Qual é a sua trilha? Saiba quais são as melhores para explorar em Santa Catarina

Do nível fácil ao difícil, as trilhas de Santa Catarina oferecem belas imagens durante o percurso e aproxima os trilheiros das belezas naturais do estado

Trilha do Gravatá, em Florianópolis – Foto: Marcos CamposTrilha do Gravatá, em Florianópolis – Foto: Marcos Campos

O real prazer está no caminho percorrido ou na chegada? A pergunta parece filosófica, mas no caso das trilhas de Santa Catarina a resposta é simples: o prazer está nas duas coisas. Caminhar até alcançar um belo cenário, tudo isso em contato com a natureza e, muitas vezes, superando seus próprios limites.

Até pode bater aquela preguiça do começo, mas fazer uma boa trilha sempre vale a pena e pela costa catarinense são diversas opções, por isso vamos indicar algumas delas.

Florianópolis

No Sul da capital está a opção de Mata Atlântica altamente preservada que exige esforço, mas o desafio é acompanhado por lindos cenários em todo o percurso. A Lagoinha do Leste tem uma praia de mar aberto e uma lagoa, tudo localizado entre dois costões que mantêm a natureza quase intacta.

Trilha da Lagoinha do Leste, em Florianópolis – Foto: Marcos CamposTrilha da Lagoinha do Leste, em Florianópolis – Foto: Marcos Campos

São duas opções de trilha: pelo Pântano do Sul (2,3 quilômetros de subida íngreme, mas escadas rústicas que facilitam o acesso); e pela Praia do Matadeiro (quatro quilômetros de caminhos difíceis, até 3 horas de percurso com as melhores vistas). Dá para chegar de barco também em negociação direta com os pescadores do local.

Ainda no Sul – mas neste caso no extremo Sul –, está a Praia de Naufragados, um local sob proteção dos órgãos ambientais por se tratar do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro. Ela também pode ser acessada de barco, mas a trilha é mais amigável que a anterior.

São 2,3 quilômetros de extensão em intensidade leve, sem grandes subidas ou descidas, podendo ser feita em menos de uma hora entre trechos de mata fechada e aberta. Chegando lá, é possível ver à frente as Praias do Sonho e a Ponta do Papagaio, no município de Palhoça.

Na região da Lagoa da Conceição, entre as badaladas Praias do Mole e da Joaquina, está uma outra pequena e até meio escondida chamada Gravatá, um lugar tranquilo e acessado somente por trilha ou barco. Com início na estrada geral da Barra da Lagoa, seu caminho tem dois momentos: a estrada para chegar até lá tem bastante subida e a própria trilha é mais leve a caminhada anterior (1,4 quilômetro cada trecho, o que dá uns 30 minutos de caminhada no total). No topo do morro, além da bela vista das praias ao redor, fica uma rampas de salto de parapente da ilha.

Ainda na Lagoa e com melhor infraestrutura que as localidades anteriores, a Costa da Lagoa é um local que proporciona lazer de várias formas: seja pelo passeio de barco, pelos restaurantes ou pela trilha. Mesmo não sendo uma praia, a trilha desemboca em um belo cenário. Em sua totalidade, são pouco mais de seis quilômetros de caminho leve, podendo ser feita em até 2h30 num ritmo tranquilo.

Ao longo do caminho é possível encontrar vilas de moradores e lugares históricos como um engenho de farinha do século 18 que é ativado uma vez ao ano para uma festa local. A principal forma de localização são as 23 paradas de barco, com os restaurantes indo até a parada 18 e esperando com uma boa bebida para quem quiser desfrutar a linha de chegada.

Balneário Camboriú

 A cidade está a 84 quilômetros de distância de Florianópolis.

Não é só nos arranha-céus construídos que é possível ver Balneário Camboriú de cima, na verdade o município tem boas opções naturais que garantem belas vistas aos trilheiros que se aventuram por esses percursos. O primeiro destes caminhos é a trilha do Morro do Gavião, também conhecida com Pico da Teta. É uma trilha leve de 1,5 quilômetro e 250 metros de elevação (cerca de 40 minutos), tudo bem demarcado, garantindo um belo visual dessa mistura de mata, praia e urbano.

Porém, se você quer ter uma visão ainda mais do alto, suficiente para ver até parte de Florianópolis, este lugar é o Pico da Pedra. Esta opção não é exatamente em Balneário Camboriú, pois fica na vizinha Camboriú, mas abrimos uma exceção por proporcionar uma vista única do litoral (680 metros de altura) e, por isso, bastante visitada.

Localizado no Morro da Congonha, a trilha ecológica tem aproximadamente 2,5 quilômetros e é possível ver toda a região interpraias, além de Bombinhas, Tijucas e até um pouco da Grande Florianópolis. Com todo esse alcance, talvez conseguir um binóculo seja interessante, que tal?

São Francisco do Sul

A cidade está a 192 quilômetros de distância de Florianópolis.

Morro do Cantagalo, em São Francisco do Sul – Foto: Prefeitura Municipal de São Francisco do Sul/DivulgaçãoMorro do Cantagalo, em São Francisco do Sul – Foto: Prefeitura Municipal de São Francisco do Sul/Divulgação

O município de São Francisco do Sul, no Norte de Santa Catarina, tem uma forte ligação com o mar e, talvez, o melhor lugar para avistar todas essas belezas seja mesmo o Morro da Cruz, ou Morro do Pão de Açúcar, como é conhecido.

O caminho é de fácil acesso, bem marcado no chão e com pedras de apoio nos locais de dificuldade. É uma trilha leve, com 30 minutos de duração e cheia de sombras proporcionadas pela mata bem preservada. No topo, o mato baixo permite uma bela visão de boa parte do município.

Outra opção com uma vista privilegiada de São Francisco do Sul é a trilha do Morro do Cantagalo, um caminho fechado e até com pouca informação sobre, mas bem avaliado pelos trilheiros que já passaram pela região.

São 3,5 quilômetros de trilha que dá acesso a um pico de 600 metros de altura com mata densa e com possibilidade de encontrar animais silvestres e nascentes pelo caminho. A localização é a Serra do Saí, local que tem uma lenda que diz existir uma passagem para um outro mundo, guardada por galo dourado. Trilhas e histórias.

Explore mais conteúdos da cidade