Custos do Contorno Viário podem dobrar tarifas de pedágios da BR-101

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

As obras do Contorno Viário, idealizadas há quase 20 anos, só começaram a sair do papel em 2014, e até agora não foram entregues.

A obra já custou mais de R$ 1 bilhão para a concessionária que administra a rodovia. A Arteris Autopista já confirmou que não vai ter praças de pedágio no trecho do Contorno Viário, mas uma obra tão cara pode implicar nas tarifas cobradas em outros postos administrados pela concessionária. O valor do aumento depende do custo total da obra.

A ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) informou que a Arteris tem o direito de pedir o reequilíbrio econômico do contrato por causa das obras, e que não há limite para o valor. Mas antes de fazer o aumento, é necessário fazer uma análise do impacto do investimento na tarifa, versus a necessidade e benefícios que serão trazidos aos usuários.

De acordo com o diretor do Comdes (Comitê Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis) a tarifa praticada hoje em Santa Catarina pode dobrar com a entrega do contorno, mas a maior preocupação atualmente, é a entrega da rodovia.

Idealizada para ser entregue em 2012, o Contorno Viário que liga os municípios de Governador Celso Ramos, Biguaçu, São José e Palhoça, tem novo prazo de entrega para 2021.

Mais conteúdo sobre

Mais vídeos