O que fazer em Santa Catarina? Saiba tudo sobre as 12 regiões turísticas do estado

Da Serra ao litoral, do verão ao inverno, Santa Catarina oferece atrações o ano inteiro. Conheça o que explorar em cada uma das regiões

Considerada o melhor destino turístico do Brasil, Santa Catarina recebe anualmente cerca de cinco milhões de visitantes, mas se engana quem pensa que somente as praias são as protagonistas. Com uma beleza abençoada de Norte a Sul, o mapa turístico catarinense é dividido em 12 regiões com características geográficas bem diferentes entre si.

Em comum elas têm o fato de serem lindíssimas e com atrações para agradar aos mais diversos estilos. Embarque conosco neste roteiro pelas múltiplas belezas do estado. Você terá motivos de sobra para voltar!

Caminho dos Cânions

Cânion Fortaleza, em Jacinto Machado – Foto: Ênio Frassetto | Prefeitura Municipal de Jacinto Machado/DivulgaçãoCânion Fortaleza, em Jacinto Machado – Foto: Ênio Frassetto | Prefeitura Municipal de Jacinto Machado/Divulgação

O nosso passeio começa pelo Caminho dos Cânions, no extremo Sul do estado, onde a impressionante geografia do Parque Nacional Aparados da Serra marca o limite entre Santa Catarina e o Rio Grande do Sul. As grandes formações rochosas, com pelo menos 130 milhões de anos, compõem uma paisagem de tirar o fôlego, com enormes paredões que chegam a mil metros de profundidade.

Com 7,5km de extensão e 1.157 metros de altura, o Cânion da Fortaleza, em Jacinto Machado, é um dos maiores do Brasil. O Caminho dos Cânions abrange 15 municípios e é procurado principalmente pelos ecoturistas por oferecer inúmeras opções de cavernas, trilhas, cachoeiras e piscinas naturais. O roteiro também apresenta atrações no litoral. Em Araranguá, a formação rochosa do Morro dos Conventos está entre os mais belos cartões-postais do Sul do Brasil. 

Encantos do Sul

Museu Casa de Anita, em Laguna – Foto: Marco Bocão | Prefeitura Municipal de Laguna/DivulgaçãoMuseu Casa de Anita, em Laguna – Foto: Marco Bocão | Prefeitura Municipal de Laguna/Divulgação

Dando adeus aos cânions, é hora de seguir para os Encantos do Sul. Para quem gosta de praia, a famosa Garopaba é destino de milhares de turistas, enquanto Imbituba tem a Praia do Rosa, única representante brasileira no Clube das Mais Belas Praias do Mundo. Já a Lagoa de Imaruí é a maior do estado e também uma das mais bonitas, enquanto as estâncias termais de Tubarão e Gravatal são perfeitas para relaxar.

A rota da imigração italiana pode ser conhecida em Orleans, Urussanga e Nova Veneza, ao passo que as memórias dos colonizadores alemães estão preservadas em São Martinho, Santa Rosa de Lima e Forquilhinha. Maior cidade da região Sul catarinense, Criciúma cresceu em torno do carvão e as minas abertas à visitação resgatam essa trajetória.

Laguna, considerada um museu a céu aberto, foi palco para a Guerra dos Farrapos e da República Juliana. A lagunense Anita Garibaldi é um dos principais símbolos da revolução e na cidade fica o museu em sua homenagem. Não deixe de visitar o Farol de Santa Marta, com 29 metros de altura, erguido em 1891 com pedra, areia, barro e óleo de baleia. O alcance do farol é de 85 quilômetros. 

Serra catarinense

Pedra Furada, em Urubici – Foto: iStock/DivulgaçãoPedra Furada, em Urubici – Foto: iStock/Divulgação

É hora de partir para o clima rural da Serra Catarinense, onde 17 municípios formam a incrível rota turística. A serra é uma das regiões mais frias do Brasil e o Morro da Boa Vista, com 1.827 metros de altitude, é o mais alto de Santa Catarina. Destaque para São Joaquim, que sempre vira manchete no inverno por conta da neve.

Já as belas paisagens de Urubici proporcionam aventuras em meio à natureza, como o rapel em cachoeiras com até 100 metros de altura, canoagem e tirolesa. A belíssima Pedra Furada, no Morro da Igreja, é um passeio imperdível.

