Torres de igreja submersa são atração turística em Santa Catarina; saiba onde fica

Antiga cidade de Itá foi totalmente demolida para se tornar parte da represa da Usina Hidrelétrica cidade, menos as torres da antiga igreja; veja a história

No lago onde hoje se navega de barco, canoa, lancha ou se pratica stand up em Itá, no Oeste de Santa Catarina, um dia foram ruas e avenidas repletas de casas, comércios, escolas, onde moravam aproximadamente mil pessoas.

Dos 25 metros das torres da antiga Igreja Matriz São Pedro, 15 estão submersos – Foto: Acervo Secretaria de Turismo/DivulgaçãoDos 25 metros das torres da antiga Igreja Matriz São Pedro, 15 estão submersos – Foto: Acervo Secretaria de Turismo/Divulgação

A cerca de 50 metros abaixo da água existia a antiga cidade de Itá, a 512 quilômetros da capital do Estado. O município, que ficava em um vale, foi completamente inundado pelas águas do Rio Uruguai para se tornar parte da represa da Usina Hidrelétrica de Itá.

A obra inteira alagou 141 quilômetros quadrados, formando um enorme lago artificial com 700 quilômetros de margem. Toda essa extensão abarca sete municípios catarinenses e mais quatro gaúchos. A Usina Hidrelétrica em si está instalada na cidade gaúcha de Aratiba, a cerca de seis quilômetros de Itá, e funciona desde o ano 2000.

As torres e a Igreja Matriz São Pedro na antiga Itá – Foto: Acervo Prefeitura Municipal de Itá/DivulgaçãoAs torres e a Igreja Matriz São Pedro na antiga Itá – Foto: Acervo Prefeitura Municipal de Itá/Divulgação

Foi na década de 1980 que os moradores do centro urbano de Itá receberam a proposta de mudar de local para dar espaço às águas que serviriam para produção de energia. Se fosse possível mergulhar no lago, não daria para avistar nenhum vestígio da antiga cidade, pois foi demolida antes do alagamento da área, com uma única exceção: as torres da Igreja São Pedro. O corpo do edifício foi derrubado no ano de 1995, mas ninguém conseguiu demolir suas torres.

A primeira tentativa foi com uma retroescavadeira, que segundo contam alguns moradores, teve até a pá quebrada tentando colocar o prédio abaixo. Cordas amarradas ao redor das torres também tentaram derrubá-las à força, sem sucesso.

Parte da população então se uniu pedindo para que as torres ficassem onde estavam. Acreditava-se que era um sinal divino o fato de ninguém ter conseguido demoli-las. Além disso, elas seriam um marco que manteria vivo a história da antiga cidade e de sua gente.

Além da própria edificação, todo o processo de mudança da cidade que foi submersa está registrado em documentos, fotos e vídeos nos museus do município e no salão de exposições do Centro de Divulgação Ambiental da Usina Hidrelétrica, que é aberto à visitação.

As torres da antiga Igreja Matriz São Pedro resistem até hoje no meio do lago e se tornaram um dos principais pontos turísticos da cidade, onde é possível chegar apenas de barco. Quando estiver navegando próximo à igreja, imagine que bem em frente ficava a principal rua de acesso da cidade. O passeio, além de contemplar a linda paisagem, pode ser também um momento de reflexão e conexão.

Por que conhecer Itá?

Com a cidade completamente submersa, Itá foi transferida de local e toda sua população realocada em uma área mais alta, a cerca de quatro quilômetros de distância das terras do antigo município.

Todo material possível foi reaproveitado na nova Itá, desde os calçamentos em pedra até tijolos e outros itens da demolição das casas. Algumas propriedades de madeira em bom estado foram transportadas inteiras em caminhões para o novo terreno.

Na praça central da atual Itá está alocada a Pedra Fundamental da cidade, que simboliza a construção do novo município. Foi ao redor dela que a nova Itá começou a ser edificada e passou a ganhar casas, comércios e estruturas públicas. A cidade nova foi oficialmente inaugurada em 1996.

A base econômica do município foi e continua sendo o agronegócio, mas a criação do lago artificial, a resistência das torres da igreja e a história de uma cidade submersa está impulsionando outra área de Itá: o turismo.

O que fazer em Itá?

Mirante Caracol é atração turística em Itá – Foto: Acervo Secretaria de Turismo/DivulgaçãoMirante Caracol é atração turística em Itá – Foto: Acervo Secretaria de Turismo/Divulgação

É claro que um dos principais atrativos em Itá é conhecer o lago artificial que tomou o lugar da antiga cidade. São vários os meios pelos quais é possível percorrê-lo. Você pode, por exemplo, fazer um passeio de barco, indo até a fronteira do Rio Grande do Sul, com direito à vista do pôr do sol e as torres da igreja iluminadas à noite.

Ou então poder percorrer a área em um passeio de lancha durante o dia. Agora, se você quiser nadar no lago, saiba que também é possível, na Prainha de Itá. É de lá, inclusive, que saem os passeios que mencionamos acima. Com uma faixa de areia de dois mil metros quadrados, o local conta com bar, choupanas, trapiche e banheiros. Um ótimo local para curtir a paisagem e se divertir.

Outra opção para aproveitar as águas da cidade é o Aqua Parque Itá Thermas, um complexo turístico com 15 piscinas, dez externas e cinco cobertas, e toboáguas. O espaço também conta com bar molhado, restaurante, hamburgueria e outras opções gastronômicas.

Para os mais aventureiros, o Itá Eco Turismo deve estar na rota de visitação ao município. Em uma área de 25 mil metros quadrados, o visitante pode fazer trilhas, praticar arvorismo, andar de tirolesa e muito mais. O parque conta com um mirante que dá para uma das melhores vistas da cidade e do lago de Itá.

Por falar em belas vistas, o município possui diferentes locais de contemplação da paisagem. Um deles, o Belvedere Dona Roma, fica na região central. É uma área arborizada, que mira o lago e as montanhas que margeiam o Rio Uruguai. Sem dúvidas, um ótimo lugar para apreciar o pôr do sol.

Mas há também as opções do Mirante Caracol, que recebe esse nome por sua estrada ser em formato espiral, e o Mirante Vertedouro da Usina. Desse último, a vista é para a barragem e para as seis comportas do vertedouro que controlam o nível do reservatório da Usina Hidrelétrica.

Visite também os museus e espaços de memória da cidade para conhecer seu processo de colonização e as mudanças que ocorreram da década de 1980 a 2000. Coloque no roteiro o Museu Casa Camarolli, a Casa da Cultura, o Museu do Balseiro e o Centro de Divulgação Ambiental.

Como você pode ver, tanto a antiga quanto a nova Itá tem muito a oferecer aos seus visitantes. A cidade também conta com dois resorts, pousadas e hotéis. Agora só falta agendar a data para conhecê-la.

Explore mais conteúdos da cidade