Lembrancinhas de SC: saiba o que levar na mala

De cerâmica a cachaça, as lembrancinhas de SC caracterizam o artesanato e produção de produtos locais

Não há dúvida de que os melhores presentes que levamos das viagens são as boas memórias – os momentos, as aventuras e as experiências. Ainda assim, não há quem chegue ao fim de um longo passeio sem levar ao menos uma lembrancinha.

Uma visita a Santa Catarina não exige uma mala muito grande. Quem pretende carregar consigo um pedaço do Estado pode recorrer às mais variadas opções: além dos tradicionais presentinhos de cerâmica, madeira ou conchas, há as saborosas cachaças e cervejas artesanais.

Confira algumas sugestões de lembranças que vão marcar ainda mais a sua rota turística nas cidades de Florianópolis, Luiz Alves e Blumenau.

Florianópolis

Artesanato manual de Florianópolis – Foto: Gustavo BruningArtesanato manual de Florianópolis – Foto: Gustavo Bruning

Quem conhece a capital catarinense dificilmente sai com as mãos abanando. O Mercado Público de Florianópolis, no Centro, é um dos lugares mais tradicionais para encontrar as lembrancinhas, com souvenirs para todos os gostos: chaveiros, plaquinhas, ímãs, camisetas, canecas, copos e taças com frases e estampas.

São os trabalhos manuais, feitos de barro, madeira, vime ou conchas, no entanto, que encantam os olhos. Há réplicas da Ponte Hercílio Luz, de casas açorianas, das lendas locais – olá, boi de mamão! – e muito mais. Rendas de bilro, decorações em cipó ou cerâmica e miniaturas de veleiros também têm destaque.

Pela ilha

A Lagoa da Conceição também tem presença forte de artesãos. Uma tarde na praça Bento Silvério, no Centrinho, pode render uma visita à tradicional feirinha, que atualmente conta com cerca de 30 expositores.

Há objetos de cerâmica, bijuteria e os mais diversos trabalhos manuais, além de lembrancinhas em crochê, velas, porcelanas, bordados, pinturas e muita arte. De bônus você ainda curte a boa gastronomia, do acarajé aos produtos veganos.

Já no Norte da Ilha, seguindo pela rodovia SC-401, uma boa opção é a Feira das Alfaias, no Centro Histórico de Santo Antônio de Lisboa. Ela é realizada aos sábados, das 10h às 19h, e aos domingos, das 10h às 19h, reunindo arte, artesanato e antiguidades. A boa música anima a praça Roldão da Rocha Pires, onde há a primeira rua calçada de Santa Catarina.

Cervejas manezinhas

O público cervejeiro que passa por Florianópolis pode encontrar na avenida Madre Benvenuta, no bairro Santa Mônica, as desejadas cervejas artesanais locais. As alternativas mais rebuscadas incluem as cervejas de guarda, que são produzidas na cervejaria, maturadas em barris de carvalho e que depois passam por outros processos.

E a criatividade dos cervejeiros não tem limite: há opções literalmente selvagens para quem quiser levar mosto cervejeiro aglutinado com o bagaço e o fermento, que passa pela fermentação selvagem.

Luiz Alves

Cachaça de Luiz Alves – Foto: Estúdio de fotografia Diego Rafael Rech | Prefeitura Municipal de Luiz Alves/DivulgaçãoCachaça de Luiz Alves – Foto: Estúdio de fotografia Diego Rafael Rech | Prefeitura Municipal de Luiz Alves/Divulgação

Se é cachaça que você quer levar na mala, o seu destino é certo: Luiz Alves. A cidade catarinense, conhecida como a Capital Nacional da Cachaça e localizada a menos de uma hora de Blumenau, vai oferecer opções para todos os bolsos.

As mais procuradas pelos turistas são as cachaças envelhecidas em carvalho, encontradas em garrafas de 700 ml a 750 ml. Quem busca algo mais rústico pode optar por cachaças envelhecidas por mais tempo ou as que vêm em garrafas especiais e caixas de madeira entalhada.

Outro atrativo é o licor luizalvense, feito a partir de cachaça ou aguardente. Uma boa pedida é o Schlagenwasser, inspirado no licor de ervas Jagermeister. As bebidas tradicionais de Luiz Alves, com receitas que transcendem gerações, podem ser encontradas em dez alambiques.

Com estruturas encantadoras, os locais se tornaram o lar de cachaças premiadas e com matéria-prima de qualidade. A rota de visita aos alambiques é repleta de paisagens verdes, com destaque para a vista do plantio de cana e lagoas de pesca.

A visita ainda pode terminar com recordações clássicas, como torres de vidro artesanal para bebidas, feitas com vidro reciclado e com cerca de um metro de altura. Outra opção de presente é um pequeno barril de madeira com cachaça, que varia de preço conforme a bebida.

Blumenau

Levar para casa uma boa garrafa é obrigação de todo turista que visita a rota do Vale da Cerveja, que inclui os municípios de Gaspar, Pomerode, Indaial, Timbó e, claro, Blumenau. Uma passagem pela cidade da Oktoberfest, portanto, não pode ficar limitada à degustação.

O Centro, em Blumenau, é o local que mais concentra cervejarias, barzinhos e brewpubs (os que produzem a própria cerveja). Para os amantes de uma cerveja artesanal tradicional, a opção é a Pilsen. Já a Ipa é voltada aos fãs das mais amargas.

Os turistas que visitam Blumenau também costumam levar combos com cervejas e taça de cristal personalizada. Além disso, as visitas às fábricas podem render presentes como copos e bonés das marcas. Dica valiosa: a visita pode ser ainda mais divertida em janeiro, quando é realizada a tradicional Sommerfest, a versão de verão da Oktoberfest.

Explore mais conteúdos da cidade