Primeiro dia sem Zona Azul causa dúvidas em motoristas, em Florianópolis

Balanço Geral Florianópolis

De segunda a sábado, às 11h50

A partir de agora quem encontrar uma vaga livre de estacionamento nas ruas de Florianópolis, não precisará mais pagar pelo tempo parado. Mas com os parquímetros ainda funcionando, muitos motoristas tentaram efetuar o pagamento nesta segunda-feira (16).

Foi o caso do representante comercial, Antônio Silva Teixeira, que tentou, em vão, utilizar o serviço. “Ficam algumas dúvidas de como estacionar no Centro, não sei o que faço agora”, reclamou.

A prefeitura conseguiu encerrar o contrato com a empresa que administrava a Zona Azul. A inadimplência motivou o fim dos trabalhos, pois, segundo a prefeitura, a empresa deixou de repassar R$ 19 milhões para os cofres públicos.

Para o comerciante Rivair Góis, que vem todos os dias de carro para o Centro da Capital, o sistema já não estava funcionando muito bem. “Um dia cheguei a ficar 20 minutos esperando e ninguém apareceu. Vi várias pessoas irritadas por não conseguirem utilizar. As pessoas queriam por créditos e pagar, e não conseguiam”, explica.

Para o comerciante Rivair Góis, o sistema já não vinha funcionando bem – RICTV Record/Reprodução

Leia também:

Confusão para quem ainda tem créditos

A principal dúvida dos usuários do sistema Zona Azul é o que fazer com os créditos que estão no cartão. A orientação, por enquanto, é esperar, pois se trata de uma operação entre a empresa e quem utiliza o sistema.

A prefeitura está tentando intervir e conseguir na justiça que os valores sejam ressarcidos, ou então, que possa ser utilizado no próximo sistema de Zona Azul que será implantado na cidade.

Quem irá administrar o novo sistema ainda não se sabe. A prefeitura está elaborando um novo edital para o chamamento de outras empresas. O que se sabe, é que o novo sistema deve ser diferente, mais moderno, utilizando a tecnologia a favor de uma fiscalização mais eficiente.

Objetivo é modernizar o sistema

De acordo com o secretário de Mobilidade de Florianópolis, Michel Mittmann, o objetivo é contar com sensores de estacionamento, facilitando para o usuário. “É um investimento forte em tecnologia de capturas de placas, para que garanta a rotatividade do sistema e atenda o máximo de pessoas possível”, explica o secretário.

A secretária da Mobilidade da Capital também deve acompanhar, através dos sistemas de monitoramento, como irá se comportar o trânsito sem a presença da Zona Azul.

Mittmann acredita que mais veículos estarão circulando pelas ruas sem a cobrança do estacionamento. “Vamos utilizar sistema para realizar contagens comparativas com o que está acontecendo desde a semana passada, e com essa mudança que começa agora”, afirma.

Guarda Municipal pede bom senso na utilização

Mesmo sem a cobrança do valor, ainda haverá obrigação de respeitar o tempo de utilização da vaga. Os estacionamentos exclusivos para idosos, pessoas com deficiência, moto, carga e descarga ainda deverão ser respeitados.

A Guarda Municipal continuará passando com as motocicletas para averiguar o uso adequado das vagas. “É importante que a própria população, aqueles que usam diariamente o estacionamento da zona azul, entrem em contato conosco e denuncie as irregularidades que possam acontecer”, afirma o comandante da Guarda Municipal de Florianópolis, Ivan Couto.

A expectativa é ter uma nova empresa para administrar a Zona Azul antes do início da temporada de verão. “Estamos trabalhando nesse novo edital que contempla as zonas de praia, como por exemplo, o Norte da Ilha”, explica Mittmann.

Mais conteúdo sobre

Mais vídeos