai. A estimativa de Raphael Prata, Adriano Medeiros e Lucian Antunes é que o trajeto até o destino final leve um ano para ser percorrido.

Registro do fusca Lya no Uruguai – Raphael Yuri/Divulgação/ND

A última parada em terras catarinenses foi na cidade de Urussanga, onde um dos integrantes se despediu da família. Já no Rio Grande do Sul, o trio passou por Caxias do Sul e Novo Hamburgo, onde participou do 16º Encontro Sul Americano de Fuscas e Porto Alegre. Lá eles ainda pegaram o visto para entrar nos Estados Unidos.

Da capital gaúcha, o grupo partiu rumo a Pelotas, onde fez uma parada no sítio de Nauro Júnior, da Fuscamérica, um dos pioneiros em expedições de fusca e que já percorreu 17 países. A estadia no sítio proporcionou ao trio um dos poucos momentos de “luxo” que tiveram ao longo da viagem: uma cabana com cama, cozinha e banho quente.

Antes de partir para o Chuí, o trio fez uma rápida parada em Santa Vitória do Palmar, onde ganhou os adesivos da expedição, à venda no site do projeto. A venda dos adesivos é uma forma de ajudar o grupo a chegar até o Alasca.

Amigos passaram por um dos destinos turísticos mais famosos do Uruguai: a Casa Pueblo – Raphael Yuri/Divulgação/ND

Entrar no Uruguai não foi tão fácil. Os amigos tiveram problemas para fazer a carta verde, seguro obrigatório que permite ao veículo transitar no país. Demoraram cerca de duas horas para encontrar um lugar que fizesse o seguro para carros anteriores ao ano de 1985. A Lya, nome do fusca utilizado na viagem, é de 1976.

Passada a dificuldade, o grupo reserva só elogios ao país. “O Uruguai é lindo. Os pastos, a vegetação, os animais, de cara você sente a diferença”, descreve Raphael. No entanto, ao tentarem acampar na praia de Punta del Diablo, região litorânea do país, o fusca atolou. “Não tínhamos comido nada ainda é já era umas 18h. Depois de duas horas, conseguimos desatolar a Lya e fomos comer”, revelou. No cardápio, pão com hambúrgueres, tomate e maionese – a única refeição do dia.

Leia também:

Após realizarem o desejo de acampar na praia, o trio apreciou o nascer do sol e partiu rumo a Punta del Este. Lá os viajantes ficaram na casa de um amigo, também proprietário de um fusca. Na segunda cidade uruguaia, o trio aproveitou para conhecer a praia e um dos destinos turísticos mais famosos de lá: a Casa Pueblo, que guarda obras de Salvador Dalí e Pablo Picasso.

Nesta segunda-feira (20), os viajantes seguem para Montevideo, rumo a novas aventuras. A jornada pode ser acompanhada pelo Instagram do projeto.

+

Turismo