Marcos Cardoso

A sociedade da Grande Florianópolis, os eventos culturais e as tradições da região analisadas pelo experiente jornalista Marcos Cardoso.


O Largo da Alfândega ficou lindo. Agora, é preciso garantir segurança e ter cuidado

Foto: Flavio Tin/ND

O Largo da Alfândega ficou lindo após a revitalização, cujo projeto mostrou que havia muito espaço mal aproveitado. Dá até impressão que a área foi ampliada. O visual está limpo.

A cobertura ondulada e vazada com desenhos de renda de bilro são um charme à parte. É o novo xodó dos manezinhos e cenário da vez para selfies e outras fotos.

Agora, é preciso garantir segurança e ter cuidado.

Evitar a ocupação indevida, como a sequência de carros de comida que antes encostavam no meio-fio e minavam a calçada de banquinhos e isopores de bebida, disputando o caminho do pedestre com ambulantes de toda a sorte.

Além disto, o local exige vigilância constante de todos contra a depredação. Já no dia da abertura, sábado (8), skatistas faziam manobras embaixo do teto “rendado”, na parte assoalhada e por cima dos bancos, arriscando a integridade do local, a deles próprios e a dos outros. Totalmente inapropriado.

Foto: Flavio Tin/ND

Se a região já estava turbinada com a reabertura da ponte Hercílio Luz, agora mesmo ficou mais convidativa.

Para completar o corredor que se inicia no Terminal Urbano Cidade de Florianópolis, passando pela praça Fernando Machado, Largo da Alfândega e Mercado Público, falta dar um jeito na área do antigo terminal de ônibus depois do camelódromo, entre a avenida Paulo Fontes e a rua Francisco Tolentino, que virou estacionamento. Há um antigo projeto de requalificação para o local, mas nunca saiu do papel.