Motociclista de Maravilha se prepara para dar a volta ao mundo com Pop 100

Aos 30 anos, Alex Tibola, do Oeste de SC, soma no currículo várias viagens por diversos países da América do Sul

Dar um volta ao mundo é o sonho de muitos viajantes. Natural de Maravilha, no Oeste de Santa Catarina, e apaixonado por motociclismo desde a infância, Alex Tibola, de 30 anos, está decidido em tirar essa meta do papel e conhecer o planeta da forma que ele mais gosta: pilotando uma motoneta.

Motociclista de Maravilha se prepara para dar a volta ao mundo com uma Pop 100 – Foto: Alex Tibola/Divulgação/ND

“É um sonho que carrego comigo desde criança de conhecer vários lugares do mundo. De uns cinco anos para cá comecei a acreditar que isso poderia se tornar realidade, então, comecei a montar um projeto”, conta o aventureiro ao nd+

O projeto da viagem ousada ainda está sendo montado. Contudo, a meta do apaixonado por motos é percorrer cinco continentes sobre uma Honda Pop 100. Por enquanto, ele ainda prepara o roteiro, reúne verba e faz treinamento físico. “Faz dois anos que estou guardando dinheiro para isso”. 

“Desde os 18 anos viajo de moto, pois é uma paixão em minha vida. Essa história toda eu conto num livro que lancei em janeiro e se chama ‘Crônicas de viageiro: em busca de um sonho’. O livro vem para contar sobre o sonho, tentar motivar outras pessoas e também agregar algum valor financeiro para realizar esse sonho”, explica o motociclista.

Motociclista já percorreu diversos países – Foto: Alex Tibora/Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

Para incentivar outras pessoas a irem atrás dos seus objetivos, ele usa das redes sociais para contar do projeto. Alex afirma que já realizou diversas viagens pela América do Sul, e percorreu países como Uruguai, Argentina, Chile, Peru, além do Brasil.

Há um ano, ele começou a percorrer as estradas junto de uma Honda Pop 100 cilindradas, adquirida principalmente em função da economia.

“É a moto mais econômica possível que me surgiu em mente, faz um ano que eu ela estamos juntos neste projeto. Todas as viagens que eu faço nela me servem de laboratório ao céu aberto”, explica. 

A viagem mais recente com a motoneta foram 7 mil km pelo deserto de Puna, na Argentina, que vai do Noroeste argentino e até a região Sul da Bolívia, com altitude de mais de 3 mil metros. Ou seja, a condição de sobrevivência no local é muito difícil em função da altitude e a dificuldade de respirar.

Alex mantém os seus fãs informados sobre o projeto por meio de conteúdos no Instagram, no Facebook e no YouTube com o canal “Crônicas de Viageiro”.

Projeto ainda está em andamento – Foto: Alex Tibora/Arquivo Pessoal/Divulgação/ND

+

Turismo