Temporada na pandemia: o que Florianópolis já definiu para chegada de turistas

Órgão de turismo do município disse que está investindo em divulgação dos cuidados que devem ser tomados

A menos de um mês do início do verão, os turistas começaram a chegar às praias de Florianópolis e junto com eles a expectativa de que a temporada poderá ser positiva, apesar da pandemia.

Ao contrário dos anos anteriores, a Superintendência de Turismo da Prefeitura de Florianópolis não fará a divulgação da cidade. Todo o trabalho está voltado para atender aos protocolos sanitários.

Temporada 2021 em Florianópolis terá foco nos protocolos sanitários – Foto: Anderson Coelho/NDTemporada 2021 em Florianópolis terá foco nos protocolos sanitários – Foto: Anderson Coelho/ND

“Essa será uma temporada diferente de todas as que tivemos, mas temos certeza que será positiva”, afirmou Fábio Queiroz, superintendente de Turismo de Florianópolis. Segundo ele, a superintendência fará a divulgação dos protocolos para turistas, moradores e empresários.

“É importante sensibilizar a todos sobre os cuidados que devem ser tomados. Apenas a fiscalização sem a sensibilização não resolve”, disse. Um vídeo sobre os protocolos que devem ser respeitados por quem visita Florianópolis foi recentemente produzido e encaminhado para empresas aéreas e agência de viagens.

Sobre a liberação da permanência na praia e a taxa de ocupação de leitos de hotéis e similares, Fábio Queiroz afirmou que o trade turístico irá discutir com o governo quanto a uma nova orientação que atenda a demanda da temporada de verão.

Quanto à infraestrutura nas praias, banheiros, chuveiros, quiosques e o programa Floripa Dax um Banho terão a mesma formatação da temporada passada. Os decks dos 140 quiosques já estão sendo instalados nas praias e o sorteio que definiu os ambulantes foi realizado na semana passada. Serão mais de 200 banheiros e 40 chuveiros espalhados em 25 praias.

Perfil do turista da temporada que se aproxima será diferente – Foto: Anderson Coelho/NDPerfil do turista da temporada que se aproxima será diferente – Foto: Anderson Coelho/ND

Sem estrangeiros

O perfil do turista da temporada que se aproxima será diferente, segundo a projeção da Superintendência de Turismo da Capital. “Esse ano não teremos muitos estrangeiros, receberemos mais visitantes de outros estados e de outras cidades de Santa Catarina. Acredito que até mesmo na Serra haverá esse movimento durante o verão”, afirmou Fábio Queiroz.

Lúcia e Ricardo Abreu são de Niterói (RJ) e estão em Florianópolis pela primeira vez para comemorar o aniversário de seis anos de casamento. “A ideia era irmos para o Chile, mas achamos melhor deixar para outro momento e então escolhemos Floripa. Foi uma boa escolha”, disse Lúcia.

O paulistano João Paulo Francisco também visita Florianópolis pela primeira vez. Ele ganhou uma promoção e pode escolher o destino da viagem. “É tudo muito bonito”, resumiu.

Lotação máxima

Enquanto os protocolos não mudam, as escunas saem com a lotação máxima permitida quase todos os dias. Ontem foi um domingo atípico desde o início de outubro, quando o transporte turístico foi liberado para operar. De acordo Cíntia Christoff, gerente das Escunas de Canasvieiras, três escunas saíram para o passeio de 1h30, geralmente são dois passeios no final de semana, durante a semana é um.

O passeio é um dos programas turísticos mais procurados por famílias que visitam Florianópolis e, segundo Cíntia, isso não mudou. O que está diferente agora é o público. “Tínhamos sempre muitas famílias argentinas nos passeios, agora apenas turistas brasileiros e até moradores da região”, disse.

Ao adquirir as passagens para a viagem de escuna o passageiro é informado que não é permitido o consumo de comidas e bebidas na embarcação e que não há paradas com desembarque para banho ou para o almoço. “A escuna para em frente às fortalezas e o guia conta a história do local, mas não há desembarque porque estão todas fechadas”, explicou Cíntia.

Drink para Maurren

“Não dá para dizer está ruim, até drink para a Maurren Maggi, aquela atleta famosa, alta, nós servimos ontem (sábado)”, contou Giza Parkuts.
Giza e o marido Walter França montaram uma barraca em Jurerê onde servem bebidas e alguns petiscos, antes disso eles alugavam cadeiras. “Estamos vindo para cá (Jurerê) desde setembro, mas só agora em outubro montamos essa barraca. Está dando certo e acho que vai melhorar”, afirmou Walter enquanto chacoalhava a coqueteleira.

+

Turismo