Rota das Lagoas: rumo ao Sul da ilha de Santa Catarina

- +
O poeta Zininho cantou no Rancho de Amor à Ilha, hino de Florianópolis a frase: "tua Lagoa formosa", uma evidente referência à Lagoa da Conceição.os

“Porém, não seria exagero nenhum colocar essa frase no plural, já que outras lagoas – não tão grandes, mas tão formosas quanto – garantem uma boa opção de lazer para quem gosta de um lugar com menos vento, sem areia e mais calmo, diferentemente das praias

Florianópolis tem alguns desses lugares, principalmente no Sul da ilha, com opções bem interessantes de lazer e tranquilidade para tomar banho ou simplesmente curtir uma tarde em contato co a fauna e flora, dando ainda mais valor a nossa bela natureza.

Lagoa da Conceição

O destino está a 12 quilômetros do Centro da Cidade

Stand up paddle na Lagoa da conceição. – Foto: Foto_ Flávio Tin _ Arquivo ND,jpgStand up paddle na Lagoa da conceição. – Foto: Foto_ Flávio Tin _ Arquivo ND,jpg

Localizada no Leste, a Lagoa da Conceição dispensa apresentações, com exceção de uma curiosidade técnica: na verdade é uma laguna. Depois de agradar aos geólogos mais exigentes, vale a pena destacar tudo o que a Lagoa da Conceição tem, pois sua extensão de quase 20 Km² faz com que ofereça vários tipos de lazer em seu entorno que contempla nada menos do que oito localidades.

Uma ponte no início da Avenida das Rendeiras passa sobre o estreito que divide a nossa formosa em Lagoa de Dentro e Lagoa de Fora. A primeira banha o Canto da Lagoa e Porto da Lagoa; enquanto a segunda tem o Canto dos Araçás e Costa da Lagoa a Oeste, Galheta e Mole ao Leste, Joaquina e Retiro do Sul, sem contar o Parque Estadual do Rio Vermelho, na parte Norte da Conceição.

Revitalização, Avenida das Rendeiras, Lagoa da Conceição, Florianópolis – Foto: Anderson Coelho/NDRevitalização, Avenida das Rendeiras, Lagoa da Conceição, Florianópolis – Foto: Anderson Coelho/ND

São tantas opções que dá para fazer de tudo. Para a galera das pranchas, tem stand up padle nos lugares com menos incidência de vento. Tem kitesurfe para os locais com mais vento (próximo do Canto dos Araçás) e sandboard atravessando a Avenida das Rendeiras. Para o pessoal do passeio, tem os barcos para a Costa da Lagoa – que também pode ser acessada por trilha, além dos ótimos restaurantes que estão espalhados por todo lugar.

Lagoa do Peri

O destino está a 23 quilômetros do Centro da cidade

No Sul da ilha, entre o Morro das Pedras e a Armação, outra grande opção da nossa lista é a Lagoa do Peri – e esta é lagoa mesmo, totalmente de água doce e que abastece mais de 140 mil casas da região.

Sítio arqueológico histórico Caminho da Gurita, localizado na Lagoa do Peri – Foto: Floripa Arqueológica/Divulgação/NDSítio arqueológico histórico Caminho da Gurita, localizado na Lagoa do Peri – Foto: Floripa Arqueológica/Divulgação/ND

Com um parque Municipal que é uma reserva biológica, o espaço é um dos queridinhos de Florianópolis com uma grande diversidade de animais e Mata Atlântica Primária. Tudo isso a fez ser decretada um patrimônio cultural.

Lagoa da Chica

O destino está a 17 quilômetros do Centro da cidade

Outro espaço lindo que sofre com as estiagens é um problema crônico de assoreamento é a Lagoa da Chica: pequena, aconchegante, mas em risco.

Moradora do Campeche, leva as crianças para um passeio em meio à natureza na Lagoa da Chica – Foto: Marco Santiago/NDMoradora do Campeche, leva as crianças para um passeio em meio à natureza na Lagoa da Chica – Foto: Marco Santiago/ND

Localizada no Campeche, no fim da Rua das Corticeiras, em direção ao Morro das Pedras, o lugar tem um pequeno trapiche, parquinho e um espaço que rende um ótimo piquenique e até um passeio de bicicleta. Às vezes até com visitas de animais silvestres e não é raro encontrar algum simpático jacaré por lá. Tombada como patrimônio natural em 1988, a Lagoa da Chica é uma das queridinhas do Campeche, mas não a única.

Lagoa Pequena

O destino está a 14 quilômetros do Centro da cidade

Também no Campeche, em direção ao Rio Tavares, a Lagoa Pequena tem um belo cenário, principalmente no início do dia, quando nasce o sol, vindo da direção da praia.

Vista aérea da Lagoa Pequena, entre as dunas e o maciço da Costeira – Foto: Flávio Tin/NDVista aérea da Lagoa Pequena, entre as dunas e o maciço da Costeira – Foto: Flávio Tin/ND

Com uma área de 10 hectares, é um espaço com uma natureza rejuvenescida depois que se tornou área de conservação, em 2018. A vegetação de restinga é o que forma o belo cenário com a presença de animais locais, como o lagarto de papo amarelo, lontra e até graxaim – cuidado para não confundi-lo com os “bucicos”, que andam pelo bairro.

Alguns metros de dunas são o que separam a “Lagoinha”- como os nativos chamavam – da Praia do Campeche. Dada sua proximidade com o mar, sua água é salina. Não há monitoramento de qualidade para o banho, que não é recomendado por ser uma área de preservação, mas conhecer o local com uma caminhada  no seu entorno e um piquenique é um programa que sempre vale a pena.

Outras opções

Vale lembrar também que no extremo Norte da ilha temos a Praia da Lagoinha, um nome contraditório. Afinal, é praia ou lagoa? É praia, mas sua formação com um costão que protege as intempéries do mar aberto faz parecer uma lagoa com água quente, mas muito calmo e toda a estrutura de restaurantes e hotéis que o local oferece.

O Parque Natural Municipal da Lagoinha do Leste é um dos espaços preservados com conselho consultivo – Foto: Flávio Tin/NDO Parque Natural Municipal da Lagoinha do Leste é um dos espaços preservados com conselho consultivo – Foto: Flávio Tin/ND

Outro caso ambíguo é o da Lagoinha do Leste – que na verdade fica entre os bairros da Armação e do Pântano do Sul – que só pode ser acessada por uma longa trilha ou barco. Além de uma praia lindíssima, há uma lagoa no local, com água calma e vegetação preservada.