Qualidade de vida valoriza empreendimentos e aquece mercado em Governador Celso Ramos

Ter tranquilidade no local onde mora faz parte do pacote de quem escolhe Palmas do Arvoredo: segurança, bons serviços, lazer e um mar de beleza

Com infraestrutura, facilidade de acesso, segurança e tranquilidade, terrenos e apartamentos na praia de Palmas registram valorização exponencial nos últimos anos. O loteamento Palmas do Arvoredo é um exemplo desse fenômeno. Nas últimas duas décadas, o empreendimento teve terrenos com valorização acumulada de 4.000%.

Áreas públicas bem cuidadas aumentam a sensação de bem-estar – Foto: Germano Rorato Neto/DivulgaçãoÁreas públicas bem cuidadas aumentam a sensação de bem-estar – Foto: Germano Rorato Neto/Divulgação

Parte disso se explica pelo modelo do loteamento. Para evitar o crescimento acelerado e desordenado, os empreendedores planejaram o ritmo de ocupação, com a venda programada de imóveis a cada ano, e limitaram o uso do solo, com a manutenção de oito áreas de preservação da Mata Atlântica.

Contribuiu para a valorização também o fato de o empreendimento ter sido planejado desde o lançamento, há 25 anos. O urbanismo, todo definido pelo arquiteto Sérgio Sclovsky, inclui avenidas largas, áreas de estacionamento, passarelas para acesso à praia e boulevard.

“Desde a fundação da MTF, em 2011, nós construímos em Palmas. Escolhemos começar por aqui porque foi uma praia que valorizou muito, e sempre se destacou no município por sua infraestrutura e pelo comércio, que sempre foram crescentes. A cada ano vemos novos restaurantes, mercados, serviços. Hoje, as pessoas querem permanecer mais tempo na praia e aproveitar o verão e também as outras estações do ano”, diz Thiago Muller, diretor da Construtora MTF.

Conservação da restinga e da Mata Atlântica é mantida pelo empreendimento – Foto: Germano Rorato Neto/DivulgaçãoConservação da restinga e da Mata Atlântica é mantida pelo empreendimento – Foto: Germano Rorato Neto/Divulgação

Por conta da pandemia e a crescente busca por qualidade de vida, nos últimos dois anos, o perfil de quem investe no loteamento mudou: se antes a maioria buscava um imóvel de veraneio, agora cresce a procura por um local para moradia. Essa também é a percepção de Muller, que observa que a localidade é cada vez mais procurada por pessoas que buscam opções para todo o ano.

A MTF lançou o primeiro edifício na praia em 2011. Desde então já entregou oito empreendimentos. O projeto é planejado para atender pessoas que pretendem morar na praia ou usufruir do apartamento ao longo do ano – não apenas no verão – e vai oferecer diversas opções de lazer e espaços de convivência.

Mudança no perfil do investidor

Leila Martini, corretora de imóveis há 33 anos, 24 deles com atuação em Palmas, onde trabalha e mora, acompanhou todas as mudanças de perto:

“Fui uma das primeiras moradoras da praia a fixar residência, em 2000, e hoje vejo com satisfação que tenho vários vizinhos e pessoas que optaram por viver aqui”, conta.

Nos últimos dois anos, com a pandemia, ela percebe diferença no perfil de quem investe na região. Se antes a maioria buscava um imóvel de veraneio, agora cresce a procura por moradia.

“Percebemos uma mudança no perfil das próprias construções. Os compradores passaram a exigir itens que antes não eram tão importantes, como piscina aquecida, energia fotovoltaica, entre outros”, observa.

Iniciativa privada está mobilizada

Apesar das belezas naturais e do aquecimento em todos os segmentos, o empresário Mirivaldo Aquino de Campos, da Revor Construtora e Incorporadora, chama a atenção para a necessidade de investimentos no curto prazo.

“Palmas é sinônimo de praia, então a qualidade da água é vital para um crescimento sustentável. Palmas é a única que tem infraestrutura própria, mas essa infraestrutura terá que ser ampliada para as duas pontas (Emepal e Gaivota)”, diz.

Segundo ele, empresários da construção civil estão se mobilizando para ampliar a capacidade de tratamento de esgoto para todo o balneário. “Infelizmente, Palmas carece de atenção do poder público, então a iniciativa privada está fazendo a parte dela, embora o crescimento da construção civil em Palmas seja responsável pela maior parte da arrecadação do município”.

Saneamento não é o único desafio a curto prazo. Para o empresário, são necessários investimentos também nas vias de acesso às praias da região. “Se não houver melhorias nas rodovias que levam às praias, não só Palmas, mas outras que também estão crescendo muito, no verão corremos o risco de engarrafamentos”, alerta.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Turismo

Loading...