Maria Fumaça: veja onde fazer este passeio em Santa Catarina

Com rota entre Rio Negrinho e Corupá, o passeio de Maria Fumaça é uma viagem no tempo em uma locomotiva de 1945; veja como funciona e valores

Andar em uma Maria Fumaça é uma verdadeira viagem no tempo e uma oportunidade que não se encontra em muitos lugares. A locomotiva Mikado 761, que puxa os vagões do Trem da Serra do Mar de Rio Negrinho e Corupá, é uma máquina norte-americana. Construída em 1945, já foi utilizada para transportar café em São Paulo.

Na imagem, aparece uma Maria Fumaça em passeio turístico pelas cidades de Rio Negrinho e CorupáMaria Fumaça no Mirante da Serra do Mar – Foto: ABPF Regional Sul/Acervo

Somado a esse retorno ao passado, há a exuberância da paisagem, incluindo a Serra do Mar, o Morro da Igreja, rios e cachoeiras. Por rodovia, o percurso entre as duas cidades dura menos de uma hora.

De Maria Fumaça são mais de três horas embarcado, além das pausas pelo caminho, incluindo almoço e café colonial. São 60 quilômetros ao todo de trajeto.

O passeio é operado pela regional de Santa Catarina da Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF). Ele ocorre em um ou dois finais de semana por mês, apenas. Aos sábados, o passeio de Maria Fumaça sai de Rio Negrinho e desce a serra até Corupá; aos domingos percorre o sentido oposto.

Está pensando em andar de Maria Fumaça, imerso na história e na natureza catarinense? Veja como funciona e programe-se.

Percurso da Maria Fumaça saindo de Rio Negrinho

A locomotiva sai, em um ou dois sábados de cada mês, da Estação Ferroviária de Rio Negrinho. A partida é pontualmente às 9h30. Portanto, programe-se para chegar com antecedência, pegar seus bilhetes e não perder o trem.

Primeira parada – Estação Ferroviária de São Bento do Sul 

Na imagem, aparece Maria Fumaça em passeio por ponte Rota da Maria Fumaça passa por São Bento do Sul, nas 4 pontes, e dá a sensação de estar voando – Foto: ABPF Regional Sul/Acervo

O primeiro destino da Maria Fumaça é a cidade de São Bento do Sul. Aliás, a maior parte do trajeto do passeio é por esse município.

O destaque da paisagem é para a pedra do Morro da Igreja, formação rochosa com 850 metros de altitude que pode ser vista durante quase todo o percurso, de diferentes ângulos.

Nessa cidade vizinha, a locomotiva faz uma parada de 30 minutos na Estação Ferroviária.

Além de conhecer o espaço, é possível também visitar o Museu da Música, dentro da própria estação, com entrada gratuita.

Seguindo viagem, prepare-se para o trecho mais bonito do passeio: a vista da exuberante Serra do Mar. Você também conseguirá avistar a cidade de Corupá, a cerca de 700 metros abaixo da serra, a cadeia de morros e cachoeiras de Campo Alegre.

Segunda parada – almoço na comunidade Rio Natal  

A próxima parada é na comunidade Rio Natal, ainda em São Bento do Sul, onde é servido almoço para os passageiros que optarem por essa opção. A refeição é servida em um salão ao lado da igreja. Esta é a única opção de alimentação no local, que fica no meio da Serra do Mar.

Depois de uma hora de parada, o passeio segue rumo ao seu destino final. Quando o Rio Hansa Humboldt começar a aparecer na janela da Maria Fumaça significa que a locomotiva está se aproximando da cidade de destino.

Essas águas fazem divisa entre as cidades de São Bento do Sul e Corupá e acompanham o trajeto do trem por oito quilômetros. Próximo ao fim da serra, a locomotiva atravessa uma ponte curva sobre o rio, de onde se pode observar corredeiras formando uma cachoeira.

Chegada de Maria Fumaça em Corupá

A cidade final do passeio é alcançada por volta das 16 horas, na Estação Ferroviária de Corupá. Os passageiros são esperados com uma feira de artesanato local e doces de banana, fruta típica da cidade.

O retorno para Rio Negrinho é feito por um ônibus de viagem. A Maria Fumaça permanece em Corupá para fazer o passeio no dia seguinte, neste caso subindo a serra.

Antes de chegar na Estação Ferroviária de Rio Negrinho, mais uma parada de 1h30. Dessa vez para um café colonial em uma propriedade rural. Essa é outra opção que os viajantes podem contratar. A propriedade que prepara a refeição fica a cerca de quatro quilômetros da estação.

Percurso da Maria Fumaça saindo de Corupá

O trajeto que a locomotiva faz de Corupá a Rio Negrinho é o mesmo. A diferença é o sentido do tráfego, que sobe a serra, e a ordem das paisagens na janela. Outra mudança é o horário de saída do trem, que neste caso é às 10h30 da Estação Ferroviária de Corupá.

Quando fazer o passeio com a Maria Fumaça?

O passeio de trem da Serra do Mar acontece apenas uma ou duas vezes por mês, sempre aos finais de semana. Aos sábados, o trajeto é de Rio Negrinho a Corupá; aos domingos, o percurso é inverso. Confira as datas dos passeios para 2022:Junho: 18 e 19 Julho: 16, 17 e 23, 24

Agosto: 20 e 21 Setembro: 10, 11 e 17, 18

Outubro: 15, 16 e 22, 23

Novembro: 12, 13 e 19, 20

Dezembro: 10, 11 e 17, 18

Atrações oferecidas durante o passeio de Maria Fumaça

Na imagem aparece uma Maria Fumança por cima da ponte Ponte sobre o Rio Hansa Humboldt – Foto: ABPF Regional Sul/Acervo

Durante a viagem são comercializados alguns produtos como bolachas artesanais, doces de banana, petiscos, roscas de polvilho, entre outros. É possível também comprar bebidas como água, refrigerantes, cachaça de banana e chopp artesanal da Locomotive Brew, cervejaria de Rio Negrinho.

