Museus: memória rica e cultura pulsante na cidade apelidada de ‘Pérola do Vale’

Timbó, com seus 45 mil habitantes, tem muito a oferecer às pessoas que gostam de passeios recheados de história, artes e conhecimentos gerais

Museus: memória rica e cultura pulsante na cidade apelidada de ‘Pérola do Vale’ – Foto: Prefeitura Municipal de TimbóMuseus: memória rica e cultura pulsante na cidade apelidada de ‘Pérola do Vale’ – Foto: Prefeitura Municipal de Timbó

Lugares bucólicos e de rara beleza, como se fossem retirados de um conto de fadas, deram ao município de Timbó o apelido de “Pérola do Vale”. As casas enxaimel, os jardins, praças e parques como o Jardim Botânico, o Morro Azul e o Henry Paul encantam os turistas.

O município tem cerca de 45 mil habitantes e fica localizado na região do Vale do Itajaí, a 15 Km de Pomerode e a 180 Km da capital, Florianópolis.

Caracterizado pela cultura ítalo-germânica, há muitas atrações para quem visita Timbó, especialmente nos três museus. Você não pode deixar de conhecer o Museu do Imigrante, o Museu Casa do Poeta “Lindolf Bell” e o Museu da Música.

Veja as atrações que existem em cada um e como fazer para visitá-los. Na ShowMe você encontra as melhores informações sobre turismo nas rotas por Santa Catarina. Aprecie!

Museu do Imigrante: arquitetura e história da região

Museu do Imigrante, que conta a história de Timbó e região – Foto: DivulgaçãoMuseu do Imigrante, que conta a história de Timbó e região – Foto: Divulgação

No Complexo Turístico Jardim do Imigrante, este museu relembra a cultura dos antepassados. É um dos principais atrativos turísticos da cidade, montado em um imóvel construído durante o período da colonização. A casa foi feita no estilo Enxaimel (ou Fachwerkhauss, em alemão).

Construído por volta de 1870 o prédio foi preservado e, em março de 2003, tornou-se o Museu do Imigrante, com o objetivo de lembrar como era a vida dos antepassados e explicar o desenvolvimento da região do Vale do Itajaí, remontando a história desde a emancipação do município de Timbó até os dias atuais.

O museu oferece visitas monitoradas, que devem ser agendadas para turistas em geral, turmas escolares ou pesquisadores. O espaço oferece luz ao passado para quem busca conhecimento e vivências sobre história da imigração que, aliás, foi determinante para o progresso da região.

Informe-se:

A atmosfera poética das memórias de Lindolf Bell

Museu Casa do Poeta “Lindolf Bell” – Foto: Carlos Eduardo VolaniMuseu Casa do Poeta “Lindolf Bell” – Foto: Carlos Eduardo Volani

Lindolf Bell foi um poeta timboense reconhecido internacionalmente, que deixou um rico legado para Timbó, sua terra natal. Morreu aos 60 anos, com o sonho de reunir o que chamava de ‘suas raízes’: os livros, objetos da família e toda a cultura acumulada em sua intensa trajetória.

Neste museu há mais de 2 mil livros, quadros e detalhes da vida de Bell, tudo com uma atmosfera poética. O local, que também foi a casa de seus pais, é museu, praça, centro de memória, biblioteca e espaço cultural. Dizia Bell: “Vamos transformar Timbó na capital da poesia…”, e, “minha casa em um museu”. Seu sonho se realizou e, hoje, muitos visitantes se deleitam com toda a riqueza poética do ilustre timboense na Casa do Poeta “Lindolf Bell”.

Informe-se:

Horários de atendimento no Centro de Memória:

  • Terças as sextas-feiras, das 8h30 às 11h30 e das 13h30 às 17h30
  • Valor da entrada: R$ 2,00
  • Estudantes pagam R$ 1,00
  • Professores e pessoas da terceira idade não pagam.

Uma viagem no tempo, embalada pela música

Museu da Música – Foto: Marcos Onofre dos SantosMuseu da Música – Foto: Marcos Onofre dos Santos

Se você é músico ou adora adquirir conhecimento em meio a seus passeios, não pode deixar de visitar o Museu da Música.

O espaço encanta, começando pela arquitetura peculiar, que é de alvenaria autoportante, ou seja, as paredes são feitas com blocos estruturais de tijolos aparentes, sem vigas ou colunas. A estrutura tem efeito plástico produzido pelos tijolos de tonalidade clara e escura, que se intercalam, formando desenhos geométricos.

Além da própria estética o museu, inaugurado em 2004 no Salão Hammermeister, abriga muita memória musical, não só do Brasil, mas de diversas partes do mundo e de diferentes épocas. São mais de mil peças, desde instrumentos musicais até coleções de gravuras, métodos, partituras, livros e desenhos técnicos. É realmente uma visita de encher os olhos, tanto pela história da construção quanto pelos objetos que remetem aos séculos de registros e às gerações passadas.

Informe-se:

Prefeitura Municipal de Timbó

Turismo no município

  • Av. Getúlio Vargas, 700 – Centro
  • De segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 14h às 17h.
  • Central de Atendimento: Das 8h às 12h e das 13h às 17h (sala 04).
  • Telefones: (47) 3382-3655 e (47) 3380-7000
  • contato@timbo.sc.gov.br

Explore mais conteúdos da cidade