Quem é a catarinense que vem sofrendo ataques machistas no Big Brother italiano

Após ser abandonada pela mãe quando criança e passar fome, a joinvilense se tornou modelo e atualmente vive na Itália

O Gran Fratello, versão italiana do Big Brother, vem chamando a atenção dos brasileiros depois que a catarinense Dayane Mello foi vítima de comentários machistas e xenofóbicos no reality show.

A modelo catarinense mora atualmente na Itália- Foto: Instagram/ReproduçãoA modelo catarinense mora atualmente na Itália- Foto: Instagram/Reprodução

Segundo o jornalista Hugo Gloss, a Joinvilense é uma das favoritas a levar o prêmio. A modelo, que foi abandonada pela mãe quando criança e chegou a passar fome, conseguiu diversos trabalhos no Chile após despontar no mundo da moda e, em 2014, se mudou para a Itália.

Dayane participou de outros reality shows como a Ilha dos Famosos e a versão local do Dança dos Famosos.

No reality

Um dos participantes do Gran Fratello, o comentarista e repórter Francesco Oppini usou termos preconceituosos ao se referir a catarinense dentro do reality.

Quando Oppini foi votado pela modelo em um paredão, começou a atacá-la e chegou a dizer que Dayane “seria estuprada”, ao se referir a uma das festas em que a modelo ficou bêbada.

Após assistir as falas do repórter, a brasileira o confrontou. “Que imagem está passando de mim? Já é a segunda vez que isso acontece! Não é porque eu tenho a mente aberta e seja diferente, que vocês pode me dizer essas coisas. Sou mãe! Se amanhã as mães falarem sobre isso na escola de Sofia? Tenho uma filha que me assiste em casa”, afirmou.

Diante da polêmica, o público italiano tem acusado os brasileiros de interferirem na votação do programa, já que a modelo voltou de vários paredões. Após as acusações, o reality passou a ser mais acompanhado pelos brasileiros que querem a catarinense campeã.

+

TV