Fortalezas e forte de Florianópolis: saiba tudo sobre os 4 que contam a história da cidade

Construções de guerra defensiva da cidade, as fortalezas e forte são encontrados em diferentes pontos da capital e podem servir de um belo passeio histórico pela colonização da cidade

Fortaleza São José da Ponta Grossa – Foto: Marcos CamposFortaleza São José da Ponta Grossa – Foto: Marcos Campos

Ainda que numa posição mais escondida e voltada para o mar, quem entra ou sai de Florianópolis tem o privilégio de passar perto da história da capital catarinense ao avistar um dos fortes da cidade, logo abaixo da Ponte Hercílio Luz. Construções de guerra defensiva da cidade, os fortes e fortalezas são encontrados em diferentes pontos da capital e podem servir de um belo passeio histórico pela colonização da cidade. Saiba onde fica cada um deles.

Fortaleza de Santa Cruz

Edificada entre os anos de 1739 e 1744 na Ilha de Anhatomirim. O maior prédio, o Quartel da Tropa, tem 68 metros de comprimento. Na entrada, há uma escadaria com um portal com influência arquitetônica oriental, único no Brasil. A Fortaleza também foi a primeira sede do governo de Santa Catarina. Barcos de turistas saem diariamente da Praia de Canasvieiras para visitar esta Fortaleza.

Fortaleza São José da Ponta Grossa

Construído em 1740, o forte foi erguido em três níveis ligados por rampas e por grossas muralhas. No primeiro nível está a bateria de canhões. No nível mais alto está o prédio principal com dois andares e que servia de Casa do Comandante, ao lado um singela capela.

Fortaleza Santo Antônio

Construído em 1740, na Ilha do Ratones Grande, o Forte de Santo Antônio completava o sistema triangular de defesa com a Fortaleza de Santa Cruz, distante 6,2 quilômetros, e o Forte São José da Ponta Grossa, distante 4,8 quilômetros. O Portal tem características neoclássicas, com um fosso no acesso ao forte. Foi abandonado na invasão espanhola. 

Forte Santana

Forte Santana – Foto: iStock/DivulgaçãoForte Santana – Foto: iStock/Divulgação

 O forte foi construído na parte mais estreita entre o continente e a ilha de Santa Catarina entre os anos de 1761 e 1765. Possui grossas muralhas em um formato pentagonal, onde estão dispostos a bateria de canhões. É um ótimo local para apreciar a Ponte Hercílio Luz. No acesso ao forte, o Museu de Armas Major Lara Ribas, com acervo de armas.

Explore mais conteúdos da cidade