Obra da nova ponte da Barra da Lagoa, em Florianópolis, deve ter conclusão em agosto

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

Polêmica, paralisação, mudança no projeto, o que era para ser feito em dois anos levou cinco, e ainda não está totalmente concluída. A nova ponte da Barra da Lagoa, no Leste da Ilha, tem sido um assunto de discussão em Florianópolis.

A nova ponte está pronta, a velha foi totalmente destruída, porém, as obras ao redor ainda preocupam os moradores da região. A obra começou em 2014, com previsão de término para 2016. Porém, a construção foi parar na justiça.

O Ministério Público Federal questionou irregularidades no pedido da licença ambiental. A justiça chegou a determinar a demolição do que já tinha sido feito. A obra ficou parada por 14 meses com a ponte pela metade, até o TRF-4 (Tribunal Regional Federal) autorizar a conclusão da ponte. A queda de braço custou caro. Além do atraso, quase R$ 500 mil a mais que o valor inicial.

Obra foi alvo de muita polêmica na Capital – RICTV Record/Reprodução

De acordo com o engenheiro da Secretaria de Infraestrutura de Santa Catarina, André Sabi, o grande problema do atraso foi o entrave jurídico que demorou o tempo da obra. “Estamos limitados com as divisas fundiárias e também da Lagoa. Então estamos em um trecho pequeno e não tinha muitas adequações a serem feitas”, explica.

Leia também:

Chuvas atrasam obra

O engenheiro explica que a obra do entorno só não está pronta devido as fortes chuvas do mês de maio. Ele garantes que as reividicações da comunidade serão atendidas. “Terá o nivelamento tanto pedido. A parte de acesso vai ficar conforme reuniões explicas na Secretaria e também na comunidade, a rampa será suave com a entrada da rodovia praticamente no mesmo nível da própria rodovia”, explica. Ainda segundo Sabi será feito um pedaço de calçada no local para atender os anseios da comunidade.

Antigamente, os pescadores da Barra da Lagoa usavam embarcações pequenas, como canoas de um pau só. A demanda cresceu e as embarcações também. Hoje, os barcos carregam até 20 toneladas de pescado. Mas como a antiga ponte era baixa, eles precisavam encher o porão de água para conseguir passar pelo local. Com a nova ponte, transitar entre o canal e a Lagoa já não é mais problema.

Associação de moradores vê com bons olhos

Segundo o vice-presidente da Associação de Moradores, Gilson Bittencourt, quando a ponte foi construída, as embarcações tinham capacidade de uma tonelada. “Ela saía do canal e já encontrava o peixe na saída. Hoje, o pescador teve a necessidade de aumentar o tamanho das embarcações e dar mais emprego. A ponte teve necessidade principalmente para atender a pesca artesanal”, explica.

Apesar das polêmicas, a Associação de Moradores comemora a conclusão da ponte e quer rapidez nas demais obras. Segundo Bittencourt, a comunidade está pressionando o Deinfra, para que em agosto a obra seja concluída.

Mais vídeos