Chegada de turistas anima comerciantes de Florianópolis, que ainda pregam cautela

Setor hoteleiro registra busca intensa de reservas para o mês de janeiro, mas a ausência de turistas de países vizinhos ainda é tratada como um ponto negativo pelos comerciantes

A chegada dos turistas nesta primeira semana de verão começa a animar os comerciantes de Florianópolis. No entanto, a ausência de pessoas dos países vizinhos e a presença do coronavírus ainda gera um cenário de cautela e incerteza.

Praia de Canasvieiras registra intensa movimentação em dezembro – Foto: Leo Munhoz/NDPraia de Canasvieiras registra intensa movimentação em dezembro – Foto: Leo Munhoz/ND

Assim como trouxe a reportagem do ND+, a Capital registra uma mudança no “perfil” dos turistas no início da temporada. Isso porque é comum encontrar mais pessoas de outros Estados, por exemplo, Paraná, São Paulo e especialmente do Rio Grande do Sul.

Joel Paiva trabalha no aluguel de cadeiras e guarda-sol na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha de Santa Catarina – Foto: Leo Munhoz/NDJoel Paiva trabalha no aluguel de cadeiras e guarda-sol na praia de Canasvieiras, no Norte da Ilha de Santa Catarina – Foto: Leo Munhoz/ND

“O movimento melhorou desde o Natal e a expectativa é que siga assim daqui até o fim da temporada de verão. Porém, nos 15 anos que trabalho na praia, o melhor verão foi em 2009 porque veio muito argentino e o peso estava em um bom preço. Era normal encontrar até mesmo alguns americanos. O pessoal da Argentina e do Chile são bons de negócio e gostam de gastar”, relembra Joel Paiva, que trabalha no aluguel de cadeiras e guarda-sol.

Mesmo assim, o cenário segue positivo em comparação ao verão de 2020, que foi afetado pelo auge da pandemia do coronavírus.

Rognei Soares Machado, comerciante em Canasvieiras, Florianópolis – Foto: Marcos Jordão/NDRognei Soares Machado, comerciante em Canasvieiras, Florianópolis – Foto: Marcos Jordão/ND

“Acredito que já esteja melhor que as outras temporadas. Percebemos a chegada de muitos brasileiros que buscam o turismo doméstico. Em Canasvieiras, que é reduto de argentinos, o movimento de turistas de países vizinhos segue bem fraco, até o momento”, explica Rognei Soares Machado, dono de um restaurante na praia do Norte da Ilha de Santa Catarina.

Segundo o presidente da ABIH/SC (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de Santa Catarina), Rui Schurmann, o “forte” da chegada de turistas que vem da Argentina é no início de janeiro, especialmente nas duas primeiras semanas. Dessa forma, a expectativa é de um verão bem movimentando em Florianópolis, mesmo com o cancelamento dos fogos de artifício.

Além disso, o secretário do Núcleo Setorial de Hotéis do Norte da Ilha de Santa Catarina, Rafael Sola, mostra como o verão deve seguir com uma movimentação intensa mesmo após a virada do ano.

“Janeiro tem uma taxa de confirmação alta e os hotéis já estão recusando algumas reservas. O brasileiro que deixar para a última hora terá dificuldades para garantir as melhores casas e hotéis em Florianópolis”, complementa Rafael Sola para a reportagem da NDTV.

Rafael Sola fala sobre os atrativos para o turismo local, especialmente para Florianópolis – Vídeo: NDTV/Reprodução/ND

Andréa Cubas Monteiro, gerente de um hotel próximo da orla da praia de Canasvieiras, confirma a maior busca por hospedagem de pessoas de outros locais do Brasil e que diversos turistas da Argentina ainda pretendem visitar o Brasil, mas encontram um empecilho.

Andréa Cubas Monteiro, gerente de hotel em Canasvieiras, Florianópolis – Foto: Leo Munhoz/NDAndréa Cubas Monteiro, gerente de hotel em Canasvieiras, Florianópolis – Foto: Leo Munhoz/ND

“Eles querem vir para o Brasil, mas ainda estão temerosos por falta de informações sobre o que é necessário para entrar no país por conta das exigências sanitárias”, ressalta Andréa Cubas Monteiro.

Com mais de 40 anos trabalhando no setor hoteleiro, Andréa Cubas Monteiro relembra que um dos períodos de maior busca dos “hermanos” em Florianópolis foi nos anos de 1970 e 1980.

“Os argentinos tiveram uma grande responsabilidade no desenvolvimento e movimentação do turismo na Ilha. Eles trouxeram muitos empregos, de forma direta e indireta”, explica a gerente.

Patrício Adrover é um dos turistas que resolve visitar Florianópolis e adotar a Ilha como seu lar. Desde 2015 na Capital, ele trabalha na praia de Canasvieiras com um carrinho de drinks e destaca que o movimento ainda depende do dia.

Patrício Adrover, comerciante na praia de Canasvieiras- Foto: Leo Munhoz/NDPatrício Adrover, comerciante na praia de Canasvieiras- Foto: Leo Munhoz/ND

“O movimento ainda não é muito certo porque tem dias que está bem movimentado e outros que está mais fraco. Faz seis anos que estou morando aqui e sempre trabalhei na praia”, relata Patrício Adrover.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...