Turistas estendem feriadão e lotam as praias na Quarta-feira de Cinzas

O Carnaval já passou, mas expectativa é de que o turismo na Ilha permaneça em alta até o final do mês

Flávio Tin/ND

Há quem tenha estranhado o movimento intenso nas ruas da Capital nesta Quarta-feira de Cinzas, mas a verdade é para muita gente as férias só acabam no final do mês. Com isso, o reflexo na ilha é bastante notável, tanto nos balneários quanto nas principais ruas que ligam as praias ao centro.  Para a Federação dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de Florianópolis, o movimento está dentro do esperado.

Embora a alta temporada não tenha chegado ao fim – vai até o final do mês –, o presidente da Federação, Estanislau Emílio Bresolin, faz uma avaliação positiva do período. De acordo com ele, janeiro registrou uma média de movimentação um pouco abaixo da do ano passado, mas não chegou a prejudicar as redes hoteleiras e nem os estabelecimentos que dependem do turismo para sobreviver. Em janeiro de 2015, o órgão somou 77,3% no movimento de turistas nesses locais, contra 79,2% no ano passado.

Os hotéis do Centro da Capital foram os mais procurados, com ocupação de 78,6%, representando 3,6% a menos que no ano passado. Já os hotéis litorâneos, o movimento foi 2,7 % abaixo do que em 2014, registrando 77,1% de ocupação.

“Está tudo dentro da estimativa da Federação. Em fevereiro, normalmente a movimentação de turistas na cidade costuma diminuir em relação a janeiro, que continua sendo o mês mais procurado. Mesmo com as festas de Carnaval, essa tendência deve permanecer”, comenta Bresolin.

Ele lembra que aproximadamente 40% dos turistas na Capital são argentinos. “Acredito que neste ano receberemos um pouco menos de turistas desse país por conta da forte crise econômica que a Argentina vem passando, mas, ainda assim, aqui continua sendo o destino tradicionalmente mais procurado por eles, por ser a faixa litorânea mais próxima no Brasil”, conta, lembrando que estrangeiros de países como Chile, Uruguai e Paraguai também costumam procurar bastante a cidade para passar as férias.

Ainda de acordo com ele, a pequena queda no movimento turístico da ilha em fevereiro poderá ser atribuída às fortes chuvas que caíram na região nos dias de Carnaval, o que pode ter desestimulado a vinda de algumas pessoas para a cidade. “Apesar disso, Florianópolis era considerada pelo Ministério do Turismo como o segundo lugar que mais receberia turistas durante o Carnaval, perdendo apenas para o Rio de Janeiro . Acredito que essa estimativa tenha se concretizado”, atenta.

Previsão é de 5,7 milhões de turistas no Estado

A Secretaria Estadual de Turismo, Cultura e Esporte ainda não fechou o balanço de movimentação turística durante a alta temporada, mas acredita que Santa Catarina receberia 5,7 milhões de Turistas até esta quarta-feira (18).

“Mesmo sem os dados, podemos fazer uma avaliação preliminar bastante otimista. Não tivemos problemas de falta de água e luz , apenas algumas situações pontuais, o que deixa uma imagem positiva perante os turistas nacionais e internacionais.”, justifica o secretário Filipe Mello.

Para ele, a previsão turística de 5,7 milhões de visitantes se confirmou, porém, somente com os dados oficiais que serão divulgados pela Secretaria da Fazenda poderá se confirmar o impacto do turismo em Santa Catarina.

A Secretaria de Turismo de Florianópolis também não divulgou seu estudo sobre o turismo na cidade, mas acredita que na próxima semana já terá os dados oficiais.

Movimento nas rodovias deve se normalizar

Conforme a previa a PRF (Polícia Rodoviária Federal), o movimento foi dobrado nas rodovias federais durante o feriadão de Carnaval, principalmente na sexta-feira e no sábado, dias 13 e 14. Aproximadamente 11 mil veículos foram autuados com excesso de velocidade e 99 motoristas foram pegos dirigindo embriagados pelas rodovias federais. “Em Laguna, por exemplo, onde normalmente passam 40 mil veículos por dia, foram contabilizados 80 mil nesse feriado. Em Balneário Camboriú foi semelhante, com aumento de 60 mil para 120 mil veículos por dia”, conta o chefe de comunicação da PRF em Santa Catarina, Luiz Graziano.

Segundo ele, na Grande Florianópolis o ponto mais crítico é no entroncamento da BR-101 com a Via Expressa, onde transitam cerca de 170 veículos diariamente. Porém, o impacto do Carnaval não foi sentido por causa da ausência de aulas e de expediente em muitas empresas na ilha. Agora, a previsão é de que o movimento volte a se normalizar.

Já a Polícia Rodoviária Estadual registrou 5542 autuações nas rodovias estaduais.  Na Operação Alegria 2015, que marca o período de Carnaval, 588 policiais trabalharam em 375 barreiras em toda Santa Catarina. Houve 152 acidentes e 10 prisões por embriaguez ao volante.

A Polícia Civil também encerrou sua operação de Carnaval em Florianópolis. Ao todo, 60 eventos foram fiscalizados em 18 dias. Durante as ações, foram analisados alvarás de funcionamento, capacidade de público, estruturas físicas e regularização do horário, além de impedir eventuais eventos clandestinos.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Turismo

Loading...