Gênesis: Ângelo Paes Leme fala sobre Terá, o pai de Abraão

Personagem estreia no capítulo desta sexta-feira (5); feliz com o novo trabalho, o ator elogiou o investimento na superprodução da Record TV

Ângelo Paes Leme estreia nesta sexta-feira (5), na quarta fase da novela Gênesis, nova superprodução da Record TV.

Ele viverá o jovem Terá, pai de Abraão (Vitor Novello/ Zécarlos Machado), determinado a vencer na vida em Ur do Caldeus, uma cidade repleta de oportunidades.

Ângelo Paes Leme em GênesisÂngelo Paes Leme interpreta Terá, pai de Abraão, em Gênesis – Foto: Edu Moraes/Record TV

O ator falou sobre as nuances do personagem em busca de um desejo atemporal e comum à humanidade: a prosperidade.

“Terá é um personagem incrível. Tem uma densidade dramática intensa. Tive diante de mim experiências bem fortes, experiências muitas vezes terríveis e dramáticas do personagem. Fiquei muito feliz de poder me entregar a isso e fazer com a maior dedicação possível”, disse.

Para Ângelo , a trajetória de Terá vai proporcionar reflexões ao público.

“Uma delas seria que a gente sonha com prosperidade, sucesso e esquece, às vezes, de colocar na balança o que realmente é o sucesso, o que pode significar na essência a prosperidade. E, quando não se faz isso, acaba perdendo as coisas que são as mais importantes, e até mesmo o seu próprio sentido, significado e singularidade”.

Terá vai se deparar com muitas tentações relacionadas ao sucesso, como bajulações, competições, inveja e ambição desmedida. O personagem ficará diante de decisões complicadas, que vão impactar a relação dele com a família.

“Nesse caminho, ele acaba perdendo as coisas que parecem ser as mais simples e até podem ser, mas são as de maior valor. São aquelas que enchem o coração de harmonia e paz.

Ele passa por esse momento e tantos outros, de achar que você pode controlar o destino de todos, como os filhos, e passar a não ouvir quem está ao seu lado, ouvir só a própria razão. Isso pode te aprisionar numa visão de mundo, que, ao seu ver, pode parecer ampla e melhor, mas não é.

Na verdade, está se resolvendo com uma visão estreita, limitada e prejudicial para os outros. Porque a partir do momento que você impõe sua visão aos outros, sem perceber o que os outros estão vendo e sentindo, você vira um autoritário. Isso também tem no personagem”, explica.

Personagem ficará diante de decisões complicadas, que vão impactar a relação dele com a família – Foto: Edu Moraes/Record TVPersonagem ficará diante de decisões complicadas, que vão impactar a relação dele com a família – Foto: Edu Moraes/Record TV

Elogios

Feliz com o novo trabalho, o ator elogiou o investimento na superprodução “Gênesis”, principalmente, pelo desafio de contar em uma novela a origem da humanidade.

“São tantas histórias mostrando o ser humano nas suas contradições, tentando mostrar aqueles sentimentos que até hoje estão presentes, porque são humanos. E mostrá-los da forma mais franca e honesta possível: o amor, o desejo, a ambição, a traição, a frustração, o rancor e o ódio. A gente vê muito isso nas histórias. Estamos diante de grandes situações, momentos dramáticos na evolução da convivência do homem com ele e com os outros”.

“Gênesis” vai ao ar de segunda a sexta, às 21 horas, logo após o Jornal da Record, com exibição dos melhores momentos da semana aos sábados também às 21 horas.

A novela é escrita por Camilo Pellegrini, Raphaela Castro e Stephanie Ribeiro, com direção-geral de Edgard Miranda.

Ator elogiou o investimento na superprodução – Foto: Edu Moraes/Record TVAtor elogiou o investimento na superprodução – Foto: Edu Moraes/Record TV

+

Novela Gênesis