Estudantes da UFSC projetam carro elétrico visando opções sustentáveis para o futuro

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

Usar a tecnologia como uma aliada do meio ambiente. Seguindo esta rota, a aposta da vez é nos carros elétricos. Um encontro em Florianópolis reúne entusiastas para trocar conhecimento sobre o assunto. Estudantes da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina) estão projetando um carro elétrico para competições.

Quanto maior a cidade, mais lento e poluente costuma ser o trânsito. Industrias de ponta estão trabalhando para virar a página, com um avanço de uma solução que ainda não é tão conhecida.

“As crianças crescem e seus brinquedos aumentam. A diferença é que alguns brinquedos trazem mais tecnologia e tem uma função maior dentro da comunidade”, afirma o gerente de marketing Henrique Sampaio.

Menos poluição

A iniciativa tem a ver com o ar cada vez mais tóxico nas grandes cidades. O controle da emissão de poluentes está cada vez mais na mira de ambientalistas, e mais cedo ou mais tarde a novidade deve emplacar.

De acordo com o engenheiro supervisor de pesquisas em desenvolvimento, Ednei Navarro, essa tecnologia já existe no mundo inteiro, e o que é preciso é baixar o preço das baterias.

“Hoje o preço das baterias no carro elétrico que está sendo desenvolvido, representa cerca de 70% do custo. O preço está baixando, hoje estamos chegando perto de um equilíbrio no preço de um carro elétrico versus o preço do tradicional com o motor a combustão. Daqui a uns anos o preço deve estar menor que o tradicional”, afirma o engenheiro.

Competição em prol do meio ambiente

Alunos da UFSC promovem um encontro com o objetivo de promover um “futuro melhor”. Segundo a estudante da engenharia elétrica, Mariana Machado, alguns países europeus já tem um incentivo a partir de 2025 parar de se comercializar veículos a combustão. “Aqui no Brasil existe uma proposta no Senado que a partir de 2030 comece a reduzir a produção desse tipo de veículo, para que até 2060 possamos para de usá-lo”, explica.

A contribuição dos jovens estudantes vem de carona no aprendizado. Dentro do laboratório eles produzem um carro de corrida para competir um Piracicaba, no interior de São Paulo, onde todo ano pessoas se reúnem para discutir sobre o assunto.

Segundo o professor do Departamento de Engenharia Elétrica da UFSC, Marcelo Helzwein, o projeto é uma competição de tecnologia de engenharia, então o foco não é sobre o desempenho do carro, mas sim, quais recursos são utilizados para projetá-lo.

Segundo o integrante da equipe de estudantes, Gabriel Rambo, o objetivo é olhar para o futuro e ter a China como espelho. Segundo ele, cerca de um 1,2 milhão de carros elétricos são utilizados no país por ano.

Funcionamento diferente

O carro elétrico é um tanto quanto diferente do convencional. Não há um câmbio para trocar a marcha. No local existe uma espécie de roda que é girada para frente e para trás, próximo ao que é um carro automático. Outra novidade é que mesmo ao ligar, o veículo não faz nenhum tipo de barulho.

Uma opção mais econômica pode ser a bicicleta elétrica. Segundo o fabricante do produto, Joel Rodrigues, é possível percorrer cerca de 100 quilômetros e gastar apenas 41 centavos de energia. “Esse é um projeto já validado e órgão públicos também como correios, agentes de saúde, além do mercado delivery, podem utilizá-lo”, afirma.

Mais conteúdo sobre

Mais vídeos