Conheça a Praia da Pinheira, em Palhoça: trilhas nos costões e passeios de barco

Localizada dentro do Parque Estadual Serra do Tabuleiro, mantém áreas ainda pouco visitadas devido às dificuldades de acesso

Sendo impossível ser apenas uma, a Pinheira é três, talvez quatro. A extensão dessa praia de Palhoça, a cerca de 50 quilômetros do Centro de Florianópolis, só não é maior do que a beleza de suas trilhas, costões e a simpatia e os sorrisos distribuídos pelos locais.

Localizada dentro do Parque Estadual Serra do Tabuleiro, a Pinheira mantém áreas ainda pouco visitadas devido às dificuldades de acesso. Isso colabora para a manutenção desse jeito meio rústico que atrai milhares de turistas à Palhoça.

Praia de Baixo, na Pinheira – Foto: Gabriel Lain/NDPraia de Baixo, na Pinheira – Foto: Gabriel Lain/ND

Na tarde de quinta-feira (2) quando a reportagem do ND+ esteve na Praia de Baixo, um grupo de 11 pessoas, entre amigos e familiares, havia recém-chegado às primeiras férias na região.

Concentração de pousadas

Júlia Schmidt organizava o passeio de estreia da turma, uma volta de barco pelas praias próximas. “Estou muito ansiosa, planejei tudo e agora quero curtir”, comenta. Ninguém do grupo duvida de que será inesquecível.

Há trilhas nos costões entre a Pinheira e a Guarda do Embaú – Foto: Gabriel Lain/NDHá trilhas nos costões entre a Pinheira e a Guarda do Embaú – Foto: Gabriel Lain/ND

A Pinheira é mais do que praia. É um grande bairro, um vilarejo de Palhoça com infraestrutura para atender moradores e turistas. É nesse bairro onde se concentra o maior número de pousadas do município e que no ano passado hospedou mais de 30% dos turistas.

O funcionário público de Esteio (RS) Djalma Pacheco morou em Florianópolis durante um tempo e desde quando mudou-se para a cidade gaúcha, há 10 anos, nunca deixou de voltar à Grande Florianópolis com a esposa Vanessa.

Apaixonados pelas belezas locais, estão hospedado na Pinheira até esse final de semana quando termina a folga. A volta já está planejada para daqui a poucos meses.

“Vamos vir para a Procissão do Senhor dos Passos. Estamos sempre por aqui, seja de férias ou recesso de feriado”, afirma Vanessa.

Djalma e Vanessa, de Esteio (RS), não perdem um feriado na Pinheira – Foto: Gabriel Lain/NDDjalma e Vanessa, de Esteio (RS), não perdem um feriado na Pinheira – Foto: Gabriel Lain/ND

Estrutura e segurança

Nas praias da Pinheira, os banhistas dispõem de estrutura de restaurantes, lanchonetes, lojas, banheiros e segurança. A Polícia Militar mantém patrulhas e policiamento estático e o Corpo de Bombeiros, guarda-vidas.

Na tarde de quinta-feira, o guarda-vidas civil Juciano Corte utilizou o apito para desencorajar um trio que tentava recuperar uma bola levada por uma rajada do vento sul.

Em cima de uma pedra do costão e sem tirar os olhos dos banhistas, Juciano diz que o importante é prevenir atitudes arriscadas, como a dos amigos que brincavam com a bola.

“Tem poucos dias que um jovem perdeu a vida porque tentou recuperar uma bola lá em São Miguel [balneário de Biguaçu]. Ali onde eles estão [os amigos] é raso, mas quem é que sabe como pode estar mais para dentro? O melhor é prevenir”, alerta o guarda, que atua em sua primeira temporada.

Barco pesqueiro faz passeio com turistas durante o verão – Foto: Gabriel Lain/NDBarco pesqueiro faz passeio com turistas durante o verão – Foto: Gabriel Lain/ND

Passeio num pesqueiro

No inverno ele pesca, no verão, passeia. É assim a vida do Estrela Guia, o barco do seu Valdo, pescador nativo da Pinheira. Para os turistas atentos, fazer uma viagem na embarcação é uma experiência que os aproxima dos moradores locais.

A aposentada Terezinha Pedrett, de Joaçaba, no Meio Oeste de SC, está de férias na Pinheira e deixou o medo na mala para viver “momentos inesquecíveis”.

Terezinha conta que fez o passeio para “ver melhor” os costões e o mar. “As belezas que vi me fizeram até esquecer das ondas. Elas estavam bem altas”, avalia, sorrindo.

Terezinha se encheu de coragem para fazer o passeio e aprovou – Foto: Gabriel Lain/NDTerezinha se encheu de coragem para fazer o passeio e aprovou – Foto: Gabriel Lain/ND

De Porto Alegre, Juner Paladino fez o passeio com a mulher, filho e nora pela primeira vez. Hospedados nos Ingleses, Norte da Ilha de SC, eles chegaram à Pinheira atraídos pelas belezas naturais. “Tudo muito bom, o banho na ilha do Papagaio foi demais”, diz Paladino.

O passeio tem duração de 1h30 e passa pelas Praia de Baixo, Praia de Cima, Ponta do Papagaio, Ilha de Araçatuba, Praia dos Naufragados e na volta tem uma parada na Ilha do Papagaio para banho de mar. A lotação do barco é de no mínimo dez passageiros e no máximo 20.

Serviço – Passeio de barco

  • R$ 35 por pessoa
  • Horário de saída: a partir das 8h, diariamente na temporada
  • Local de partida: Praia de Baixo, Pinheira

Banana boat

Para quem prefere sentir o agito do mar diretamente na pele, há passeio de banana boat nas praias da Pinheira. A viagem tem duração de 35 minutos com o percurso até a Ilha do Papagaio. O passeio é para crianças a partir dos seis anos de idade.

Banana boat é opção de diversão na Praia da Pinheira – Foto: Gabriel Lain/NDBanana boat é opção de diversão na Praia da Pinheira – Foto: Gabriel Lain/ND

Serviço – Passeio de banana boat

  • R$ 40 por pessoa
  • Saídas: praias da Pinheira

Leia também:

Meu Bairro é 10: Conheça os encantos da Pinheira, em Palhoça

Guarda do Embaú recebe turistas em busca de natureza e tranquilidade

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.

+

Turismo