Caso você queira levar alguma lembrancinha da viagem para casa, lembrancinhas também são vendidas a bordo. Chaveiros, bonés, baralho, camiseta e um caneco cerâmico estão entre os utensílios comercializados. Todos eles, é claro, com a imagem da Maria Fumaça.

 Onde comer no passeio com a Maria Fumaça?

A locomotiva faz duas paradas para refeição: uma na comunidade de Rio Natal, em São Bento do Sul, para almoço; outra em Rio Negrinho para um café colonial. Ambos são opcionais e precisam ser adquiridos junto à compra da viagem.

Para quem preferir não contratar almoço e café, é possível levar seu próprio lanche. Durante a viagem há comercialização de alguns produtos no trem, como bolachas artesanais, doces artesanais de banana, roscas de polvilho, entre outros.

Qual a duração da viagem de Maria Fumaça?

O trajeto percorrido pela Maria Fumaça é de 60 quilômetros. O passeio dura em torno de 5h30, com todas as paradas. Considerando apenas o período embarcado, a viagem leva em média 3h30.

Quanto custa andar de Maria Fumaça?

A passagem para o passeio de trem da Serra do Mar custa R$ 160. Crianças de 6 a 10 anos pagam R$ 130 e de 0 a 5 anos não pagam. Já o retorno de ônibus para a cidade de origem sai por R$ 30 por pessoa.

O viajante ainda pode comprar o almoço na comunidade Rio Natal e o café colonial antes do retorno à cidade de origem. Cada um custa R$ 40.

O que é uma Maria Fumaça?

Maria Fumaça é o nome popular de uma locomotiva movida a vapor. Funciona assim: o combustível, que pode ser carvão ou lenha, é queimado em uma fornalha.

O calor dessa queima esquenta a água que fica em uma caldeira. Esse aquecimento produz vapor, que concentrado exerce pressão suficiente para movimentar a máquina.

O que se vê saindo pela chaminé do trem, motivo pelo qual ele recebeu o nome de Maria Fumaça, é o excesso de vapor e fuligem liberado neste processo.

A Maria Fumaça que puxa os vagões do Trem da Serra do Mar, de Rio Negrinho e Corupá, é uma máquina norte-americana. Ela foi construída na cidade de Filadélfia, em 1945, pela “The Baldwin Locomotive Works”, considerada na época a maior fabricante de locomotivas do mundo.

A locomotiva foi comprada pela Companhia Mogiana de Estradas de Ferro para puxar trens carregados com café, do interior de São Paulo aos portos. Na década de 1990, a máquina foi cedida pela Rede Ferroviária Federal S/A para a Associação Brasileira de Preservação Ferroviária (ABPF) de Santa Catarina. É essa entidade responsável por operar o passeio do Trem da Serra do Mar.

O que fazer em Rio Negrinho?

Caso você queira conhecer melhor a cidade, confira algumas opções do que fazer em Rio Negrinho, próximo à Estação Ferroviária e no Centro da cidade.

Uma das opções é o Parque Paul Harris, localizado a 600 metros, a menos de dez minutos a pé, da Estação Ferroviária de Rio Negrinho. É uma grande área verde com diversas passarelas elevadas de madeira, que passam por riachos e trilhas. O local fica aberto 24 horas.

Vale conhecer também a Praça do Avião, que ganhou esse nome por conta da réplica de um avião T6 NA44. É uma homenagem ao tenente-aviador de Rio Negrinho, Oldegar Olsen Sapucaia, que utilizou um modelo igual durante a 2ª Guerra Mundial e morreu em combate na Itália.

Por falar em monumento, aquele que representa a cidade de Rio Negrinho é a Chaminé da Móveis Cimo. Cartão-postal do município, são 48 metros de altura construído na praça em frente à prefeitura. Ela é símbolo da maior fábrica de móveis da América Latina e que teve sua sede na cidade.

Aliás, é ao lado da antiga residência de um dos fundadores da Móveis Cimo, uma casa construída em estilo bangalô na década de 1920, que está instalado o Museu Municipal Carlos Lampe. O espaço de memória guarda objetos e documentos que contam a história da cidade e de sua população.

O que fazer em Corupá?

As principais atrações de turismo em Corupá estão ligadas à natureza. A cidade possui mais de 60 cachoeiras. Um dos espaços para desfrutar das águas e da natureza no município é o Parque Natural Braço Esquerdo, entre São Bento do Sul e Corupá.

Lá você encontra várias quedas d’água, como a Cachoeira Braço Esquerdo, com mais de 90 metros de altura. Riachos e formações rochosas de milhões de anos também são atrativos do parque.

Há propriedades também que abrem as portas ao público para contemplação da natureza. É o caso do Camping do Carvalho, no interior da cidade, margeado por rios e piscinas naturais.

Agora, se você quiser ficar na área urbana da cidade, vale conhecer o Seminário Sagrado Coração de Jesus. O prédio imponente de 20 mil metros quadrados chama atenção, além do seu tamanho, pelo estilo arquitetônico gótico-romano. O prédio principal é todo de tijolinho à vista.

O complexo que abriga capela, museu, teatro, restaurante e até uma fábrica de velas, pertence à Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus. O jardim do seminário fica aberto ao público todos os dias até às 18 horas.

Anexo ao prédio principal fica o Museu Irmão Luiz Gartner. Um dos mais antigos do Estado, reúne um acervo da biodiversidade da região, com vários animais empalhados, e também itens históricos do seminário e de seu fundador.

Explore mais conteúdos da cidade