Conheça as culturas que formam a gastronomia do Oeste catarinense

A gastronomia do Oeste catarinense é formada por diversos sabores onde diversas culturas se encontram como a indígena, tropeira e dos imigrantes europeus

De colonização mais recente em relação às outras regiões de Santa Catarina, o Oeste tem a influência de muitas culturas. Talvez por isso seja difícil destacar uma característica da gastronomia do Oeste catarinense, afinal, povos de diversos se instalaram por ali, principalmente no início do século 20.

A forte imigração italiana, alemã e tropeira, além dos costumes indígenas compõem a diversa culinária do Oeste – Foto: PredilectaA forte imigração italiana, alemã e tropeira, além dos costumes indígenas compõem a diversa culinária do Oeste – Foto: Predilecta

A começar pelos indígenas, primeiro povo do local e que ali habitam há milhares de anos. Mais recentemente, surgiram as primeiras vilas, iniciando um processo de colonização mais intenso com os descendentes de italianos, alemães e de outras etnias europeias que vinham do interior do Rio Grande do Sul.

Além disso, os tropeiros, vindos da Serra, contribuíram com sua cultura gaúcha e a proximidade com a fronteira trouxe também a influência argentina na região. Uma confluência de costumes que juntou os melhores sabores de cada em uma culinária rica e cheia de opções.

Seja nas maiores cidades da região como Chapecó, Caçador, Concórdia, Videira, Xanxerê, entre outras. Seja na força do turismo rural nas cidades menores, há sempre uma opção comer bem no Oeste e Meio-Oeste.

As influências indígenas

A cultura indígena é muito presente no Oeste catarinense. Não à toa, a Chapecoense, um dos maiores times de futebol do estado, tem diversas referências aos povos originários que vão do mascote ao nome do estádio.

Pinhão na Chapa – Foto Gilson Abreu/AENPinhão na Chapa – Foto Gilson Abreu/AEN

Nos cardápios é a mesma coisa. Nem todos sabem, mas a presença do milho, mandioca, pinhão, palmito e outros vegetais são influências diretas desta cultura. O tradicional chimarrão, da cuia à erva-mate, também. E, se no litoral, o consumo de moluscos também é um costume indígena, no caso do Oeste, temos a caça e a pesca.

A força das carnes

Boa parte desses ingredientes se uniram às tradições de outras culturas e resultou em ótimos pratos. Um deles é o entrevero, comida típica da Serra e que faz sucesso também no Oeste. Ele é uma mistura de pinhão, com diversos tipos de carne e legumes, servidos com pão ou arroz.

Churrasco na praia – Foto: Pixabay/DivulgaçãoChurrasco na praia – Foto: Pixabay/Divulgação

O churrasco, é claro, não pode faltar e tem seu espaço reservado no domingo das famílias do Oeste. O costume da carne bovina vem dos serranos, gaúchos e também dos argentinos, mas da cultura dos imigrantes alemães é o que impulsiona a economia local. Santa Catarina é o maior produtor de carne suína do país, reconhecido internacionalmente, e isso reflete no cardápio.

Quirera é um típico prato da culinária do interior do país que ganhou destaque em SC – Foto: Divulgação/Record TVQuirera é um típico prato da culinária do interior do país que ganhou destaque em SC – Foto: Divulgação/Record TV

Um prato muito gostoso que representa toda essa mistura é a quirera. Também conhecida como canjiquinha, esse ingrediente é feito com milho triturado, formando pequenos flocos. A quirera não é exclusividade catarinense, mas por aqui sua receita de sucesso é acompanhada de carne de porco e derivados como bacon e linguiças. Feita numa panela de ferro em fogão a lenha fica ainda mais gostoso.

Os pratos típicos alemães, como eisbein (joelho de porco), kassler (bisteca) e outros também fazem sucesso. Tudo acompanhado de uma ótima cerveja, é claro.

As receitas italianas

Além dos imigrantes alemães, os italianos influenciam fortemente a gastronomia do Oeste catarinense. As massas são um sucesso na região e fazem parte do cardápio diário de cada lugar. Além dos mais famosos como macarrão e o nhoque, algumas outras se destacam.

Culinária italiana é uma das forças da gastronomia do Oeste Catarinense – Foto: Julio Soares/NDCulinária italiana é uma das forças da gastronomia do Oeste Catarinense – Foto: Julio Soares/ND

Um desses casos é o tortei, uma massa recheada de abóbora cabotiá e depois cozida, servida com um caldo ou molho vermelho. No mesmo estilo tem sopa de agnolini, mas que pode ter diversos recheios. Ela se diferencia do capeletti mais pela dobra da massa.

E a polenta, claro, é indispensável. No caso do Oeste, tem uma peculiaridade, que é a polenta no fio. Ela tem a consistência um pouco mais firme que o normal, mas tem de ser macia o suficiente para ser cortada com um fio de algodão. Pode ser acompanhada com frango, carne bovina ou suína ensopada.

Esses pratos, acompanhados de um bom vinho, fazem a felicidade de qualquer visitante.

Hora do doce

Santa Catarina como um todo é conhecida por seus doces apetitosos e o Oeste não seria diferente. As cucas, tortas, geleias e outros doces são típicos e fazem muito sucesso. Porém, a colonização austríaca também deu uma marca diferente ao Oeste.

Strudel é um prato austríaco que faz sucesso em todo o estado  – Foto: iStock/NDStrudel é um prato austríaco que faz sucesso em todo o estado  – Foto: iStock/ND

Treze Tílias é um exemplo disso. De colonização tirolesa, todo o capricho do preparo nos doces da região pode ser visto nas belas apresentações e degustado nos ótimos sabores. O strudel é o prato mais famoso e sempre uma boa dica. Mas qual não é em uma região que une o melhor dos sabores de Santa Catarina?!

Explore mais conteúdos da cidade