Já em Bom Jardim da Serra, porta de entrada da região, fica a famosa rodovia que corta a Serra do Rio do Rastro, com 12 quilômetros que ligam a planície litorânea a Serra Catarinense. Na maior e mais populosa cidade da região, a Catedral Diocesana Nossa Senhora dos Prazeres, feita com blocos de pedra laje e com estilo neogótico, é uma das principais atrações de Lages

Caminhos do Alto Vale

O próximo destino são os Caminhos do Alto Vale, roteiro formado por 28 pequenos municípios. As cachoeiras, corredeiras, florestas preservadas, parques ecológicos, morros e sítios são perfeitos para quem gosta de esportes de aventura e do turismo rural. Em Ibirama, que significa Terra da Fartura no dialeto indígena, fica a maior tirolesa urbana do Brasil, com 1.050 metros.

O município também é um dos principais polos no país para a prática de rafting e rapel. O turismo religioso também movimenta os Caminhos do Alto Vale e recebe peregrinos de todo o Brasil. Não deixe de provar as deliciosas cervejas, vinhos e cachaças produzidos na região, assim como os autênticos cafés coloniais e almoços preparados com produtos da terra.

Vale europeu

Parque Vila Germânica, em Blumenau – Foto: Prefeitura Municipal de Blumenau/DivulgaçãoParque Vila Germânica, em Blumenau – Foto: Prefeitura Municipal de Blumenau/Divulgação

Hora de seguir para o Vale Europeu, onde 19 municípios preservam as heranças culturais dos colonizadores alemães, italianos, austríacos, portugueses e poloneses. Entre as atrações estão o Santuário Santa Paulina, em Nova Trento, segundo principal destino religioso no Brasil; a caverna de Botuverá, uma das mais belas da América do Sul.

Em Pomerode, o Zoo Pomerode abriga 1.150 animais. No local é feito um trabalho de reprodução para conservação das espécies. E nāo tem como falar do Vale Europeu sem citar Blumenau que ganhou projeção mundial com a Oktoberfest. Fundada em 1850, os traços da arquitetura germânica estão por toda parte, como no belíssimo prédio da Fundação Cultural.

Sede da colônia de Blumenau, o local foi totalmente reformado e encanta os visitantes. Outra cidade encantadora é Timbó, também conhecida como Pérola do Vale. Além das atrações festivas, culturais e arquitetônicas de origem italiana e germânica, a cidade oferece roteiro de cicloturismo.

Grande Florianópolis

Avenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis – Foto: iStock/DivulgaçãoAvenida Beira-Mar Norte, em Florianópolis – Foto: iStock/Divulgação

A próxima parada é na Grande Florianópolis, um dos mais consagrados destinos turísticos catarinenses. Se o objetivo é relaxar, as águas termais de Santo Amaro da Imperatriz, Águas Mornas e São Bonifácio são excelentes fontes com propriedades terapêuticas. Antônio Carlos e Angelina possuem igrejas e santuários, como o da Nossa Senhora de Angelina, que impulsionam o turismo religioso.

Para conhecer mais sobre a história regional, o Museu e Centro Histórico de São José e o Museu Etnográfico de Biguaçu abrigam variados acervos. Os cafés coloniais de Rancho Queimado são imbatíveis, enquanto a cachaça produzida nos antigos engenhos em São Pedro de Alcântara arrebata pelo sabor!

A pequena cidade de cinco mil habitantes também abriga a espetacular Igreja Matriz, construída em 1929 para o centenário da imigração alemã no estado. A imponente estrutura se destaca na paisagem rural. Já Florianópolis, Palhoça e Governador Celso Ramos abrigam algumas das mais belas praias do país, como a famosa Guarda do Embaú, única representante brasileira no seleto grupo de noves praias que integram a Reserva Mundial do Surfe. 

Costa Verde & Mar

Praia Central, em Balneário Camboriú – Foto: Heitor PergherPraia Central, em Balneário Camboriú – Foto: Heitor Pergher

Seguindo pelo magnífico litoral catarinense, o roteiro da Costa Verde & Mar é arrebatador com suas águas na cor verde esmeralda, com recantos paradisíacos que fazem você se sentir no Caribe. Formado por 11 municípios, a maioria possui excelente infraestrutura com hotéis, restaurantes, serviços e beach clubs com fama internacional.

Não à toa alguns dos locais mais movimentados na alta temporada estão na região, como Itapema, Bombinhas e Balneário Camboriú, maior polo turístico do Sul do Brasil. E não tem como falar de diversão sem citar o Beto Carreiro World, em Penha, que recebe mais de um milhão de visitantes ao ano. 

Caminho dos Príncipes

Pórtico, em Joinville – Foto: iStock/DivulgaçãoPórtico, em Joinville – Foto: iStock/Divulgação

Hora de partir rumo ao Caminho dos Príncipes que abrange desde o litoral até o Planalto Norte Catarinense. O nome remete ao ano de 1853, quando as terras locais foram incluídas nos dotes de casamento do príncipe de Joinville com a princesa Francisca, irmã de Dom Pedro II.

