Ribeirão da Ilha: um pedacinho de Açores dentro de SC

Nosso roteiro do Destino SC Inverno começou no litoral catarinense, um lugar mágico em qualquer época do ano. Fomos até o Ribeirão da Ilha, em Florianópolis, que carrega traços da colonização açoriana com suas casinhas coloridas e cheias de detalhes encantadores e ar de cidade do interior, onde os nativos se conhecem e acolhem os visitantes. Vale a pena dedicar um dia para passear por lá.

Ribeirão da Ilha carrega traços da colonização açoriana – Foto: José Somensi Fotografia/NDRibeirão da Ilha carrega traços da colonização açoriana – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Igreja histórica para conhecer

A Igreja Nossa Senhora da Lapa começou a ser construída em 1790 e foi concluída em 1806. Construída por escravos, traz uma curiosidade do século XVIII: as igrejas eram planejadas como o local mais seguro nas localidades, para abrigar a população em caso de emergência. As janelas nas laterais são raras nesse tipo de edificação.

Endereço: R. Alberto Cavalheiro, 238

Igreja Nossa Senhora da Lapa – Foto: José Somensi Fotografia/NDIgreja Nossa Senhora da Lapa – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Quer morar no Ribeirão? Uma casa em especial está à venda

A primeira casa construída no Ribeirão da Ilha abrigou os escravos que construíram a Igreja da Lapa. Hoje, ainda com parte da construção original, como as janelas, por exemplo, a casa está sendo vendida pela família proprietária. Próxima à Igreja, é possível vê-la por fora e se deixar levar ao passado.

Primeira casa construída em Ribeirão da Ilha – Foto: José Somensi Fotografia/NDPrimeira casa construída em Ribeirão da Ilha – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Renda de bilro: uma tradição de gerações

Sorte nossa conhecer pessoas como a Dona Catarina em nossas viagens. Manezinha nascida de parteira, a moradora do Ribeirão é uma das artesãs que cultiva a confecção de renda de bilro. Aprendeu com a mãe e está disposta a ensinar quem quiser aprender.

Renda de bilro – Foto: José Somensi Fotografia/NDRenda de bilro – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Frutos do mar fresquinhos para a hora da fome

O Ribeirão da Ilha conta com dezenas de restaurantes à beira-mar e serve frutos do mar e peixes da época bem fresquinhos. Visitamos o restaurante Rancho Açoriano, que conta com um espaço interno e outro externo, com as mesas espalhadas sobre um trapiche. O ambiente é acolhedor e decorado com traços açorianos e detalhes encantadores.

Ambiente interno do Rancho Açoriano – Foto: José Somensi Fotografia/NDAmbiente interno do Rancho Açoriano – Foto: José Somensi Fotografia/ND
O Rancho Açoriano é repleto de traços açorianos e detalhes encantadores – Foto: José Somensi Fotografia/NDO Rancho Açoriano é repleto de traços açorianos e detalhes encantadores – Foto: José Somensi Fotografia/ND
Ambiente externo do Rancho Açoriano – Foto: José Somensi Fotografia/NDAmbiente externo do Rancho Açoriano – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Nosso anfitrião foi o proprietário do local, Dário Gonçalves, que nos levou até a fazenda de ostras do restaurante, para mostrar como se cultiva o molusco. Curiosidade: uma ostra leva nove meses para crescer e estar pronta para o consumo.

Fazenda de ostras – Foto: José Somensi Fotografia/NDFazenda de ostras – Foto: José Somensi Fotografia/ND

E depois do passeio, houve apreciação da ostra em quatro opções: in natura, ao bafo, gratinada e crispy.

Apreciação de ostras  – Foto: José Somensi Fotografia/NDApreciação de ostras  – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Rancho Açoriano: Rod. Baldicero Filomeno, 5618

Contato: 3337 0848

Azulejo português mantém a cultura viva

Antes de encerrar o passeio, tivemos a oportunidade de conhecer o artesão Jesus, que trabalha com pintura em azulejo, seguindo a tradição portuguesa. Encontramos ele pintando uma imagem de São Jorge em uma tela de 3,20x2m. Para conseguir pintar a tela tão mais alta que ele, Jesus improvisou uma suspensão para trabalhar sem se preocupar em encostar na tela. Saiba mais sobre este trabalho pelo Instagram @azulejosjesus

Pintura em azulejo, seguindo a tradição portuguesa – Foto: José Somensi Fotografia/NDPintura em azulejo, seguindo a tradição portuguesa – Foto: José Somensi Fotografia/ND

Tudo isso e muito mais aqui em breve

O Destino SC Inverno segue na estrada conhecendo lugares e pessoas incríveis. Em breve você acompanha uma matéria especial no Balanço Geral SC e aqui no portal, construída com a ajuda do historiador Rodrigo Pereira. Não perca!

Conversa com o historiador Rodrigo Pereira – Foto: José Somensi Fotografia/NDConversa com o historiador Rodrigo Pereira – Foto: José Somensi Fotografia/ND

+

Destino SC