Turismo do Contestado: religiosidade e história no Norte de SC

Turismo do Planalto Norte catarinense remete aos tempos de guerra, unindo história e religiosidade em vários espaços da região

A história e a religiosidade envolvidas na Guerra do Contestado ainda se mostram vivas no turismo do Planalto Norte catarinense. Diversos espaços da região conservam uma parte do passado e atraem pessoas de vários cantos do país para conhecerem o lugar.

Um desses espaços é a Capela Santa Cruz, em Canoinhas. Em um ponto íngreme da cidade, ela se destaca por fora e também por dentro, onde guarda uma cruz de madeira colocada pelo monge João Maria de Jesus, uma das figuras simbólicas da Guerra do Contestado.

Capela Santa Cruz abriga cruz instalada pelo monge João Maria – Foto: Prefeitura de Canoinhas/DivulgaçãoCapela Santa Cruz abriga cruz instalada pelo monge João Maria – Foto: Prefeitura de Canoinhas/Divulgação

“Muitas cidades têm santos padroeiros e nós temos a Santa Cruz no dia 3 de maio, data em que ela foi colocada no local”, explica Carolina Carvalho, gestora da Fundação Cultural de Canoinhas.

A religiosidade também está presente em outras cidades da região, como Mafra. Em todo 12 de outubro, fiéis se reúnem para prestar homenagem à Nossa Senhora Aparecida, cuja imagem chama a atenção em frente à Igreja Matriz da cidade.

Além da religiosidade, a história é parte do turismo local no Norte catarinense. Em Irineópolis, o Casarão Domit, construído há mais de 90 anos, conserva louças, cristais, pratarias e muito mais em um rico acervo.

Casarão Domit foi construído há mais de 90 anos em Irineópolis – Foto: Prefeitura de Irineópolis/DivulgaçãoCasarão Domit foi construído há mais de 90 anos em Irineópolis – Foto: Prefeitura de Irineópolis/Divulgação

“Meu avô Joaquim Domit veio para região como delegado de divisas entre Paraná e Santa Catarina, como apaziguador. Instalou-se, montou uma empresa colonizadora e fez sua vida no município”, conta Roberto Domit, empresário da região.

A praça Lauro Müller, em Canoinhas, é outro atrativo turístico e histórico. Durante a guerra, tropas federais se alojavam no lugar que, hoje, é ponto de encontro dos moradores.

A gastronomia da cidade também remete ao passado: em uma casa de café, pratos típicos húngaros e de outras origens aguçam o paladar. E ainda tem a cerveja: em Canoinhas, fica a cervejaria mais antiga do Brasil, a Canoinhense, fundada em 1908.

Cervejaria Canoinhense é a mais antiga do Brasil – Foto: Prefeitura de Canoinhas/DivulgaçãoCervejaria Canoinhense é a mais antiga do Brasil – Foto: Prefeitura de Canoinhas/Divulgação

A história na região, porém, não se reduz apenas aos tempos da guerra. O Planalto Norte é referência em estudos arqueológicos e fósseis com milhões de anos são encontrados com frequência.

“Documentos mostram que pesquisadores já estiveram aqui desde 1908, mas foi na década de 1980 que pesquisadores, principalmente do Rio Grande do Sul, fizeram pesquisas mais avançadas. Como centro de pesquisa em paleontologia, iniciamos as atividades em 1997 e, a partir de então, as pesquisas acontecem de forma contínua”, diz Luiz Carlos Weinschutz, geólogo e pesquisador da Universidade do Contestado.

Cerveja, história, boa gastronomia: em apenas um roteiro, o turista do Contestado consegue experimentar diversas experiências!

Caminhos do Contestado é uma produção especial da NDTV Record Joinville exibida em três episódios no programa Balanço Geral. O primeiro trata da Guerra do Contestado, enquanto o segundo aborda a economia na região. Assista ao terceiro episódio:

+

Caminhos do Contestado