Em ritmo lento, obras do Contorno Viário causam transtornos a moradores de comunidade de Biguaçu

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

Com a promessa de desafogar o trânsito da Grande Florianópolis, as obras do Contorno Viário tem sido alvo de reclamações de uma comunidade de Biguaçu. Eles alegam que nada do trabalho evolui, apenas a rotina dos moradores da região.

Scheila Lopes, cabeleireira, moradora da comunidade Russia, no bairro Santa Cruz há cerca de 20 anos, afirma sempre ter gostado da tranquilidade do local. “Antes acordávamos de manhã com o barulho dos pássaros, agora é com o barulho das caçambas”, reclama.

E são essas máquinas que tem feito os passeios com o filho da cabeleireira pela rua, ficarem perigosos, devido ao barulho, além da poeira causada pelos caminhões. “A gente liga bastante para os encarregados ao menos molharem as estradas, apenas depois de dias reclamando algo é feito, é difícil”, lamenta Scheila.

Leia também:

Janete da Silva, moradora da região, sente as consequências da circulação pesada de caminhões, nas paredes de casa. Rachaduras começaram a aparecer em vários pontos da residência. “O excesso de peso está provocando rachaduras nas casas, o transtorno é muito grande. A gente pede para eles fazerem o mínimo, mas é muito difícil receber um retorno”, afirmou.

Na comunidade, a grande maioria das famílias vive do plantio de grama, alguns tem as plantações bem próximas das estradas. O vai e vem dos veículos da obra do Contorno Viário na via de chão tem causado prejuízos também para alguns agricultores.

Chuva piora condições

Nos dias de chuva, a estrada fica ainda mais perigosa, os veículos pesados deixaram o caminho com buracos e por isso muitos motoristas acabam atolando. O agricultor Valdir Farias afirma já ter perdido as contas de quantas vezes teve que usar o trator para socorrer o ônibus escolar que passa no local, além de outros veículos.

Segundo os moradores a dificuldade aumenta em pontos de subida, onde os veículos tem ainda mais problemas para passar. O agricultor Anderson Lucio Prin afirma que a estrada segue com os mesmos problemas há cerca de um ano. “É sempre essa dificuldade e nada é feito”, reclamou.

As dificuldades da comunidade vem sendo acompanhadas de perto pela Comissão de Obras da Câmara de Vereadores e também pela Secretaria de Obras da Prefeitura de Biguaçu, que por vezes tem feito os trabalhos de recuperação dos danos.

Ritmo lento

Por enquanto a única coisa pronta na região é um viaduto por onde irá passar o trânsito local, uma obra que levou um ano para ser concluída, ficando pronta em julho do ano passado.

Por cima deste viaduto irá passar o Contorno Viário da Grande Florianópolis, uma obra que vem mexendo muito com a vida das 200 famílias que vivem na comunidade.

Os trabalhos ainda devem mexer muito com a vida dos moradores do local, já que a obra está longe de ficar pronta. Os moradores contam que, desde que a obra teve início, poucos avanços foram vistos.

No dia 1° de junho uma nova construtora deve assumir a obra, que estava sendo feita desde janeiro por uma empreiteira através de um contrato emergencial. O prazo final estabelecido para o Contorno Viário da Grande Florianópolis ficar pronto é final de 2022.

Mais vídeos