Congresso de rádio e televisão, em Florianópolis, também fará homenagens a radialistas

Dois profissionais recebem a comenda da Acaert, Rogério Pereira e Ranieri Bertoli; eles se unem a nomes como Mário José Gonzaga Petrelli

Além das palestras, da possibilidade de network e aprendizado, o 18º Congresso da Acaert vai reconhecer expoentes da radiodifusão catarinense, com a entrega da comenda da entidade.

Ranieri Bertoli, um dos homenageados da Acaert – Foto: Divulgação/NDRanieri Bertoli, um dos homenageados da Acaert – Foto: Divulgação/ND

Concedida a partir do 10º Congresso, após sugestão do então presidente Marcello Corrêa Petrelli, a escolha obedece a uma série de requisitos, como contribuição pública e notória para a valorização e fortalecimento da radiodifusão.

No congresso deste ano, dois radialistas serão homenageados: Rogério Pereira, o Pirata, recebe homenagem póstuma, e Ranieri Moacir Bertolli. Ambos estavam entre os nomes indicados pelos dirigentes da entidade e foram escolhidos por comissão especial.

Pirata e Bertolli passam a compor lista de notáveis, com outros 39 nomes, entre os quais Eurides Antunes Severo (15º Congresso), Derly Massaud de Anunciação (14º), Sílvia Hoepcke da Silva (13º), Fernando Linhares da Silva (12º), Adolfo Ziguelli (11º), Mário José Gonzaga Petrelli e Maurício Sirotsky Sobrinho (os dois últimos no 10º).

A entrega das comendas será no primeiro dia do evento, às 19h. O filho de Pirata, Marcelo Pereira, receberá a homenagem destinada ao pai. Já Bertoli, a receberá em mãos. O evento será no CentroSul e a entrada do público é feita mediante inscrição e ingresso.

Rogério Pereira, o Pirata: homem de rádio e das macieiras

Rogério Pereira nasceu em São Joaquim em 15 de novembro de 1945 e morreu em abril do ano passado em decorrência da Covid-19. De família humilde, começou a trabalhar na adolescência como sapateiro.

Em 1964, iniciou como locutor da rádio Difusora São Joaquim AM e, dois anos depois, tornou-se diretor, sendo sócio da rádio a partir da década de 1970. Pirata também fundou, em 2007, a Rádio Nevasca FM. Foi dirigente da Acaert e vice-presidente regional em diversas gestões.

Rogério Pereira, o Pirata, será homenageado in memorian – Foto: Divulgação/NDRogério Pereira, o Pirata, será homenageado in memorian – Foto: Divulgação/ND

Além do rádio, Pirata exerceu a atividade de pecuarista. Foi o criador, por exemplo, da Cooperativa de Crédito Rural e do entreposto de comercialização de maçã para atender aos produtores.

Fundou, também, a Associação dos Produtores de Maçã e Pera de Santa Catarina, a conhecida Amap, da qual foi presidente por três vezes. Também enveredou para a política, sendo vereador, secretário-chefe de gabinete do prefeito, secretário de Administração e secretário do Bem-Estar Social e vice-prefeito de São Joaquim.

No campo social, foi presidente da LBA (Legião Brasileira de Assistência) e fundador dos conselhos comunitários em São Joaquim. Também presidiu as festas nacionais da maçã em 1986, 1988, 1991 e 2001 e recebeu o título de cidadão de três cidades catarinenses: Bom Jardim da Serra, Urupema e Urubici.

“Para surpresa nossa, em abril, recebemos a visita do presidente da Acaert, Silvano Silva, que nos informou da homenagem, in memorian, ao meu pai. Era um sonho dele, que viveu mais de 50 anos trabalhando em rádio”, registrou Marcelo Pereira, o Piratinha.

Ele também falou sobre as maçãs que Pirata oferecia aos colegas: “Era uma forma carinhosa de presentear os membros da Acaert. Também vamos levar no dia do congresso como forma de homenagear o meu pai”.

Ranieri Moacir Bertoli: um batalhador da radiodifusão

Ranieri Moacir Bertoli nasceu em 31 de março de 1964, em Taió, no Alto Vale. Formado em administração de empresas pela UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina), é radiodifusor, hoteleiro e reflorestador.

Atuou como dirigente da Acaert por vários anos até assumir, de 2003 a 2006, a presidência da entidade. Em sua gestão, fortaleceu a atuação da Central Acaert de Rádio, ampliando sua estrutura e foi responsável pela modernização da sede da entidade.

Bertoli também foi um dos criadores do chamado trade da comunicação, que reunia entidades representativas dos veículos de comunicação e das agências de propaganda do Estado.

Estimulou o relacionamento institucional com a Abert (Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão), as associações estaduais e com o Ministério das Comunicações e a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações).

Promoveu, em parceria com outros órgãos, levantamento do mercado de veiculação publicitária em Santa Catarina, nos anos de 2004 e 2005. Implantou, junto com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), o primeiro programa de capacitação dos profissionais da radiodifusão catarinense. Incentivou a formação da frente parlamentar da radiodifusão, criada pelo deputado federal Ivan Ranzolin.

Implantou, em parceria com a ADI/SC (Associação dos Diários do Interior), a CNR/SC (Central de Notícias Regionais). Iniciou os projetos “Memória da Radiodifusão de Santa Catarina” e “Balanço Social da Radiodifusão Catarinense”.

De 2014 a 2019, foi membro dos Conselhos da ADVB Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil) e da ACI (Associação Catarinense de Imprensa).

De 2017 a 2019, participou do Conselho Comunicação do Senado Federal. É responsável pela articulação política apoiando a entidade nas demandas da radiodifusão junto aos poderes. Atualmente, é membro do conselho superior da Acaert e tesoureiro do SERT/SC (Sindicato das Empresas de Rádio e Televisão).

Participe do grupo e receba as principais notícias
da Grande Florianópolis na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
+

TV

Loading...