Há muitas opções de turismo rural, gastronomia típica, histórias preservadas e belas paisagens – desde praias paradisíacas, até cachoeiras, rios e morros que atraem os adeptos dos esportes de aventura. Joinville, maior cidade e principal polo industrial de Santa Catarina, é famosa por sediar o Festival da Dança.

Já a Serra joinvilense abriga deslumbrantes cenários da Mata Atlântica que são muito procurados por trilheiros. As caminhadas com travessias pelo Rio Piraí e afluentes, além das cachoeiras com água gelada, encantam os aventureiros. A vista do Castelo dos Bugres, no alto da serra, é deslumbrante. 

Vale do Contestado

A parada seguinte é no Vale do Contestado, com 45 municípios que guardam um rico legado histórico. Na região aconteceu a Guerra do Contestado, entre 1912 e 1916, e vários museus preservam os acervos da guerra civil. A riqueza multicultural, resultado da colonização alemã, italiana, austríaca e japonesa, também encanta.

Em Treze Tílias, os traços da colonização austríaca estão por toda parte, enquanto Frei Rogério conserva as tradições da primeira colônia japonesa formada no estado. Videira, Tangará e Pinheiro Preto se destacam pela plantação da uva e produção de vinho.

Fraiburgo, a Terra da Maçã, é uma das maiores produtoras nacionais da fruta. Concórdia, Joaçaba e Curitibanos são três polos industriais e comerciais do Meio-Oeste, sendo que em Joaçaba está a famosa estátua de Frei Bruno, religioso alemão que morou na cidade por quatro anos até o seu falecimento, em 1960. Com 37 metros de altura, só perde em tamanho para o Cristo Redentor (40 metros) e a Estátua da Liberdade (57 metros). 

Grande Oeste

Avenida Getúlio Vargas, em Chapecó – Foto: Secom | Prefeitura Municipal de Chapecó/DivulgaçãoAvenida Getúlio Vargas, em Chapecó – Foto: Secom | Prefeitura Municipal de Chapecó/Divulgação

Seguindo viagem, é tempo de aportar no Grande Oeste: no total, 17 municípios formam a rota turística, a maioria com menos de dez mil habitantes. Os visitantes encontram diferentes atrações que vão desde o ecoturismo em atrações como a cascata S’manella (Xanxerê), o Parque das Quedas (Abelardo Luz), o Domo de Vargeão e o Parque Estadual das Araucárias (São Domingos); passando pela Rota das Termas e as estâncias de Águas de Chapecó, Palmitos, São Carlos, Quilombo e Caibi; além da rica gastronomia e festas típicas. O principal centro urbano e potência econômica da região é Chapecó, considerada referência no turismo de evento e negócios. Como acontece com a maioria das localidades, que são construídas a partir de uma estrada principal, em Chapecó não foi diferente e a Avenida Getúlio Vargas é o ponto principal para diversas atividades da cidade. 

Vale das Águas 

O penúltimo destino é o Vale das Águas que tem como protagonistas os rios, lagos, cachoeiras e águas termais do Oeste catarinense. Considerada uma das mais lindas cachoeiras de Santa Catarina, a Salto Saudades é uma das atrações de Quilombo. Os complexos turísticos de águas termais em Palmitos, São Carlos e Águas de Chapecó também são destaques na região, com temperaturas que chegam a 37°C. Em Quilombo, o balneário fica em plena praça central, com opções de lazer para adultos e crianças.  Já o Rio Uruguai, que atravessa várias cidades do Vale das Águas, é ideal para passeios de barco. Um roteiro para relaxar antes de seguir para a última rota do nosso mapa: os Caminhos da Fronteira. 

Caminhos da fronteira

Localizado no extremo Oeste, em uma região que faz fronteira com o Rio Grande do Sul e Paraná, além da Argentina, 18 municípios integram o roteiro marcado pelo pluralismo cultural, com características dos colonizadores alemães e italianos misturados aos costumes gaúchos, panaenses e argentinos.

Os cenários são ideais para esportes de aventura, como trekking, arvorismo, cavalgada e rapel. A maior cidade é São Miguel do Oeste que possui a melhor infraestrutura do extremo Oeste. A Igreja Matriz São Miguel Arcanjo, uma das maiores do estado, além das grutas de Ventorino Poletto e Nossa Senhora de Lourdes, também colocam a cidade em destaque na rota do turismo religioso.

O nosso passeio pelas 12 regiões chegou ao fim, mas o que mostramos é apenas uma fração de todas as belezas de Santa Catarina. Certamente você terá motivos de sobra para voltar inúmeras vezes ao estado.

Explore mais conteúdos da cidade