Mancha

marcelo.cabral@ndtv.com.br O melhor dos esportes de ação, olímpicos, artes-marciais e modalidades não convencionais, com o olhar diferente e multicultural de Marcelo Mancha. Se deixar ele coloca um som para embalar as notícias e dar movimento aos atletas que brilham no Brasil e no Mundo! Aqui o esporte tem espaço. Só vem!


VELA: Henry Boening, o Maguila, é a “força bruta” da Seleção Brasileira

Gaúcho Henry Boening é integrante do Time Brasil na SSL Gold Cup a Copa do Mundo de Nações

O gaúcho Henry Boening, conhecido no esporte como “Maguila”, de 39 anos, é um dos nomes mais experientes da Seleção Brasileira de Vela que vai disputar a 1ª edição da SSL Gold Cup, a Copa do Mundo de Nações.

O evento qualificatório começa no dia 17 de maio, mas o Brasil entra diretamente nas oitavas de final, entre os dias 8 e 11 de novembro, por ter se classificado entre os 25 melhores no ranking da Star Sailors League (SSL).

Henry Boening, o Maguila, é um dos destaques do SSL Team Brazil – Foto: divulgação SSL Team BrazilHenry Boening, o Maguila, é um dos destaques do SSL Team Brazil – Foto: divulgação SSL Team Brazil

“O evento será fantástico. Não tenho dúvidas disso. Nosso time é muito bom, mas terá adversários muito fortes e será uma competição difícil, pois este tipo de eliminatória não te permite cometer erros” – analisou Henry Raul Boening.

Natural de Porto Alegre, o velejador começou no esporte por incentivo de Xico Freitas, na época, diretor da escola de vela Barra Limpa. Na carreira, ganhou destaque na classe Star, pela qual se sagrou campeão europeu em 2019, em Riva del Garda, na Itália e faturou o bronze nas Finais da SSL de 2016, em Nassau, nas Bahamas, sempre ao lado da lenda Robert Scheidt.

As equipes da SSL Gold Cup, são formadas por 11 atletas (10 tripulantes e um capitão) por país, e a disputa é mista, ou seja, cada barco reúne homens e mulheres. O formato eliminatório, sem a Medal Race (uma espécie de regata final) busca tornar a disputa ainda mais emocionante para o público.

No evento-teste em 2021, Henry Boening e o time brasileiro, ficaram em segundo lugar – Foto: divulgação SSL Team BrazilNo evento-teste em 2021, Henry Boening e o time brasileiro, ficaram em segundo lugar – Foto: divulgação SSL Team Brazil

Henry divide a embarcação com nomes importantes da vela mundial, como os bicampeões olímpicos Robert Scheidt, Martine Grael e Kahena Kunze. Com 120kg, ele tem uma função estratégica no barco, a de Grinder.

“É basicamente fazer as coisas funcionarem. A parte da força da vela. O coffe Grinder funciona para a utilização das catracas do barco, que são as peças que aliviam o peso dos cabos que caçam as velas e adriças. Meu trabalho é constante e em equipe, principalmente junto com o Pit (Juninho), os trimmers (Gabriel e Kahena) e com o trimmer da mestra (Bochecha)” ensina Henry.

Henry ‘Maguila’ Boening, alia força, experiência e técnica ao time brasileiro – Foto: divulgação SSL Team BrazilHenry ‘Maguila’ Boening, alia força, experiência e técnica ao time brasileiro – Foto: divulgação SSL Team Brazil

A SSL Gold Cup vai reunir ao todo 56 países. As regatas serão disputadas no Lago de Neuchâtel, em Grandson, na Suíça. No ano passado, aconteceu o primeiro evento-teste, em que o Brasil terminou em segundo lugar, atrás somente da Croácia. A Hungria completou o pódio.

A Star Sailors League (SSL) é uma organização formada por atletas e ex-atletas, como o intuito de promover competições em que as estrelas são os velejadores e não os barcos.

O SSL Team Brazil no evento-teste foi:

1 – Alfredo Rovere – proa

2 – Martine Grael – estratégia & grinder

3 – Henry Boening ‘Maguila’ – Grinder

4 – Kahena Kunze – segundo trimmer e grinder

6 – Juninho de Jesus – pit & runners

7 – Gabriel Borges – trimmer & jib/gennaker

8 – André Fonseca Bochecha: trimmer & grande/trav

9 – Joca Signorini – tática e grinder

10 – Robert Scheidt – timoneiro

20 – Henrique Haddad (Giga) – tripulante, coach e observador.

Gerente: Bruno Prada

Sobre a SSL Gold Cup

A SSL Gold Cup será o campeonato ‘final’ do circuito com 56 nações entre os membros da World Sailing, para coroar a melhor nação da vela a cada dois anos.

Em um esporte mecânico onde a corrida pela tecnologia pode atrapalhar a corrida pela glória, a SSL visa a competição igualitária, em que o talento dos velejadores está na vanguarda, e os campeões se tornam heróis inspiradores de novas gerações. A SSL é um Evento Especial da World Sailing desde 2017.

Como na Copa do Mundo de futebol, as primeiras rodadas de qualificação selecionam os times que avançam para as fases eliminatórias. Todas as regatas são com flotilhas de quatro barcos em cada até as quartas de final. As equipes serão colocadas em chaves, com os oito primeiros colocados garantidos nas quartas-de-final.

Duas flotilhas de quatro competem nas quartas-de-final para selecionar as quatro equipes que participam da única regata da Grande Final. O vencedor da da Grande Final é coroado como a Melhor Nação da Vela. A SSL criou um formato inovador. Os fogos de artifício ao final no evento prometem um desfecho dramático para esta incrível competição global.

Participe do grupo e receba as principais notícias
do esporte de Santa Catarina e do Brasil na palma da sua mão.

Entre no grupo Ao entrar você está ciente e de acordo com os
termos de uso e privacidade do WhatsApp.
Loading...