Seria a Guarda do Embaú a versão brasileira da Indonésia?

Para Paulo Zulu, ex-surfista e modelo, a Guada do Embaú é sinônimo de qualidade de vida

O destino está a 56 quilômetros de Florianópolis.

Guarda do Embaú – Foto: Flavio Tin/Arquivo NDGuarda do Embaú – Foto: Flavio Tin/Arquivo ND

Não foram os grandes centros mundiais, como Paris, Milão, Nova York, São Paulo ou Rio de Janeiro que o ex-surfista e modelo Paulo Zulu escolheu para viver e chamar de lar. A necessidade de morar em um lugar que o fizesse feliz e que o contato com a natureza fosse sinônimo de qualidade de vida, fez com que escolhesse a Guarda do Embaú há mais de 20 anos para estreitar os laços com a cidade e construir raízes no local. Hoje, para ele o segredo da longevidade está atrelado a uma alimentação balanceada e a prática de exercício físico.

“Depois que conheci a Guarda, vim pra cá com 17 para 18 anos, tive a chance de comprar um terreninho e montar uma casinha de pescador e começar a frequentar o lugar. Foi uma afinidade muito grande”, relembra. “O lugar me deu autoconhecimento, me deu paz, muita coisa positiva. Vi que aqui minha qualidade de vida seria muito grande sem ter que ter muito dinheiro. É complicado você ganhar dinheiro e ter que estar em um lugar que não te proporciona boas coisas. Então fiz esta opção.”

Ao lado de mais três amigos surfistas, Zulu resolveu conhecer qual seria a “vibe” deste lugar que, até então, era considerado um dos melhores para surfar. Para ela, até “pareciam as ondas da Indonésia”. Encantado pelo ritmo calmo da vila de pescadores e pelo cultivo da alimentação local, em que as pessoas plantam o que comem, assim que começou a ganhar destaque na carreira de cantor, ainda lá em 1997, construiu uma pousada na Guarda como investimento de futuro. 

Paulo Zulu – Foto: Toti Jordan | Vira ComunicaçãoPaulo Zulu – Foto: Toti Jordan | Vira Comunicação

Hoje, a Pousada Zuzuland tem 6500 metros quadrados de área de lazer, atrelado ao descanso e contato com a natureza. Ainda que com a agenda profissional movimentada e viagens de trabalho, sempre que está pela Guarda Embaú a rotina é a mesma. “Aqui acordo cedo, vou soltar as galinhas que tem na Pousada Zululand, vejo se está tudo certo por lá, cuido da horta. Volto, tomo um café, corro ou surfo, volto e administro a pousada”, comenta Paulo ao descrever a sua rotina no local. 

Para ele, a Guarda do Embaú tem uma magia. Os benefícios de explorar a região a pé e curtir a beleza natural de caminhar pelas praias e enxergar o desenho geográfico da região proporciona vivenciar momentos inesquecíveis. “O principal é vir para entrar em harmonia com si mesmo. Relaxar. Quem vem pra cá pode aproveitar bem o dia, refletir, pensar na vida e voltar bem para casa e para o trabalho feliz. É isso que faz a vida andar para frente. Aqui tem muita coisa boa pra fazer. Pra mim, esse lugar é mágico e gosto muito de compartilhar de tudo de bom que aqui proporciona com outras pessoas.”

Explore a Guarda do Embaú

O paraíso no litoral catarinense é um convite a céu aberto para quem quer explorar novos lugares e, de brinde, ser rodeado com belas paisagens naturais. Assim como a magia da Guarda do Embaú que há 20 anos envolve Zulu, você também pode se contagiar ao conhecer este lugar. Separamos quatro dicas para ajudar você a se programar para incluir esta região na sua rota do verão:

Pedra do Urubu

Para ver esse paraíso de cima, a Pedra do Urubu é um dos atrativos. Com a possibilidade de ver toda a região, a caminhada até o topo leva, em média, 30 minutos. É importante usar protetor solar e não esquecer da água para beber durante a caminhada. 

Praia da Guarda do Embaú

Listada como a nona Reserva Mundial de Surf (RMS), o local é frequentado por surfistas que vêm conhecer a região do “paraíso do surfe”. Localizada a cerca de 50 quilômetros de Florianópolis, a Praia da Guarda do Embaú é um vilarejo habitado, na grande maioria, por artesãos, surfistas e pescadores. 

Travessia do Rio da Madre

Um dos encantos da Guarda do Embaú é a famosa Travessia do Rio da Madre. Com 150 metros que distanciam o rio da praia, os turistas costumam fazer esse trajeto de barco, com valor agregado de baixo custo para a travessia, ou para os mais corajosos, a nado. 

Vale da Utopia

Fazer a travessia para conhecer o Vale da Utopia que fica entre a Praia do Maço e a Prainha requer resistência: no total, são seis horas de caminhada e é necessário usar roupas leves e adequadas para essa atividade, além de um mochila equipada com frutas e água para beber. Como parte do Parque Estadual da Serra do Tabuleiro, a caminhada é rodeada de preservação.

Explore mais conteúdos da cidade