Conheça as principais atrações do Festival de Dança de Joinville 2021

Maior festival de dança do mundo retorna depois de dois anos com2,5 mil coreografias e protocolos que garantem a segurança de artistas e público entre 5 e 16 de outubro

O Festival de Dança de Joinville está de volta. Entre os dias 5 e 16 de outubro, a cidade recebe o evento de dança mais tradicional do país e considerado o maior do mundo em número de participantes. Geralmente realizado em julho, a edição de 2021 foi transferida por causa da pandemia e agora, com todos os cuidados necessários, retorna depois de dois anos e três meses de espera.

Depois de dois anos e três meses, o Festival de Dança de Joinville está de volta – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)Depois de dois anos e três meses, o Festival de Dança de Joinville está de volta – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)

Será um marco para os grandes eventos de Santa Catarina e para garantir a participação massiva e manter a segurança dos envolvidos, a 38ª edição foi pensada em formato híbrido. São atividades virtuais e presenciais, para atender ao público e aos milhares de bailarinos que participam ao longo dos 11 dias.

Nos anos anteriores, foram 7 mil integrantes diretos, entre artistas, equipe técnica, organização, staff, entre outros e um total 230 mil pessoas passando pelo festival.

As estrelas

O evento continua sendo um sucesso em participação nacional – com representantes de 18 estados – e até internacional – com artistas da Argentina e do Paraguai. No total, são mais de 2.500 coreografias que retratam as mais diversas culturas e estilos.

Na Mostra Competitiva, realizada no Centreventos Cau Hansen, são 206 apresentações. Tem balé, tem contemporâneo, danças populares do brasil e do mundo, jazz, sapateado e urbano. E a Noite dos Campeões no último dia. Para os dançarinos de 10 a 12 anos, tem o Meia Ponta, competição infantil realizada no Teatro Juarez Machado, do dia 13 a 16 de outubro, com direito a Tarde dos Campeões no último dia.

Eventos gratuitos e ao ar livre são uma tradição do Festival e uniram milhares de pessoas nas últimas edições – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)Eventos gratuitos e ao ar livre são uma tradição do Festival e uniram milhares de pessoas nas últimas edições – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)

Há também os espaços gratuitos, como Palcos Abertos que irão receber mais de 1.300 coreografias, em locais espalhados por Joinville e cidades vizinhas. São bailarinos que vão do profissional a grupos recreativos, além da Mostra Arte Para Todos, que promove a inclusão da 3ª idade e pessoas com deficiência.

Sem contar os diversos cursos e eventos em vários lugares e com vários estilos para acompanhar, indo do bolero ao K-Pop, que tem, inclusive, uma competição própria, mostrando como o festival está sempre antenado.

Com 2,5 mil coreografias inscritas, terá evento para todos os tipos de público e gostos – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)Com 2,5 mil coreografias inscritas, terá evento para todos os tipos de público e gostos – Foto: Maykon Lammerhirt / Divulgação (2019)

Cuidados com a saúde

Os grupos e artistas que se inscreveram no evento puderam optar pela apresentação ao vivo ou por vídeo, com a organização dando o suporte para ambos. Na apresentação ao vivo, o distanciamento do público é garantido, dando toda a segurança às estrelas do espetáculo que poderão se apresentar sem máscara, se assim desejarem, mas somente nos espaços relacionados à apresentação.

O Centreventos Cau Hansen foi especialmente preparado para receber o maior público possível com segurança. Os acentos para os expectadores estão a 1,5 m de distância, como determinam as normas de saúde, além de todos os protocolos, espaços para higienizar as mãos, entre outras medidas.

Já a capacidade deste e de todos os locais fechados é de 60%, de acordo com as normas estaduais. Para entrar, será exigido o comprovante de vacinação (de uma ou duas doses) ou um exame PCR com resultado negativo com até 72 horas antes do evento. Os ingressos são vendidos online e variam entre R$ 35 e R$ 149,50 na entrada inteira.

Acompanhando pelas redes

Para atender ao público que assiste virtualmente, será disponibilizada a Transmissão Comentada, uma novidade desta edição. Lá, as principais mostras serão apresentadas por especialistas renomados que comentam tecnicamente as apresentações, além de câmeras exclusivas nos bastidores para interação dos artistas com o público de casa.

Essa modalidade tem um custo adicional por noite ou o pacote completo. Porém há também a opção gratuita para quem quiser só assistir aos eventos, como tradicionalmente é feito. Sem contar o show de cobertura nas redes sociais do festival.

Hora da compra

Feira da Sapatilha é um dos espaços mais visitados por participantes e pelo público do evento e nesse ano passa por adaptações – Foto: Nilson Bastian / Divulgação (2019)Feira da Sapatilha é um dos espaços mais visitados por participantes e pelo público do evento e nesse ano passa por adaptações – Foto: Nilson Bastian / Divulgação (2019)

A Feira das Sapatilhas é um dos espaços mais visitados e por bailarinos e bailarinas do festival. Geralmente, são diversas opções e faixas de preço, tudo no Expocentro Edmundo Doubrawa para quem quer ver, experimentar, sentir e comprar o parceiro ideal para os pés, acessórios, figurinos e equipamentos. Porém, também passam por adaptação com menos lojas presenciais e mais lojas por e-commerce.

O momento é importante para quem compra e também para quem vende. Uma enorme gama de comerciantes e fornecedores da região são impactados positivamente, movimentando a economia local e não só de produtos e serviços ligados à dança.

Por ser um evento internacional, os elementos culturais joinvilenses também estão presentes em diversos pontos, seja na decoração, na música, nas roupas ou na comida. A praça de alimentação, por exemplo, será a céu aberto e cheia de comidas típicas para todos provarem os sabores de SC.

Explore mais conteúdos da cidade