Verão em Florianópolis: o que você precisa saber antes de viajar para as férias em SC

Pensando na melhor forma de aproveitar as praias da Ilha da Magia, a equipe do ND+ preparou um guia com as melhores dicas

A temporada de verão em Florianópolis pode ser mágica. A Ilha da Magia, como é chamada carinhosamente pelos nativos, dispõe de banhos de mar refrescantes, pores do sol extasiantes e paisagens inenarráveis, sem contar os bares, shows e restaurantes à beira da praia. E quando a visita é bem planejada, pode ser ainda melhor. Por isso, a equipe do ND+ preparou dicas para que cada minuto na Ilha seja bem aproveitado.

Florianópolis tem 42 praias com características diferentes que agradam diversos gostos – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/NDFlorianópolis tem 42 praias com características diferentes que agradam diversos gostos – Foto: Anderson Coelho/Arquivo/ND

Qual praia devo ir?

Esta é a pergunta que os turistas mais fazem. Afinal, são 42 praias, quantidade quase impossível de visitar em um curto período de tempo. Em vez de indicar quais são as melhores praias da cidade – algo que é muito relativo e depende de diversos fatores – vamos listar aqui algumas opções diversificadas e dicas de como escolher a praia com a qual cada turista mais se identifica.

Florianópolis pode ser dividida em três principais regiões de praias, para melhor identificação. São elas: Norte, Leste e Sul da Ilha.

As três principais regiões de praias da Ilha são Norte, Leste e Sul – Foto: Reprodução/Google My Maps/NDAs três principais regiões de praias da Ilha são Norte, Leste e Sul – Foto: Reprodução/Google My Maps/ND

O Norte da Ilha é a região que tem mais praias e mais infraestrutura. Quanto mais ao Norte, normalmente há menos vento, as águas são menos geladas e o mar é mais calmo, com poucas ondas. Algumas opções são as praias de Jurerê, Canasvieiras, Daniela e Ponta das Canas.

As praias do Sul da Ilha têm faixas de areia largas, a água geralmente é gelada e com ondas fortes e altas, opção que agrada os surfistas. A região é muito conhecida por conta da Ilha do Campeche, uma outra pequena ilha que tem águas calmas e cristalinas, além da paisagem totalmente natural.

As águas cristalinas transformam a Ilha do Campeche em um Caribe brasileiro – Foto: Marco Santiago/Arquivo/NDAs águas cristalinas transformam a Ilha do Campeche em um Caribe brasileiro – Foto: Marco Santiago/Arquivo/ND

Há barcos que fazem passeios diários para a ilha. Os preços variam entre R$80 e R$150, dependendo da época do ano. As praias mais conhecidas e frequentadas são a Praia da Armação e do Campeche, mas a Praia de Naufragados, por exemplo, é uma boa opção para quem é apaixonado por belezas naturais mais isoladas.

Já as praias do Leste são as mais queridas pelos surfistas e praticantes de esportes aquáticos. Estão sujeitas a rajadas de ventos e têm águas geladas, com ondas altas e fortes. As praias Mole, da Joaquina e da Galheta são bem vistas pelos turistas. Vale também conhecer a prainha e as piscinas naturais da Barra da Lagoa. É possível aproveitar a natureza e também conhecer os bares e restaurantes da região.

Gastronomia na Ilha da Magia

Seguindo a mesma lógica de divisão das praias de Florianópolis, selecionamos três pontos turísticos que valem a pena serem visitados.

No Norte da Ilha, Santo Antônio de Lisboa é um local de tirar o fôlego. Este é um bairro histórico, com a primeira igreja da cidade, a arquitetura característica açoriana e as ruas de paralelepípedo. O bairro é famoso por seus restaurantes de frutos do mar e pelo pôr do sol.

Santo Antônio de Lisboa é um bairro conhecido pelo lindo pôr do sol e pela gastronomia – Foto: Divulgação/NDSanto Antônio de Lisboa é um bairro conhecido pelo lindo pôr do sol e pela gastronomia – Foto: Divulgação/ND

A Lagoa da Conceição, que fica na região Leste da cidade, tem opções diferenciadas de bares e restaurantes na Avenida das Rendeiras. O bairro é uma boa mistura entre as belezas naturais das dunas e lagoas. E para quem gosta de agito, o local também é movimentado durante a noite e oferece eventos.

No Sul da Ilha, o Pântano do Sul é uma das mais importantes colônias de pescadores de Florianópolis. A região também tem como atração principal o pôr do sol e a gastronomia especializada em frutos do mar.

Locomoção de Norte a Sul

E, afinal, como visitar todos estes locais? É comum que os preços dos aplicativos de motoristas fiquem mais altos em determinados horários, principalmente no verão, quando o trânsito na Ilha é mais intenso. Normalmente, os aumentos estão atrelados aos momentos em que há mais pessoas indo ou voltando da praia. Uma boa dica é fazer esses trajetos mais cedo e, quando o bolso aperta, se programar para pegar o transporte público.

Uma ferramenta muito utilizada pelos moradores do município é o ‘Floripanoponto’, aplicativo da empresa responsável pelo transporte coletivo de Florianópolis. Nele é possível ver os horários que o ônibus passará no ponto desejado, uma vez que os veículos são rastreados em tempo real pelo aplicativo. Também é possível ver dicas de rotas para chegar mais rápido no destino.

Outro aplicativo que pode ser utilizado é o ‘Moovit’, que mostra os horários programados do ônibus, mas não em tempo real. A ferramenta é capaz de indicar os trajetos e horários para cada destino, opção que é interessante para quem ainda não conhece os trajetos da região.

Quando se busca conforto, o indicado é utilizar aplicativos de transporte como ‘Uber’ e ‘99’. O lado positivo de usar serviços de motorista particular é a rapidez e também a versatilidade, já que não é necessário esperar o horário do ônibus ou procurar lugar para estacionar. Mas é preciso tomar cuidado, mais uma vez, com os horários. Com o aumento das demandas e do trânsito, a dinâmica do preço das corridas aumenta rapidamente.

Também é possível alugar carros para percorrer a Ilha. Empresas como Localiza, Unidas e RentCars oferecem diversas opções, com preços que variam conforme cada modelo de veículo. Normalmente há locadoras como essas no Centro da cidade, perto do Terminal Rodoviário Rita Maria, e no Sul da Ilha, perto do Aeroporto Internacional Hercílio Luz.

Hospedagem

Naturalmente, os preços de hospedagem também ficam mais altos com o aumento da demanda. O principal conselho também é comprar com antecedência para garantir um bom local com um preço justo.

Plataformas como ‘Airbnb’ e ‘Booking’ são boas ferramentas para aluguel de casas, uma vez que apresentam menos risco de golpes ou problemas com os proprietários. Há também a possibilidade de alugar diretamente com imobiliárias.

Para hotéis e pousadas, além das duas ferramentas já mencionadas, também é possível acessar o site da ‘Trivago’ que seleciona estabelecimentos conforme preços e exigências do consumidor. Também há a possibilidade de reservar pelo site dos empreendimentos, mas sempre com o cuidado de verificar se é confiável.

Trajetos até Florianópolis

Com a alta demanda, as passagens de avião durante a temporada de verão ficam com os preços mais altos. Por conta disso, a principal dica é o planejamento, afinal comprar com antecedência pode render bons descontos.

Saindo de São Paulo, passagens de ida e volta compradas perto da temporada podem custar, em média, R$ 1 mil. Já em uma compra antecipada para o mesmo período, o preço fica mais acessível: ida e volta podem custar R$ 300. Sites como ‘Max Milhas’ e ‘123 Milhas’ costumam apresentar diversas opções de preços e promoções.

Já o preço das passagens de ônibus não têm tanta variação ao longo do ano, o que facilita para aqueles que não conseguem comprar com antecedência. Outra opção viável é a viagem de carro, dependendo da distância percorrida.

A principal rodovia de acesso à Ilha é a BR-101. Para quem vem sentido Norte do estado, deve pegar a entrada no quilômetro 206 no município de São José. Para quem vem do Sul do estado, deve entrar no quilômetro 208 da rodovia, também em São José. Os dois caminhos levam até a Via Expressa, na BR-282, que logo depois encaminha até a ponte de entrada na Ilha.

Passaporte da vacina

Por conta da pandemia, a Prefeitura de Florianópolis estabeleceu, em decreto, a exigência do passaporte da vacina contra a Covid-19 a partir do dia 16 de novembro de 2021. Pessoas com mais de 18 anos deverão ter a comprovação das duas doses e pessoas de 12 a 17 anos deverão ter, ao menos, a primeira dose.

Essa determinação é obrigatória em estabelecimentos e serviços do setor de eventos, como, por exemplo, shows, feiras, congressos e jogos de futebol, com público superior a 500 pessoas. Já para eventos em que não há público maior que 500 pessoas, os comerciantes poderão adotar o selo ‘Local Seguro’, que indica que o local recebe apenas pessoas já vacinadas.

Para comprovar a vacinação, basta baixar o aplicativo ‘Conecte SUS’ e colocar os dados. Mas também serão aceitos os cartões de vacinação impressos que sejam comprovadamente registrados por órgãos oficiais nacionais ou estrangeiros de vacinação.

*Sob a supervisão da editora Marina Simões.

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

Turismo

Loading...